TSE defere candidatura, e Beti Pavin deve assumir Prefeitura de Colombo | Fábio Campana

TSE defere candidatura, e Beti Pavin deve assumir Prefeitura de Colombo

Decisão monocrática do ministro Marco Mello foi publicada nesta quarta (6). Ela havia sido impedida de assumir o cargo por ter tido contas reprovadas.

De Fernando Castro, G1 PR:

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) publicou nesta quarta-feira (6) uma decisão que permitirá à prefeita eleita de Colombo, Beti Pavin (PSDB), assuma o cargo. Ela havia sido impedida de assumir a função pela Justiça Eleitoral, mas recorreu ao TSE. A decisão datada de 18 de dezembro de 2012 do ministro Marco Aurélio Mello é monocrática, ou seja, pode ainda ser questionada no plenário do órgão.

Pavin foi impedida de tomar posse devido ao fato de as contas da prefeitura, na época em que administrou a cidade, terem sido rejeitadas pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE). A decisão de inelegibilidade dela foi tomada ainda antes das eleições de 2012, mas como ela não indicou outro nome para encabeçar a chapa, os votos concedidos a ela foram considerados nulos.

Porém, como Pavin obteve mais de 50% do total de votos registrados, a posse do segundo colocado, Zé Vicente (PSC), foi inviabilizada. Assumiu então, interinamente, o presidente da Câmara Municipal, José Renato Strapasson (PTB). Caso o Pleno do TSE reverta a decisão do ministro Mello pelo deferimento da candidatura dela, uma nova eleição deve ser convocada no município.

Para Pavin voltar a comandar a cidade, é preciso que o TSE envie cópia da decisão ao Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR), o que ainda não havia sido feito até as 17h desta quarta. Por sua vez, o TRE deverá notificar o município de Colombo para que a troca seja efetivada.

Informalmente
Nos primeiros dias úteis de 2013, Pavin esteve na Prefeitura de Colombo auxiliando informalmente o prefeito interino a montar a equipe de governo. O pedido partiu do próprio Strapasson, que participou da coligação da candidata ao se eleger vereador. À época, Pavin afirmou que não via problema ético em ter aceitado o convite.

“Na verdade, estou aqui como uma voluntária, a convite do prefeito em exercício, que também foi eleito dentro de um projeto para Colombo e ele, enfim, em um ato bonito, em um gesto bacana, reconhecendo o voto dos cidadãos colombenses, que me deram 52% dos votos válidos, me chamou para que a gente estivesse aqui presente, nesse momento tão importante e crítico para a cidade de Colombo” afirmou Pavin.


3 comentários

  1. Edson
    quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013 – 12:53 hs

    Prezado Fábio:
    Gostaria de ver uma ilustração(foto) memorável para esta matéria.
    Abraços,
    Edson

  2. Trabalhador
    quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013 – 20:15 hs

    Então Fernando Henrique Cardoso, o Marco Aurélio Mello jogou a sua lei de responsabilidade fiscal no lixo…Governantes do Brasil está aberta a temporada “empurre os papagaios pro próximo mandato”, já que não é mais necessário fechar as contas…Como o Marquinho é gente boa….

  3. francisco
    quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013 – 21:27 hs

    as contas da prefeita foram aprovadas com ressalvas, fato que foi aproveitados pela gestão anterior para impedí-la de ser candidata à deputada estadual no ano de 2010.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*