Segurança Pública contesta dados divulgados sobre criminalidade | Fábio Campana

Segurança Pública contesta dados divulgados sobre criminalidade

A Secretaria de Segurança Pública emitiu nota em que contesta os dados divulgados em matéria da Gazeta do Povo sob o título “A cada minuto, um crime”. É assinada pelo Núcleo de Comunicação. É o que segue:

A Secretaria de Estado da Segurança Pública repudia a forma inconsistente e irresponsável como o jornal Gazeta do Povo apresentou aos leitores a matéria “A cada minuto, um crime”, neste sábado (23/02), propagando uma cultura do medo que não se confirma no Paraná.

Partindo do nosso compromisso público com a transparência dos dados e
divulgação da informação, com base no Relatório Estatístico Criminal, a
abordagem sensacionalista da matéria, apesar de citar que “parte das
ocorrências é de crimes mais brandos”, passa ao leitor a impressão que
estamos vivendo um momento atípico, com explosão da criminalidade, a
começar pelo próprio título da reportagem, “A cada minuto, um crime”, o que
não se comprova.

A Secretaria da Segurança Pública esclarece que a interpretação linear
feita a partir do infográfico que mostra o prosaico “relógio de
ocorrências” é equivocada e inadequada porque o total de registros
divulgados no Relatório Estatístico Criminal de 2012 não se refere a
ocorrências separadas, ou seja, são naturezas relacionadas ao mesmo
fenômeno criminal.

Um mesmo boletim de ocorrência comporta até quatro delitos ou tipificações
criminais, que são geradas a partir do atendimento feito pela equipe
policial. Isso quer dizer que em um caso de briga de trânsito, com
xingamentos recíprocos, no qual uma das pessoas envolvidas chega para o
atendimento de plantão na delegacia, ela poderá registrar até quatro crimes
em um mesmo boletim de ocorrência (por exemplo: dano, ameaça, injúria e
difamação). O mesmo pode ocorrer em uma briga de vizinhos.

As ocorrências policiais do cotidiano podem conter uma multiplicidade de
tipificações, o que evidencia uma preocupação com o detalhamento técnico
dos registros. São dados administrativos, e não sociológicos, como aqueles
que são constituídos por meio de uma pesquisa de vitimização, por exemplo.
A característica do Boletim de Ocorrências Unificado (BOU), quando não
interpretado de forma correta, pode gerar uma falsa percepção de
inflacionamento de registros criminais, quando não se leva em conta os
objetivos da redução da subnotificação.

Isso significa que o aumento da confiança das pessoas na polícia – em
virtude da solução de crimes graves e de grande repercussão, além do
atendimento que vem melhorando progressivamente nas delegacias – contribui
para que o cidadão registre qualquer ocorrência, mesmo aquelas que
posteriormente não têm caráter criminal, por exemplo uma discussão
referente a uma dívida de cheque sem fundo.

A cada dez crimes registrados no Paraná em 2012 (total de 538.118
registros), pelo menos quatro são de menor potencial ofensivo, cuja pena
não ultrapassa dois anos. Entre esses crimes estão: ameaça, lesão corporal
leve, injúria, difamação, calúnia, violação de domicílio, constrangimento
ilegal, maus tratos e lesão corporal culposa. São crimes considerados pela
legislação como “de natureza leve”, nos quais não são lavrados auto de
prisão em flagrante.

O registro do crime de ameaça, que lidera o ranking de ocorrências dos
crimes contra a pessoa, é um exemplo de confiança da população nas polícias
paranaenses. Além disso, quando alguém notifica uma situação de ameaça, em
um primeiro momento, faz-se apenas o registro da ocorrência.
Posteriormente, ela tem um prazo de seis meses para representar contra o
autor do fato, quando então as ações de polícia judiciária estão
autorizadas a serem adotadas. Muitas vezes, a pessoa não volta à delegacia
e fica apenas consignado o registro da ocorrência.

A Secretaria da Segurança Pública reforça que o trabalho de repressão
policial é incansável, principalmente em relação aos crimes contra a vida.
Última atualização da Coordenadoria de Análise e Planejamento Estratégico
(Cape) embasa esse trabalho: em todo o Estado, o número de homicídios
reduziu 5,4%, na comparação janeiro/2013 com janeiro/2012. Só na capital, o
número de homicídios no último mês (55 registros) é o menor na comparação
com janeiro dos últimos quatro anos.

Redução que já vinha ocorrendo em 2012: Curitiba fechou o ano com redução
de 12,85% no total de homicídios. Na Região Metropolitana, a queda foi de
7,11%. Números que demonstram a forte atuação do Governo do Paraná na área
da Segurança Pública e, principalmente, o trabalho diário dos nossos
profissionais, atuando incessantemente no policiamento ostensivo, no
trabalho de investigação e inteligência.

A Secretaria da Segurança Pública defende também que a comparação feita na
reportagem com a criminalidade de São Paulo é tecnicamente inviável, em
virtude das distintas realidades enfrentadas por esses estados. Há
diferenças na contagem dos crimes, na metodologia empregada nessa contagem,
no número de habitantes, evidentemente, nas políticas de investimentos e
nas ações policiais. Essas comparações podem e tornam-se levianas quando
apenas as estatísticas são abordadas, e não os demais aspectos, sejam eles
sociais e/ou econômicos.

Núcleo de Comunicação
Secretaria de Estado da Segurança Pública


35 comentários

  1. laisa lopes
    domingo, 24 de fevereiro de 2013 – 20:50 hs

    mais importante do que contestar números é apresentar a sociedade um projeto capaz de mudar esse quadre de inseguranca que vivemos no Paraná. Reconhecemos o esforco do Beto Richa, mas convenhamos que as policias, principalmente a civil, esta mal dirigida o que é pior comandada por amadores sem qualquer espectativa de melhora.

  2. Zangado
    domingo, 24 de fevereiro de 2013 – 21:15 hs

    Ah, assim estou mais tranquilo …
    É tudo entrechoque de estatísticas …
    Já vimos esse filme antes?

    Só um fato: fui multado pela polícia militar (não de trânsito) num local em que era mocó de traficantes só porque às duas horas da matina acautelarmente passei o sinal vermelho para não parar na esquina e ser assaltado … E mesmo demonstando ao Detran que o mocó tinha sido estourado, fato noticiado na mídia, mantiveram a multa … desconfio que eles queriam que eu fosse otário de ser assaltado no local em benefício do respeito à lei de trânsito …

  3. Gilmar
    domingo, 24 de fevereiro de 2013 – 21:37 hs

    Da mesma forma q a Secretaria manipula os dados, o jornal tbm manipulou e não deixa de estar correta a informação… o problema esta nas interpretações!!!

  4. Observador
    domingo, 24 de fevereiro de 2013 – 21:59 hs

    Não é preciso ser da areá de comunicao para enxergar que essas reportagens com grande destaque, para a violência em geral, com um toque todo sensacionalista, tem por objetivo atingir o governo do estado que tem grande reconhecimento da opinião publica na atuação da segurança. E impressionante o quanto esse governo esta demorando para responder todas essas falsas acusações. Desde sempre, esse jornaleco faz isso contra o governo do Beto Richa, e ate o momento em poucas oportunidades houve resposta. Esse Jornal usa aquela máxima nazista uma mentira contada varias vezes se torna verdade. Nao tenho duvida , embora tenha ocorrida outras falhas na conducao da campanha do Ducci, de que as dezenas de reportagens tendenciosas contra seu governo feitas pela GRPcom contribuiram e muito para sua derrota. Falta mais contundência contra essas mentiras por parte do governo do estado.

  5. Geraldo
    domingo, 24 de fevereiro de 2013 – 21:59 hs

    Que a nossa Insegurança Pública está uma m#*# desde os tempos do Bob Req e seu anão Delazarento, isso é fato, agora, uma lástima a maneira com que os irresponsáveis e incompetentes herdeiros do saudoso Dr. Francisco vêm tratando o jornalismo. Dr. Francisco jamais compactuaria com essa baixaria e essa eterna moeda de troca que seus pupilos vem se utilizando.

  6. Carlos
    domingo, 24 de fevereiro de 2013 – 22:22 hs

    O q não entendo é pq a Gazeta do Povo e a turma da Sandra acham q fazem um grande serviço a sociedade batendo e desacreditando as policias. Problemas de segurança tem em todas as grandes cidades, tem no mundo todo… Mas ela e seus pupilos ao invés de proporem matérias construtivas, que se somem aos aparelhos estatais, ficam batendo pra derrubar os responsaveis pela pasta e comandantes das policiais. Quem quer q sejam optam por desacreditar os q lutam pela sociedade. Será se pensem q estão dando utilidade e importância as suas vidas??? Acham q fazem algo de útil???

  7. BOZO
    domingo, 24 de fevereiro de 2013 – 22:38 hs

    A FRIEZA DOS NÚMEROS NÃO TRADUZ A VIOLÊNCIA REAL EXISTENTE EM CADA ESQUINA. A SEGURANÇA PÚBLICA NO PARANÁ ESTÁ UM VERDADEIRO CAOS. DELEGACIA ABARROTADA DE PRESOS, POLÍCIA PREVENTIVA AUSENTE, ETC. ETC. ETC. ETC. O GOVERNADO ESTÁ BRINCANDO COM COISA SÉRIA.

  8. Rene Guimarães
    domingo, 24 de fevereiro de 2013 – 22:55 hs

    Realmente como cidadão paranaense eu não entendo esse jornal.
    Não sou adepto da politica, mas na gestão do antigo governador os dados estatisticos e os indices de criminalidade não eram divulgados. Agora que o são eles batem no governo, no secretário e ainda nos órgãos de segurança fazendo com que essas instituições fiquem desacreditadas perante o povo e pior perante a criminalidade. Faz favor grupo RPC, deixa a administração publica trabalhar em paz.

  9. Claudião
    domingo, 24 de fevereiro de 2013 – 23:10 hs

    As Policias do Paraná estão passando por uma transformação inédita, aumento dos salarios para que os policiais tenham diganidade, maior contratação(exemplo o concurso que está ocorrendo hoje com mais de 5000 vagas) compra de novas viaturas e etc….
    Olhem o que acontece em outros Estados, no Rio de Janeiro é preciso da utilização das forças armadas, na Bahia houve greve da Policia Militar com prédios públicos invadidos, São Paulo com ataques de Organizações Criminosas, Alagoas há intervenção por parte da força nacional para conclusão de procedimentos investigatórios, recentemete Santa Catarina também com ataques criminosos pelas ruas gerando panico a população.

    Acho que a Segurança Pública do Paraná ainda não é a ideal, mas vejo esforços por parte de seus representantes que não usam a cueca vermelha por cima das calças mas e que são verdadeiros super-heróis dando seu sangue para segurança dos paranaenses. No entanto também me depara com um jornal o qual só sabe criticar parecendo até um tablóide britanico sensacionalista.

  10. Yurinei Bastos
    domingo, 24 de fevereiro de 2013 – 23:11 hs

    Pela primeira vez temos um secretário de segurança sério e preocupado. Como disse o “Observador” a Gazeta é só mais um meio de comunicação para manter o medo e o caos na população com fito em lucro.

  11. Arali Yaki
    domingo, 24 de fevereiro de 2013 – 23:20 hs

    O Carlos tem razão! E como disse a Laisa as pessoas hoje reclamam demais, mas ninguém apresenta melhorias ou ao menos propostas de melhorias, geração “PROBLEMÃO”. Um bom secretário não assume pronto, mas ele aprende a segurança pública. Lembro-me 1% inspiração e 99% transpiração, ou seja, estou certa que a coisa vai melhorar, basta observar.

  12. Larissa
    domingo, 24 de fevereiro de 2013 – 23:26 hs

    Prova que essa adm é séria e tá trabalhando. É a primeira vez que são apresentados números e estatísticas pelo governo. Isso tá me cheirando “truta” de quem quer o Beto fora. É inveja pq ele é jovem e competente. Abcs!

  13. Sergiomar
    domingo, 24 de fevereiro de 2013 – 23:33 hs

    A segurança nunca foi tão exaltada como agora. Na época do Tio Bob não tinha estatística, não tinha nada, sequer polícia na rua e nas delegacias. Hoje há diálogo e o pessoal mete o pau. A propaganda não é enganosa, mas foi sim a maior contratação e maior aumento de salário já proporcionados na história do Paraná. O policial trabalha com prazer e não na base da paulada ou do medo de ser exonerado ou algo do tipo. Parem de reclamar e ajudem a melhorar! Isso sim! Ajudem o trabalho da polícia!

  14. Luís gringo
    domingo, 24 de fevereiro de 2013 – 23:37 hs

    ah tá, tudo estatística, pena que a realidade e cruel e mostra o estado de insegurança que se encontra o Paraná.

  15. Júlia
    domingo, 24 de fevereiro de 2013 – 23:41 hs

    Eu sempre fui leitora da Gazeta e sinceramente não sei o q esta acontecendo. A reportagem sobre a violência é nitidamente tendenciosa. Ainda bem que a secretaria se manifestou. Pelo menos a população tem duas versões para confrontar. Triste ver o monopólio da comunicação no Paraná. Ainda bem que temos os blogs para debater.

  16. Policial Indignado
    segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013 – 0:01 hs

    Até que enfim alguém de coragem no governo de covardes do Beto Richa.
    Parabéns Secretário Cid Vasquez. A polícia não aguenta mais apanhar. Nos salve!

  17. sergio silvestre
    segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013 – 0:16 hs

    Enquanto voces estavam comentando ai em cima.Aqui em Londrina,um grupo armado invadiu o quarto distrito e soltaram quase cem presos ao som de HIGH MOON do Enio Morricone.

  18. João Carlos
    segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013 – 0:54 hs

    Não se trata tão somente de discutir estatísticas e números, mas de sabermos a verdade. Se a Gazeta realmente contou como crimes diferentes os registrados em um mesmo fato, ela foi sensacionalista, leviana e irresponsável!
    Não conheço esse secretário, mas li neste site a alguns dias uma decisão deele para moralizar o IML.
    Agora com essa aqui, parece que o homem tem coragem mesmo. Pelo menos isso´!

  19. Vigilante do Portão
    segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013 – 5:26 hs

    Basta observar,
    As edições da GAZETA DO POVO, quase sempre na página 4, apresentam matéria denegrindo a atuação do governo.

    Do mesmo modo, quando publica matéria de algo BOM para o governo, ao lado coloca dúvidas ou apresenta uma reclamação.

    Dou exemplo, esse na RPC que usa a mesma tática.

    Dia desses, ano passado, o Jornal das 19:00 deu a notícia, com imagens e tudo, mostrando que fora construída uma ponte (Não lembro a cidade, era divisa com São Paulo e a ponte velha fora destruída em enchente)).
    Boa notícia para o governo Estadual; Pois bem, logo em seguida foi entrevistado um morador dizendo: “A ponte ficou boa, agora falta asfaltar a estrada…).

    A mesma situação se repete com frequência em outros casos, vejamos:

    Criada a UPS no Uberaba, passados algumas semanas, a Gazeta de matéria sobre a redução de crimes na regiõa.

    Ao lado, colocou entrevista com um morador, dizendo:

    “Melhorou, podemos sir de casa mais tranquilos, TOMARA QUE CONTINUE DEPOIS DA ELEIÇÃO…”

  20. Fragoso
    segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013 – 5:26 hs

    Interessante…

    Como ousam falar má da Gazeta do Povo e sua direção jovem e atuante?

    Uma diretoria oxigenada e um periódico realmente comprometido com os financiamentos que recebeu do BDNES, com a mãozinha interessada do Governo Federal, que viabilizou a compra da Tribuna, Estado do Paraná e Parana-Online, agora tem demonstrado sua missão maior após a consolidação do monopólio da “informação”…

    Reeleger Dilma Roussef e eleger sua escolhida no Governo do Paraná…

    O que foi necessário para isto? AdminisTraidores, digo, administradores ambiciosos e focados no lucro, praticando a boa e velha DESINFORMAÇÃO PeTista para iludir seus (e)leitores…

    No caso da UTI do Evangélico, vejam a diferença de qualidade entre as reportagens do grupo da RPC e da RIC ontem… RIC deu um show de profundidade e novidade… Filmagens de dentro do HEvang… Do descaso com pacientes…

    Nossa sorte são os veículos virtuais de comunicação como os blogs e outras agências de notícias…

    Porque se dependermos de tentar formar alguma opinião “consumindo” as “notícias” do grupo da Gazeta e RPC, iremos nos tornar inocentes úteis dos planos PeTistas de domínio, a qualquer cu$to, do poder…

  21. Vigilante do Portão
    segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013 – 5:30 hs

    Em tempo,

    Na matéria “um crime por minuto”, edição de ontem da Gazeta,
    NEM O DEMONSTRATIVO ESTÁ CORRETO, exoplico:

    O demosntrativo de barras (colorido) mostra sempre o ano de 2011 com a barra maior, quando comparada com 2012.
    Entretanto, quando apresenta os números , os de 2012 são maiores.

  22. caruncho
    segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013 – 8:09 hs

    EM QUE PAÍS SERÁ QUE VIVE O NOSSO SECRETÁRIO DE SEGURANÇA ?

  23. Jordão
    segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013 – 8:25 hs

    Concordo com o Claudião, onde ja se viu esse jornal desmoralisar tanto as instituições de Segurança do Estado. Um Absurdo!!!!
    Acompanhei as noticias dos últimos dias e vi a PM dar uma resposta rapida após a fuga dos detentos em Londrina, vi a publicação do retrato falado do homem que Baleou o ex-prefeito de Curitiba, vi a divulgação daqs fotos do bandidos que mataram o neurocirurgião, vi a prisão do acusado de matar a mãe que voltava do casamento da filha….
    E muitas outras pelo Estado a fora….

  24. lika
    segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013 – 8:28 hs

    QUERO CONVIDAR ESSE CARA COM CODINOME DE OBSERVADOR, SE QUIZER ENTRAR NA ESTATISTICA, PASSE
    ALI NAS PROXIMIDADES DO GUADALUPE A NOITE ENTRE 9;00 E 10:00HS, AÍ VC VAI MUDAR SEUS CONCEITOS DE SEGURANÇA EM CURITIBA E VER QUE A GAZETA TEM RAZÃO, A SEGURANÇA AKI EM CURITIBA É UMA MERDA, OU FAÇA UMA VISITA AO EX-PREFEITO SAUL RAIZ, QUEM SABE ELE TE DIZ ALGUMA COISA, ELE ESTAVA DE CARRO NO CENTRO DA CIDADE ESSES DIAS.

  25. abdala mahua
    segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013 – 8:35 hs

    Calma lá! Se o problema é 1 crime por minuto o jornal errou feio. Deve ser um crime a cada 2 minutos, talvez! Agora culpar o jornal é desviar a verdade da insegurança. Bandidos fogem em bando de cadeia, falta de policiamento inteligente, falta de mapeamento de locais perigosos e assim vaI. Outro dia, o ex prefeito foi baleado a menos de uma quadra do batalhão da PM e de uma delegacia de policia. E muitos crimes acontecem nas barbas da autoridades policias. É culpa do jornal esta estatística?

  26. Peninha
    segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013 – 8:48 hs

    A questão da violência urbana não é falta de segurança e nem de policiamento, e sim de educação e religião.

  27. Jussara Arruda
    segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013 – 9:51 hs

    Devemos nesse momento, analisar com calma. Qual o interesse de um jornal que a cada dia se apresenta mais como um “folhetim”, em desmoralizar a segurança pública? Será porque a eleição para governador está próxima e “eles” estão cada vez mais “próximos” do PT? Não podemos aceitar uma mídia que se parece no momento “dúbia”, espalhando o terror , noticiando que os índices de crimes está fora do controle, como se não existisse segurança pública, como se o cidadão não pudesse mais sair as ruas. Somente para fins eleitoreiros uma mídia marrom quer “ganhar” o cidadão. Acredito que o Dr. Cid seja uma pessoa extremamente capacitada, honesta, íntegra e competente (qualidades que não se via em outros tempos). Temos agora na segurança pública uma pessoa com coragem (já foi corregedor geral do Estado). A pasta de segurança pública é uma pasta complicada, quase que inadministrável. Vamos dar um tempo para o Dr. Cid “arrumar a casa”.

  28. Nobre Cristão
    segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013 – 10:16 hs

    Esta Gazeta … até quando vamos suportar esta quadrilha midiática?

  29. Emerson Arzua
    segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013 – 10:31 hs

    Acho que o Secertario Cid Vasques é um homem sério e de culhão, mostrando que não possuí rabo preso com jornal algum. Estou ouvindo sua entrevista na radio CBN neste momento. Com aquela voz mansa e serena ele vai colocando os pingos nos ís….

  30. Tá de brincadeira...
    segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013 – 12:49 hs

    O governo vem jogando seus “numerozinhos” na nossa cara faz tempo. Não importa se morriam 30 e agora morrem 28 por fim de semana. Estatística macabra!!!! A Segurança está à deriva, assim como boa parte do governo Richa. Que secretário é esse que assume e não tem sequer autonomia para definir os comandantes das polícias. Eta “governinho” que consegue trocar seis por meia-duzia e ainda sair no prejuízo!!!! O barril de pólvora está com o pavio aceso, é só questão de tempo. O governador fez sua opção pelas cúpulas das polícias, agora aguente o rojão!!!

  31. rogerio
    segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013 – 16:30 hs

    só uma pergunta > quem aqui já foi abordado, seja em blitz, seja na rua, seja em qq lugar por um policial ? nunca ? pois é , os bandidos tb não são !
    to vendo muita politicagem em cima da segurança acontece que ninguem divulga mentira, mesmo com segundas intenções. O que se discute é a porcaria de segurança publica deste Estado, que é inexistente !! Ou entao me diga qual o projeto de sucesso da área no Governo que esta ai ????

  32. TRABALHADOR
    segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013 – 20:16 hs

    O Paraná em matéria de segurança, comparando aos outros estados brasileiros, realmente está em uma situação melhor. Mas é que os Paranaenses são um povo muito bom, gente de bem e trabalhadora. Não que os outros não sejam, mas aqui as pessoas são melhores.São um pouco grosso e egoísta no trânsito, mas é uma gente bem mais disciplinada do que os demais brasileiros. Pena que o Paraná não seja um país.

  33. ROSANA
    terça-feira, 26 de fevereiro de 2013 – 0:23 hs

    PARABÉNS aos comentários equilibrados e verdadeiros feitos pelo OBSERVADOR e outros que não sabem o que o grupo RPC (filiada e REDE GLOGO) e a Gazeta do Povo estão querendo. È muito simples eles estão comprados pelo PT e em contrapartida estas emissoras e os grupos ligados a elas tem que eleger alguém do PT para comandar os ESTADOS e o PAÍS. CUIDADOS EMISSORAS DEPOIS QUE ELES ESTIVEREM SE ALASTRADO E DOMINADO O PAIS ELES VÃO AMORDAÇAR A IMPRENSA, DAÍ NÃO ADIANTA MAIS ESPERNEAR.

  34. Parreiras Rodrigues
    terça-feira, 26 de fevereiro de 2013 – 10:07 hs

    Uns e outros ai em riba, comentaram a tentativa de assalto ao dr. Saul Raiz debitando-a à falta de segurança, como se fosse possível a presença dum policial como carona de cada motorista curitibano ou uma guarnição em cada semáforo.
    Ninguém atenta que existe uma mercadoria circulando por ai, desde 1998, mais perseguida que as perseguidas das mulheres peras, melões, melancias.
    E que essa mercadoria, e outras assemelhadas, mais os instrumentos usados na sua busca, entram às toneladas pelas fronteiras desguarnecidas com os países exportadores e, coincidentemente, privilegiados membros do círculo de amizades do partido que dá sustentação ao governo federal.
    E que durante 15 anos, o efetivo policial paranaense permaneceu o mesmo, embora alguém insistisse em rotular a área como a melhor do Brasil!
    Ainda nem se reportam à legislação, à Justiça que passa a mão na cabeça do rapazote de 15, 16, 17 anos que, chapado, sai por ai, pistola em punho, na camiseta escrito: Eu sou o cara!

  35. Neto
    terça-feira, 26 de fevereiro de 2013 – 11:04 hs

    Na cidade de Maringa estamos vivendo dias de baixada fluminense

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*