Portuários de Santos vão parar na sexta-feira contra MP dos portos | Fábio Campana

Portuários de Santos vão parar na sexta-feira contra MP dos portos

Trabalhadores do Porto de Santos anunciaram que irão parar por seis horas na próxima sexta-feira (22) como parte da mobilização por mudanças da Medida Provisória (MP) 595.

De Bruno Bocchini, Agência Brasil:

São Paulo – Trabalhadores do Porto de Santos anunciaram que irão parar por seis horas na próxima sexta-feira (22) como parte da mobilização por mudanças da Medida Provisória (MP) 595, publicada em dezembro de 2012, que estabelece nova legislação para os portos.

Hoje (18), portuários de Santos invadiram um navio chinês como ato de protesto contra a MP. Para os trabalhadores, a nova legislação irá precarizar o trabalho nos portos. “O diálogo e mudanças na MP só trarão benefícios para a sociedade”, disse o presidente da Força Sindical, Paulo Pereira da Silva. A entidade pede mais discussão sobre a medida provisória.

A MP 595, em tramitação no Congresso Nacional, deverá ser analisada até o dia 17 de março, quando começa a trancar a pauta. A matéria recebeu 646 emendas no Senado e será analisada por uma comissão parlamentar mista, que deve ser instalada nos próximos dias.

O governo anunciou hoje que um primeiro bloco de terminais marítimos será licitado no primeiro semestre. A licitação faz parte do plano do governo federal de atrair investimentos de R$ 54,2 bilhões até 2017, para reduzir o preço do frete no país. Da lista de 159 terminais, incluindo 42 novos, há áreas de arrendamento no Porto de Santos e no complexo portuário de Belém (PA), que serão licitadas no primeiro lote.

Direitos autorais: Creative Commons – CC BY 3.0


2 comentários

  1. TRABALHADOR
    terça-feira, 19 de fevereiro de 2013 – 9:59 hs

    Toda vez que se fala em modernização e mudança nos portos Brasileiros é essa briga com o pessoal. Se as modernizações dos portos dependesse da visão dos portuários, ainda haveria estivadores carregando saco nas costas para os navios. Porto é para um lugar para embarcar e desembarcar mercadorias, uma porta de riqueza para o país, para todos o seus cidadãos, não foi feito para ser cabide de emprego e beneficiar uma minoria. Vão lá no porto ver como essa gente é encostada, tudo do jeito deles e no seu ritmo. Eles não merecem o que tem, privatização e modernização dos portos já, fim do cabide de emprego que come o dinheiro do contribuinte.

  2. Parreiras Rodrigues
    terça-feira, 19 de fevereiro de 2013 – 10:40 hs

    Tô com o governo.

    E não estou só. Todos os que sabem da máfia que é o serviço portuário.

    Tal qual a turma que defende a Petrobrás dentro da máxima de O Petróleo é nosso. Os que ostentam gordos olerites, que se aposentam – e bem, precocemente, contando o tempo triplicado que passam em alto mar, nem nunca sequer terem visto de perto uma plataforma e os “conselheiros”, geralmente ministros e achegados do poder – agora e sempre, desde Getúlio, que engordam os seus contracheques com os jetons das assembléias.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*