Polícia detém servidoras de Apucarana acusadas de fraudes na merenda | Fábio Campana

Polícia detém servidoras de Apucarana acusadas de fraudes na merenda

Da Tribuna do Norte:

Duas servidoras da Prefeitura de Apucarana e dois funcionários de uma empresa de Maringá foram detidos por policiais civis, nesta sexta-feira (1), sob a suspeição de emiterem notas de recebimentos de itens da merenda escolar sem que as mercadorias fossem entregues de fato.

Segundo a polícia, as detenções ocorreram após denúncia à atual administração municipal dando conta que as duas funcionárias públicas de Apucarana seriam suspeitas de fraudes no processo de recebimento de produtos utilizados na merenda escolar.

Elas foram encaminhadas à 17ª Subdivisão Policial (SDP) para os procedimentos legais adotados nesse tipo de situação.

As duas teriam assinado hoje (1) nota de recebimento de uma compra feita junto a uma fornecedora de Maringá no total de R$ 50 mil, mas após checagem foi apurado que apenas R$ 30 mil em produtos para a merenda escolar haviam sido entregues.

Conforme fontes da Prefeitura, a mesma empresa de Maringá faria a entrega hoje de produtos na Autarquia Municipal de Saúde de Apucarana (AMS), mas a informação preliminar é de que apenas a nota fiscal teria sido repassada, sem que nenhuma mercadoria fosse deixada na AMS.

O procurador jurídico da Prefeitura de Apucarana, advogado Paulo Sérgio Vital, explicou detalhadamente a situação.

A nutricionista Mariana Livrari, do Departamento de Merenda Escolar, e auxiliar administrativa Rosângela Minêo, da Autarquia Municipal de Educação, no entanto, negam que cometeram qualquer irregularidade. Elas afirmam que teriam adotado o procedimento com o conhecimento da Controladoria do município.

Leia mais na edição de sábado (2) da Tribuna do Norte – Diário do Paraná.


Um comentário

  1. sábado, 2 de fevereiro de 2013 – 22:08 hs

    Azar das mesmas se fossem dep est ou fed ou senadores,estariam foram dessa arapuca n é mesmo?

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*