Os bastidores da renúncia de Bento XVI | Fábio Campana

Os bastidores da renúncia de Bento XVI

“Depois de ter examinado repetidamente a minha consciência diante de Deus, cheguei à certeza de que as minhas forças, devido à idade avançada, já não são idôneas para exercer adequadamente o ministério de São Pedro.”, anunciou o Papa Bento XVI.

O jornal Público, de Portugal, há meses desenha um quadro difícil para Bento XVI. Diz ele que o Papa não controla a Cúria, cartas falam de corrupção e Bento XVI preocupa-se com eventuais cismas. No Vaticano, os últimos meses adensaram o ambiente de fim de pontificado.

“A Cúria Romana tornou-se um monstro ingovernável que o próprio Papa, de perfil sobretudo intelectual e académico, já não consegue controlar.

No Vaticano, nas vésperas do sétimo aniversário da eleição de Bento XVI, parece viver-se já um ambiente de final de pontificado, semelhante ao que caracterizou a última década de João Paulo II.

O diagnóstico é feito por responsáveis do Vaticano ouvidos pelo PÚBLICO e resulta de diferentes episódios dos últimos meses, onde não faltaram acusações de lutas pelo poder e a divulgação de cartas dirigidas ao Papa a denunciar corrupção.

Também há quem relativize, dizendo que os casos apenas traduzem luzes e sombras de uma instituição plural, onde convive o melhor e o pior da natureza humana. O PÚBLICO escolheu nove casos recentes que traduzem este ambiente e falou com vários observadores no Vaticano.

A estrutura central do catolicismo parece colada com cuspo. Bento XVI, que em Fevereiro se tornou o sexto Papa mais velho dos últimos 700 anos, já não tem mão na Cúria. Ao mesmo tempo, tenta evitar a custo um cisma dos católicos germânicos.”
Ele é o quarto Papa a renunciar ao cargo. Antes dele, o Papa Ponticiano deixou a liderança da Igreja Católica no ano de 235. Depois vieram Celestino V, em 1294; Gregório XII, em 1415. Com a renúncia de Gregório XII foi possível acabar com o chamado Cisma do Ocidente, quando a Igreja chegou a ter um papa legítimo (Gregório XII) e dois antipapas, um em Avignon na França e outro em Pisa.


13 comentários

  1. segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013 – 15:27 hs

    corrupção existe em todo o lugar na assembléia de DEUS , CONGREGAÇÃO CRISTÂ DO BRASIL , absolutamente em todos os lugares há corrupção . A PALAVRA DE DEUS É A MESMA MAS OS HOMENS SÃO IGUAIS ,,,,,,,

  2. Max
    segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013 – 16:50 hs

    Este Papa teve atitude corajosa e humilde. Sabe que sua saúde está frágil e pode delegar o poder a outro para continuar a jornada.
    Ah! se nossos polítiquinhos tivessem a mesma sabedoria , tudo seria bem melhor

  3. segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013 – 17:00 hs

    Imaginem se o Lula, Renan Calheiros, Jose Sarney e outros controlassem a a curia, so o Batman Joaquin para salvar.

  4. neuraldo rocha
    segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013 – 17:52 hs

    QUE BOM O DIA QUE DILMA, VAI RENUNCIA, QUE NOTICIA BOA. COLOQUE LOGO ESSA NOTICIA FABIO;;;;;;

  5. Padre Aneico
    segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013 – 18:02 hs

    Toda renuncia tem força externa.

  6. Padre Aneico
    segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013 – 18:59 hs

    O Sr Sir Ney acaba de me pedir a segunda via do atestado de batismo, vai mandar para o Vaticano. A minha inocência não consegue entender para oque?

    Em tempo, já enviei para o Maranhão.

  7. sergio silvestre
    segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013 – 19:38 hs

    Lá por volta de 1961,as portas do concilio vaticano ll,estava eu com oito anos de idade,estudava num seminario,por carencia e por ser acima da media dos outros alunos.
    Já naquela epoca comecei perceber a aflição de algumas freiras e irmãos professores.]
    Tinha na irmã IZAURA uma segunda mãe ,e notava de vez em quando seu choro de alguma saudade dos pais e irmãos,ou alguma frustação
    que tinha dentro do seminario.
    Penso hoje na irmão IZAURA,que poderia ter filhos ,que poderia ter alegria,que não precisasse ter ficado toda sua vida na clausura.
    A irmã IZAURA se estiver viva em algum convento deve ser uma anciã
    que passou a vida dedicada a religião.Esta mesma religião que corrompe,que fere,que maltrata até seus propagadores.
    Deus não quer ninguem a vida toda se doando para ele.Quer o homem feliz e fazendo a felicidade dos filhos ,da familia e dos netos,Tomara que a irmã Izaura hoje esteja cercada de filhos e netos.pois pela grandeza do nosso criador a aceitará bem mais do que na clausura.

  8. Carlos Bahia
    segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013 – 22:08 hs

    A Igreja Católica de Roma surgiu no fim do segundo século como Igreja-Estado. Embora seja uma instituição religiosa, funciona como uma organização governamental. A sede do governo fica em Roma com províncias em todo o mundo. Por ser universal está sujeita as mais diversas influencias culturais. Os dogmas são os principais entraves para a renovação da igreja.
    Segundo o filósofo e teólogo Leonardo Boff, o novo papa deverá ser mais carismático e amoroso como um pastor.

  9. olhar clínico
    segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013 – 22:35 hs

    Muitas especulações sobre os motivos e desdobramentos, DEUS NOS DEFENDA ! AMÉM !!!! ALELUIA !!!!! CRISTO SALVA.

  10. Trabalhador
    segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013 – 23:24 hs

    A igreja católica é extramente ortodoxa, perseguiu movimentos justos, como a teologia da libertação. Nosso prezado papa perseguiu pessoalmente nosso querido Leonardo Boff, defensor da doutrina, até fazê-lo desistir da batina; isso nos tempos que cuidava da Congregatio pro Doctrina Fidei. Os movimentos evangélicos são marcados por intensa participação dos jovens, mas isso na nossa velha igreja católica não é tão instenso. Que Deus nos ajude para renovarmos e assim caminharmos de mão dadas e construirmos o mundo fraterno que nosso querido Jesus veio nos inspirar.

  11. Tânia
    terça-feira, 12 de fevereiro de 2013 – 11:28 hs

    Concordo com vc marcio, parabens ao lider católico que reconheceu isto e renunciou, gesto de coragem e honradez, raros nos últimos dias.

  12. Serpa
    terça-feira, 12 de fevereiro de 2013 – 11:41 hs

    A ideia de um Papa com perfil essencialmente religioso, não combina com o fato de que ele, Papa, tem que comandar uma megaestrutura organizacional, com interesses diversos e todas as idiossincrasias e estilos de caráter que permeiam o ambiente da Igreja Católica. Somente um Papa “mafioso” daria conta, conseguiria domar a instituição. É muita briga, confusão, inveja, vingança, luta pelo poder. A Igreja não é nada daquilo que você vê durante uma singela missa, não, não é nada disso. O melhor da Igreja é quando você vai a um templo orar, refletir; o pior da Igreja é o Vaticano, um lugar que não tem nada a ver com religião…

  13. terça-feira, 12 de fevereiro de 2013 – 15:04 hs

    Podem terem certeza q nesse angu tem caroço e o tempo dirá.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*