Maioria acha caro o preço da passagem de ônibus | Fábio Campana

Maioria acha caro o preço da passagem de ônibus

A Paraná Pesquisas foi às ruas para saber o que pensa o curitibano sobre o preço das passagens de ônibus. Entrevistou 430 habitantes de Curitiba maiores de 16 anos e concluiu: a maioria acha caro. Veja os números na tabela abaixo:

Os entrevistados foram questionados ainda sobre um provável aumento na tarifa do transporte coletivo. Veja o resultado e outros dados da pesquisa no Leia Mais.

O trabalho de levantamento dos dados foi feito através de entrevistas pessoais em Curitiba durante os dias 23 a 25 de janeiro de 2013, sendo acompanhadas 19,77% das entrevistas. Essa amostra representativa do município de Curitiba atinge um grau de confiança de 95,0% para uma margem estimada de erro de 5,0%.


6 comentários

  1. Law
    quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013 – 16:05 hs

    A tarifa de 2,60 já é caríssima. Se subir ainda mais, o número de usuários vai continuar despencando e os congestionamentos ainda piores. É certo também que o subsídio não é a única medida a ser providenciada pelo atual Prefeito. Há muito o que se fazer para melhorar a qualidade, a eficiência dos serviços, atraindo mais usuários. Se houver greve (lockout), a saída não será aumentar a tarifa, mas sim chamar novos operadores, rever/anular a licitação realizada em 2010 que, como todos sabem, não buscou assegurar tarifas módicas!

  2. TRABALHADOR
    quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013 – 16:35 hs

    O transporte coletivo de Curitiba é caríssimo. Dá-se a desculpa que com uma passagem você anda na cidade inteira, etc..Mas a maioria dos passageiros resolve seu problema com 1 ou 2 linhas, no máximo 3…Custa R$ 2,60 cada passagem, o litro do Diesel cerca de R$ 2,10…Quer dizer cada pagante coloca 01 litro de Diesel no sistema e sobra dinheiro…O problema é político, criou-se um cabidão de emprego chamado URBS, tem o sindicato dos motoristas que mordem um monte de dinheiro em cima, os fabricantes de ônibus pendurados no custo da tarifa…Traduzindo, a tarifa dos coletivos de Curitiba virou um elefante branco, tem um monte de chupim mamando…Então precisa tornar o sistema eficiente e alimentar a concorrência. Tem que liberar mais placa de táxi, liberar VAN, liberar “Moto-Táxi”…A prefeitura de Curitiba tem que deixar de atrapalhar e amarrar o sistema, ele vai se auto regular….Mas não vai acontecer…Sabe porque? Dono de empresa de transporte coletivo é tudo político, se não está lá, tem o dedinho lá por intermédio de alguém, são parasitas e não vai deixar de mamar e explorar o povo…

  3. Zangado
    quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013 – 17:16 hs

    É justamente por esse motivo que o então prefeito ora governador e depois seu sucessor subsidiaram o preço para não ter que enfrentar esse “mico”, mas, exclusivamente por motivos de carreirismo político.

    O carreirismo político, propiciado pela sistemática de eleições a cada dois anos e possibilidade dde reeleição, joga na lata de lixo a competência administrativa em resolvder as questões.

    Tudo é perfunctório, o que interessa é manter cargos e mandatos públicos – as “heranças” malditas ficam para os outros que vem atrás.

    Fruet terá que resolver o problema, que, na verdade, é mais devido à irresponsabilidade dos antecessores do que aos fatos em si.

    Ou achamos que a inflação e o aumento dos custos não estão embutidos ou mascarados em tudo que pagamos?

    Comecem a abrir os olhos, otários eleitores da politicagem carreirista desse país !!!

    Quem está pagando a conta cada vez maior é você !!!

  4. Anônimo
    quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013 – 21:36 hs

    SEMPRE QUE MEXER NO BOLSO, TODO MUNDO É CONTRA. ESTAMOS NO CAMINHO DE UMA FUTURA GRÉCIA/ESPANHA/PORTUGAL….ETC…. SÓ BONDADE, E QUEM VAI PAGAR ESTA CONTA NO FINAL, ENQUANTO EXISTIR FINANCIADOR TUDO BEM…AGUARDEMOS, COMO DIZIA O COLLOR ‘O TEMPO É O SENHOR DA RAZÃO’…

  5. Constanza Del Piero
    quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013 – 21:58 hs

    É lógico que é um roubo!
    O problema, é que a politicada safada precisa fazer cortezia, e o faz com o chapéu alheio. Trinta por cento de quem sobe no ônibus, não paga. Criança; velho; polícia; carteiro; deficiente, etc etc. Quem não se enquadra nessa turma, como eu, pago a minha, e a do meu cumpanhero de banco, sem conhecê-lo.

  6. Trabalhador
    quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013 – 10:54 hs

    As piores linhas são as Quatro Barras, tanto a via BR 116 como a via Graciosa. Transporte sem integração com Curitiba, com poucos horários e os ônibus sempre lotados e atrasados,mesmo fora do horário de pico. A prefeitura nada faz e o povão desamparado sofre demais!!!!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*