Luciana propõe ampliar odontologia hospitalar | Fábio Campana

Luciana propõe ampliar odontologia hospitalar

A deputada estadual Luciana Rafagnin (PT) deu entrada na Assembleia Legislativa do Paraná (ALEP) ao Projeto de Lei nº 46/2013, que altera o texto da Lei nº 16.786/2011 sobre a obrigatoriedade da presença de profissionais de odontologia nas Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) dos hospitais públicos e privados do estado, também de autoria da parlamentar. Pela nova proposta, a obrigatoriedade da presença de profissionais da odontologia se estende às equipes multidisciplinares existentes no ambiente hospitalar como um todo e não apenas às UTIs, responsáveis por cuidados com a saúde bucal dos pacientes internados. Ainda nesta semana, a deputada se reuniu em audiência com representantes da Secretaria de Estado da Saúde (SESA) – Léo Kriger, coordenador de Saúde Bucal, e Romeu Munaretto, chefe de gabinete – e da Comissão de Odontologia Hospitalar do Conselho Regional de Ondontologia do Paraná (CRO), Regina Martins Schmitt e Karoline Tulio.

“Estender a todo ambiente hospitalar a presença de cirurgião dentista é levar aos pacientes internados um cuidado essencial para prevenção e tratamento de doenças”, disse Luciana. “Fronteiras estão se abrindo nas universidades e também no exercício profissional em torno desse conhecimento. Com a alteração da lei nesse sentido, estamos diante da oportunidade de definir um padrão de atendimento que pode vir a ser referência para outros estados”, completou a parlamentar.

“Essa inserção tem o poder de mudar o conceito de atendimento em saúde bucal nos hospitais, porque remete à prevenção e ao controle de doenças para melhorar a condição do dente e não só restaurá-lo”, disse Léo Kriger. “É o caso do tratamento da cárie e do procedimento adotado para tratar a lesão que a doença cárie causa ao dente”, informou. Para o coordenador de Saúde Bucal da SESA, após a alteração no texto, a lei fica mais abrangente e o projeto não deverá enfrentar resistência na base governista da Assembleia Legislativa durante sua tramitação.

“A ideia é melhorar a condição do dente e, consequentemente do paciente, de um modo geral a partir, por exemplo, da remoção de focos infecciosos”, comentou a Karoline Tulio. Regina Schmitt também se mostrou entusiasmada com a tramitação desse novo projeto e acrescentou que a existência da lei coloca o Paraná em uma posição de vanguarda diante dos demais estados. “O único local em que a lei está funcionando ainda é aqui. O próximo passo será qualificar os profissionais das redes pública e privada nesse atendimento especializado”, disse Schmitt.


2 comentários

  1. TRABALHADOR
    sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013 – 16:25 hs

    E o SUS vai dar conta de pagar? Já tão matando os coitados dos pacientes nas UTI, para dar espaço para outros. O Projeto é bacana, mas funcionar é outro papo..

  2. Vigilante do Portão
    domingo, 24 de fevereiro de 2013 – 6:19 hs

    Sempre CRIANDO DESPESA.

    Sugiro que ela converse com a Dilma, solicitando aporte de verbas para o projeto.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*