Grupo de produtores rurais recebeu Dilma com protesto em Cascavel | Fábio Campana

Grupo de produtores rurais recebeu Dilma com protesto em Cascavel

Com faixas, os agricultores gritaram palavras de ordem para a presidente Dilma Rousseff (César Machado/Vale Press).

De Luiz Carlos da Cruz, Gazeta do Povo:

Um grupo de 300 produtores rurais do Paraná e Mato Grosso do Sul recebeu a presidente Dilma Rousseff com protesto nesta segunda-feira (4) em Cascavel, no oeste do Paraná. Eles querem uma solução para frear a onda de invasões de terras promovida por índios principalmente nas cidades paranaenses de Guaíra e Terra Roxa, além de Coronel Sapucaia e Iguatemi, no Mato Grosso do Sul.

Dilma que estava em um carrinho de golfe ao lado do presidente da Coopavel, Dilvo Groli, quando os manifestantes iniciaram o protesto. Com faixas e cartazes eles gritavam palavras de ordem. “Não, não, não, diga não a invasão” era o coro repetido pelos manifestantes. De acordo com Groli, Dilma teria dito que “isso é normal para um país que precisa fortalecer a democracia”.

Os produtores conseguiram entregar à Dilma um documento pedindo apoio do governo federal para que haja reintegração de posse nas áreas invadidas. De acordo com Tarcísio Barbosa de Souza, presidente da Comissão de Políticas Fundiárias da Federação da Agricultura do Paraná (Faep), as invasões estão desestabilizando os produtores rurais da região. Segundo ele, os agricultores estão dispostos a novas mobilizações para resolver o problema.

Eduardo Corrêa Riedel, presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Mato Grosso do Sul (Famasul), diz que a o problema se arrasta desde 2008. Ele afirma temer por conflito agrário caso a situação não seja resolvida. “Não sabemos onde isso vai parar se não houver uma intervenção rápida”, conta.

Nas regiões oeste e noroeste do Paraná, cerca de 1.300 índios estão ocupando áreas de produtores. Eles alegam que o espaço já foi uma reserva indígena e cobram a demarcação de 100 mil hectares. Segundo os agricultores, índios paraguaios se uniram aos brasileiros para engrossar o movimento. A Faep diz que muitos dos invasores estão sendo aliciados por traficantes de drogas e armas na região.

Dilma não comentou sobre o problema mas, aos produtores rurais, afirmou que o governo vai se empenhar para resolver a situação.


6 comentários

  1. Elton
    segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013 – 17:44 hs

    Pelo que fiquei sabendo esse protesto era direcionado para o Beto Richa.

  2. sergio silvestre
    segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013 – 18:28 hs

    Os 300 ai não teriam suportado um pouco a batalha das TERMOPILAS,pois só uns dez seguram as armas e os outros 290 bravos manifestantes devem estar no ORACULO OU ESCONDIDOS da DILMA.

  3. Henrique Júnior
    segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013 – 21:44 hs

    Porra, depois sou eu que falo só merda aqui no blog né serginho?

  4. Proteu Dela Rue
    terça-feira, 5 de fevereiro de 2013 – 0:30 hs

    Manifestação inapropriada, descabida e intempestiva. Como paranaense fiquei constrangido. O momento do protesto estava fora da razoabilidade. PARECE que o Governador não leva sorte mesmo, ainda que queira ser hospitaleiro, os correligionários dão um jeitinho de sacaneá-lo, de torpedeá-lo. Essa tucanada é de embaraçar imagem de santo na quaresma.Ficou feio para o nosso Estado a legítima manifestação.

  5. Olho Vivo
    terça-feira, 5 de fevereiro de 2013 – 9:31 hs

    Manifestação mais do que justa e é chegada a hora da presidente Dilma saber que no campo as coisas não andam nada bem, nem tudo é um mar de rosas como alguns tentam mostrar. A coisa só está as mil maravilhas para quem é filiado ao PT, ou tem algum padrinho PTista.

  6. Parreiras Rodrigues
    terça-feira, 5 de fevereiro de 2013 – 11:12 hs

    Que que tem esse movimento com “tucanalhada”, Proteu?

    Nem PSDB, sou, mas essa birra se escora em que?

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*