Fernanda Richa visita Centro de Socioeducação | Fábio Campana

Fernanda Richa visita Centro de Socioeducação

Fernanda Richa esteve nesta sexta-feira (22) participando de encontro com gestores em Ponta Grossa e aproveitou para fazer uma visita ao Centro de Socioeducação (Cense) e a Casa de Semiliberdade. As duas fazem parte de um conjunto de medidas que o Paraná esta fazendo para melhorar o sistema de socioeducação no Estado.

Para a reforma dos dezoito Centros de Socioeducação e das seis Casas de Semiliberdade, o Governo do Estado esta aplicando R$ 43 milhões do Fundo da Infância e Adolescência para as reformas. Os centros de socioeducação são unidades de educação e reinserção social para adolescentes em conflito com a lei. Atualmente, o Estado conta com dezoito Censes e seis Casas de Semiliberdade.


5 comentários

  1. Fernando
    sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013 – 19:01 hs

    Os Educadores Sociais tem um carinho muito especial para com a Sr. Fernanda…

  2. diolho
    sábado, 23 de fevereiro de 2013 – 0:14 hs

    FERNANDA, é maravilhosa super mulher! queremos vc vitoriosa em 2014. Gente nossa !.

  3. Gilmar Trento
    sábado, 23 de fevereiro de 2013 – 8:41 hs

    Uma pergunta ela foi de helecoptero ?

  4. Parreiras Rodrigues
    domingo, 24 de fevereiro de 2013 – 13:55 hs

    Helicópteros – é assim que se escreve – são feitos prá voar.

  5. Valéria Tortato
    domingo, 24 de fevereiro de 2013 – 15:39 hs

    O governo do Paraná teve a coragem de anunciar concurso para professores e pedagogos com salários de R$ 1.044,00 (20 horas) e R$ 304,00 vale não sei o que, não sei o que porque não vale nada mesmo. Depois a crítica de que o professor é desmotivado, ruim mesmo vem a galope…Ora, o que esperar de um país que trata seus professores como idiotas? Idiotas, sim, porque o governo ainda tem a coragem de falar em educação continuada a esses profissionais. Sou professora na iniciativa privada, fico feliz nessa hora por não depender da mediocridade de um governo inerte e quase pobre intelectualmente ,mas não conformada. Já fui funcionária do Estado e pedi exoneração pela mesma falta de respeito de governos anteriores. Semana passada, estive em uma livraria e lá deixei quase R$ 500, 00 para subsidiar minha educação continuada…e o o governo ainda fala em vale o que mesmo? Nem cesta básica, Sr. governador!!!! Temos que nos conformar que a profissão de educador é assim mesmo? De que quando entramos para cumprir nossa missão já sabíamos que o salário não seria lá aquelas coisas…por favor, Sr. governador, seja mais inteligente, não queremos esmolas, mas reconhecimento! Depois dizer que a educação vai de mal a pior vira clichê em épocas de eleição. Mas a sua época logo vai chegar, conte com nossa bolsa, preclaro governador, bolsa o que mesmo?

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*