Beto planeja investir R$ 100mi no sistema de água e esgoto de Ponta Grossa | Fábio Campana

Beto planeja investir R$ 100mi no sistema de água e esgoto de Ponta Grossa

O governador Beto Richa, por meio da Sanepar, planeja investir mais de R$ 100 milhões na ampliação dos sistemas de abastecimento de água e de coleta e tratamento de esgoto de Ponta Grossa. Esse planejamento inclui projetos que já estão em execução, obras que devem ter início nos próximos meses – que somam R$ 26,6 milhões -, e pleitos feitos junto ao governo federal por meio do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) que totalizam mais de R$ 74 milhões.

De acordo com o deputado Plauto Miró (DEM), 1º secretário da Assembleia Legislativa, os investimentos previstos possibilitarão a realização de obras importantes para os ponta-grossenses. “Com esses recursos o governo do Estado poderá cumprir o compromisso de universalizar o saneamento no Paraná e oferecer mais qualidade de vida à população”.

Dentro do projeto de ampliação da distribuição de água, a Sanepar concluirá nas próximas semanas obras de instalação de equipamentos e implantação de adutoras e redes de distribuição de água, beneficiando os moradores de Uvaranas, Alto Paraíso e Jardim Conceição. Ainda este ano devem ter início as obras de melhoria nas adutoras dos rios Pitangui e Verde e reforçada a segurança das adutoras das captações Pitangui e Alagados.

Com aprovação de recursos federais, o Governo pretende investir R$ 54,6 milhões na implantação de mais de 20 mil metros de adutoras de água tratada, na substituição de 40 mil metros de redes de ferro fundido por PVC e na construção de três reservatórios, cada um com capacidade de 5 milhões de litros de água tratada. Esses reservatórios devem ser implantados nos bairros Uvaranas, Maria Otília e Los Angeles.

O sistema de coleta e tratamento de esgoto também está recebendo obras em todo município, com recursos que superam R$ 15 milhões. Estão em fase de conclusão obras nas estações de tratamento Santa Bárbara e Verde.

Na carta apresentada ao Ministério das Cidades, a Sanepar pleiteia R$ 19,5 milhões para implantação de 49 mil metros de redes coletoras de esgoto, coletores e linhas de recalque; mais 1.700 ligações domiciliares; construção de três estações elevatórias e ampliação das estações de tratamento Congonhas, Gertrudes, Ronda e Olarias. Também deve ser construída a estação de tratamento Taquari.


4 comentários

  1. TRABALHADOR
    quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013 – 9:40 hs

    Em vários estados está ocorendo a municipalização dos serviços de água e esgoto. Já é realidade no Rio Grande do Sul, alguns municípios de Santa Catarina, no Mato Grosso e outros estados. Fica a cargo dos municípios fazê-los ou não.Não sei se é bom ou ruim no final das contas, mas companhias menores dividiriam assim o poder e estariam mais próximas de seus clientes. Aí não haveria a necessidade de uma empresa tão grande que cobra para jogar nossos esgotos nos rios, com tantos cabides de emprego e estacionamento de políticos sem cargo e sem talento. Agora porque aqui no Paraná ainda não se pensou, é uma incognita…Será que o governador é contra ou a favor?

  2. Geraldo
    quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013 – 10:58 hs

    E na rua Hellena Betecek, no Butiatuvinha, na Capital Ecológica, nem um tostão, e os pouco moradores, leia-se, eleitores, tem que conviver eternamente com fossas sépticas…

  3. quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013 – 11:20 hs

    A Sanepar é uma empresa de respeito e enche de orgulho a nós paranaenses. Parabéns

  4. Vigilante do Portão
    quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013 – 12:11 hs

    Insisto:

    E a “bananosa” do esgoto no Rio Iguaçu, como ficou?

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*