Sta. Maria – A maior tragédia de nossas vidas | Fábio Campana

Sta. Maria – A maior tragédia de nossas vidas

Por Fabrício Carpinejar. “Poeta, cronista e louco pela verdade a ponto de mentir”

Morri em Santa Maria hoje. Quem não morreu? Morri na Rua dos Andradas, 1925. Numa ladeira encrespada de fumaça.

A fumaça nunca foi tão negra no Rio Grande do Sul. Nunca uma nuvem foi tão nefasta.

Nem as tempestades mais mórbidas e elétricas desejam sua companhia. Seguirá sozinha, avulsa, página arrancada de um mapa.

A fumaça corrompeu o céu para sempre. O azul é cinza, anoitecemos em 27 de janeiro de 2013.

As chamas se acalmaram às 5h30, mas a morte nunca mais será controlada.

Morri porque tenho uma filha adolescente que demora a voltar para casa.

Morri porque já entrei em uma boate pensando como sairia dali em caso de incêndio.

Morri porque prefiro ficar perto do palco para ouvir melhor a banda.

Morri porque já confundi a porta de banheiro com a de emergência.

Morri porque jamais o fogo pede desculpas quando passa.

Morri porque já fui de algum jeito todos que morreram.

Morri sufocado de excesso de morte; como acordar de novo?

O prédio não aterrissou da manhã, como um avião desgovernado na pista.

A saída era uma só e o medo vinha de todos os lados.

Os adolescentes não vão acordar na hora do almoço. Não vão se lembrar de nada. Ou entender como se distanciaram de repente do futuro.

Mais de duzentos e cinquenta jovens sem o último beijo da mãe, do pai, dos irmãos.

Os telefones ainda tocam no peito das vítimas estendidas no Ginásio Municipal.

As famílias ainda procuram suas crianças. As crianças universitárias estão eternamente no silencioso0

Ninguém tem coragem de atender e avisar o que aconteceu.

As palavras perderam o sentido.


16 comentários

  1. Luiz de Colombo
    domingo, 27 de janeiro de 2013 – 20:24 hs

    O fato foi trágico e a dor insuperável. Infelizmente é sempre assim. As tragédias acontecem, há uma comoção inicial, mas logo estará tudo esquecido. Não esquecem os pais, irmãos, amigos mais próximos das vítimas. Tudo o que se fala agora em termos de falhas e deficiências é tarde, pois as ações deveriam ser tomadas antes da balada e a culpa é de todos: empreendedores e participantes, pois a questão segurança sempre fica em plano inferior. Infelizmente a realidade é esta.

  2. Almir
    domingo, 27 de janeiro de 2013 – 20:43 hs

    Como pai de adolescentes, me coloco no lugar de centenas de pais que não poderão mais abraçar seus filhos. Tragedia que poderia ser evitado se as autoridades públicas levassem a sério as regras e normas que são feitas para sererm seguidas, no caso os aspectos de insegurança detectado na boate em Santa Maria que vitimou nossos jovens. Até quando seremos coniventes com isso?

  3. Darcy
    domingo, 27 de janeiro de 2013 – 20:45 hs

    É verdade, mais uma grande tragédia.
    Também não nos esquecemos do grande acidente da TAM e que até hoje o governo que aí está , nada fez para melhorar o sistema.

  4. EU ERA POLICIAL
    domingo, 27 de janeiro de 2013 – 23:16 hs

    Quando filmamos o BAR EL RANCHO com mais de 600 pessoas onde cabiam 140 e junto a ARAPUCA da porta de emergência os da prefeitura da época fizeram nada. Com 5 pareceres pela cassação o proprietário só recebeu PENA do Tribunal de Pequenas Causas. A casa fechou porque – dizem – faliu. Caso contrário ainda estaria funcionando feito ARAPUCA para os jovens de Curitiba.
    Lembro que por causa desse BAR até uma ONG foi fundada para tratar do barulho que em Curitiba continua graçando em cada esquina.
    Quantas casas funcionam feito o tal EL RANCHO que elegeu vereador – Fábio?

  5. Carlos Bahia
    segunda-feira, 28 de janeiro de 2013 – 0:14 hs

    Beijo do inferno
    Não somos previdentes, infelizmente precisa acontecer uma tragédia para tomar providência.
    São tantos tramites a ser seguido na ocasião da liberação do alvará de funcionamento. Paga-se taxa de bombeiro, taxa do Crea, várias taxas para prefeitura… para cada procedimento paga-se uma nova taxa.
    Não existe uma fiscalização continua, quando acontece a tragédia todos transferem a responsabilidade.
    Tem que haver mais rigor na liberação do alvará e melhor preparo do pessoal de segurança principalmente em bares e clubes. Contratam-se brutamonte, despreparado; sem qualificação adequada, colocam um paletó para defender somente o interesse da boate.
    Centenas de pessoas perdem a vida em uma tragédia que poderia ser evitada e no final não acontece nada e continuamos rezando por Santa Maria.

  6. Law
    segunda-feira, 28 de janeiro de 2013 – 0:39 hs

    Considerando o número de habitantes de Santa Maria e o número de mortos, trata-se de tragédia superior ao 11 de setembro!

  7. Gilda Poli
    segunda-feira, 28 de janeiro de 2013 – 9:14 hs

    Poeta que sempre me comoveu expressa hoje uma solidariedade sem limites, morro com voce, com os jovens que se foram, com este Brasil tão carente… Gilda.

  8. Emerson
    segunda-feira, 28 de janeiro de 2013 – 9:32 hs

    E aqui acham sensacionalismo fiscalizar na hora em que as boates estao funcionando…

  9. tadeu rocha
    segunda-feira, 28 de janeiro de 2013 – 9:45 hs

    quero dizer aos pai e as maes,dessa tragedia, tenho certeza absuluta que ELES JA ESTAO AO LADO DE DEUS, E FELIZES COM CERTEZA, nao concordo com a entrevista do coronel major nao me lembro bem, que a boate estava em perfeito estado, vamos ver,

  10. GRANDE MESTRE...
    segunda-feira, 28 de janeiro de 2013 – 9:53 hs

    MUITO, MAS MUITO MUITO TRISTE…..também morri um pouco !!!

  11. Enoque
    segunda-feira, 28 de janeiro de 2013 – 10:06 hs

    As duas filhas do Major que comandou a ação dos bombeiros estão salva motivo:Obedeceram seu pai.

    Em entrevista o Maj contou ao reporter que suas filhas pediram para ir ao evento e ele não permitiu.

  12. Paulo Bogart
    segunda-feira, 28 de janeiro de 2013 – 11:07 hs

    Sou Engenheiro de Segurança, e como tal, estou do Luto pelo descaso do nosso povo com as questões de relativas a segurança…
    Falam muito de reforma na área de educação, e nunca ouvi falar de ensinar as crianças a se comportar em situações de emergência… Ou seja, é desde pequeno que deveríamos aprender a lidar com tais situações.

    Realmente, está tudo errado, e muitíssimo errado!!!

  13. salete cesconeto de arruda
    segunda-feira, 28 de janeiro de 2013 – 14:01 hs

    Enquanto o DONO DA CASA NOTURNA não for o último a sair em casos de acidentes/incêncios… como o COMANDANTE DOS NAVIOS… continuaremos sem palavras. E sujeitos a todos os tipos de tragédia perdendo nossos jovens por sermos OMISSOS!

  14. Strapasson
    segunda-feira, 28 de janeiro de 2013 – 16:24 hs

    São muitas tristezas juntas: pelos jovens que se foram, pela dilacerante dor dos pais, irmãos, demais parentes e amigos.
    Conheço esta dor: perdemos um filho -17 anos – em um acidente de carro. É muito complicado seguir em frente.

    Mas têm também uma outra dor: por este Brasil tão despreparado, tão corrupto, “do jeitinho”, da dissimilação política, da falta de planejamento, do desrespeito, das falcatruas, dos conchavos sem fim…

    E agora? Esta terrível tragédia vai ser esquecida até que aconteça a próxima?

    Olha, está difícil.

  15. Carlos Nascimento
    segunda-feira, 28 de janeiro de 2013 – 16:38 hs

    Todos morremos um pouco. Um pedaço de cada um de nós se foi.
    As baladas nunca serão mais as mesmas. O almoço de domingo, que tristeza, invariavelmente já não tinha a presença daquele que estava ainda dormindo por ter chegado em casa de manhã, mas agora, ele não vai aparecer porque …. . O mundo ficou ainda mais triste. Força, Santa Maria.

  16. Povo Imbecil
    segunda-feira, 28 de janeiro de 2013 – 16:44 hs

    A tragédia anunciada chama-se REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL, o escroto continental mais corrupto no meio do mundo.
    Os otários ficam aguardando durante gerações inteiras mudanças vindas de Brasília…
    Podem contar mais e mais cadáveres.
    E os outros 100 mil homicídios não esclarecidos anualmente no Brasil? Pura hipocrisia. Choram estes daí porque – por corrupção endêmica nacional – morreram 300 de uma vez.
    Separem já o Brasil, cada estado um país, e tudo melhorará.
    Imaginem só dependermos de ladrões de SARNEYS, RENANS, COLLORS, LULLAS, DILMAS, LOBÕES, DIRCEUS, GENOÍNOS, ALCENIS GUERRAS (condenado por roubo de calçamento em Pato Branco) ETC.
    Um povo covarde tem de contar suas tragédias até o fim do mundo.
    Publique-se. Intimem-se.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*