Governo já vê risco de racionamento e desconto na conta de luz pode cair | Fábio Campana

Governo já vê risco de racionamento e desconto na conta de luz pode cair

‘Passamos a considerar algo que antes não fazia sentido pensar’, diz fonte da área técnica; por enquanto, risco maior é de aumento das tarifas.

De O Estado de S.Paulo:

Tachada como “ridícula” pela presidente Dilma Rousseff há duas semanas, a hipótese de racionamento de energia entrou no radar do governo com a constante queda dos níveis dos reservatórios. “A questão é que agora passamos a considerar algo que antes não fazia sentido pensar”, disse uma fonte da área técnica. “O nível dos reservatórios está baixando, então não podemos fechar os olhos.”

A possibilidade de se repetir em 2013 o “apagão” de 2001 é, porém, considerada pequena tanto no governo quanto no setor privado, embora a Associação Brasileira de Grandes Consumidores Industriais de Energia e de Consumidores Livres (Abrace) tenha sugerido ontem que os grandes consumidores avaliem “a redução voluntária de suas demandas neste momento”, numa espécie de racionamento “branco”.

O risco maior é de aumento nas tarifas. Nesse caso, o corte nas contas de luz prometido pela presidente Dilma em rede de rádio e TV, em setembro, pode ficar menor do que o originalmente estimado, já que as térmicas – mais caras – continuarão em operação por mais tempo.

O Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE), órgão do governo responsável por acompanhar e avaliar o suprimento de energia no País, se reúne amanhã para avaliar a situação. O Ministério de Minas e Energia diz que é um encontro rotineiro, já agendado. Ainda assim, houve nervosismo no mercado financeiro.

Ontem, as ações da Eletrobrás (PNB) caíram 4,72%, com queda de 0,94% no Ibovespa. Papéis de outras empresas também recuaram, como Copel PNB (2,77%), Eletropaulo PN (3,43%), Cesp PNB (3,4%), Cemig PN (3,33%) e CPFL ON (3,29%).

Apesar do início do período úmido, o nível dos reservatórios só cai desde novembro. A expectativa era que as chuvas de dezembro melhorassem o nível dos lagos. Mas a combinação entre volume baixo de água e consumo elevado com o calor piorou a situação. No subsistema Sudeste/Centro-Oeste, que tem 70% do armazenamento do País, os reservatórios estão em 28,5%.

“Estamos ficando viciados em acompanhar os mapas meteorológicos para ver se a situação muda. Mas, até agora, o cenário não se alterou”, diz Marcelo Parodi, da comercializadora Compass. Segundo ele, a instabilidade das chuvas em janeiro está muito grande, o que não é bom.

“O que ocorrer em janeiro em termos de hidrologia definirá a condição do sistema”, diz o presidente da Associação Brasileira de Empresas Geradoras de Energia Elétrica (Abrage), Flávio Neiva. Ele avalia que, se as chuvas não voltarem ao nível normal, vai “acender o sinal amarelo”. Não significa que haverá racionamento, mas sim que o governo terá de tomar providências.

Tarifas. Por ora, a única certeza que se tem é que o custo da energia será impactado pelas térmicas em operação desde outubro. Fato que “já está atrapalhando” os planos de Dilma de cortar as tarifas em 20,2%, disse Neiva. Cálculos da Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica (Abradee) mostram que em outubro e novembro o País gastou cerca de R$ 1,3 bilhão para manter a operação das térmicas. Em dezembro, a conta deve ter ficado em R$ 800 milhões.

Na média, isso significa impacto em torno de 1% ao mês nas tarifas do consumidor (quase 3% até agora). “Ninguém pode dizer que vai ou não vai ter racionamento. Mas a situação é delicada e o custo deve aumentar com as térmicas”, diz o presidente da Abradee, Nelson Fonseca Leite.

Para o BTG Pactual, o acionamento das térmicas por mais tempo poderá elevar em 14% as tarifas. Relatório do analista Antonio Junqueira informa que um racionamento não é esperado, e sim uma “forte pressão nos preços da energia”. / COLABORARAM EULINA OLIVEIRA, EDUARDO RODRIGUES e WELLINGTON BAHNEMANN


6 comentários

  1. Doutor Prolegômeno
    terça-feira, 8 de janeiro de 2013 – 11:37 hs

    O corporativismo das estatais da energia e seus marajás, pagos a soldadas régias devem estar por trás disso. Foi só falar em reduzir tarifas (que já deveria ter sido feito pois aa incorporação do empréstimo compulsório foi um assalto ao bolso do consumidor) que surgiu a estória do racionamento, num esforço de assessoria de imprensa bem pago. Se houver racionamento é porque as estatais não fizeram os investimentos e converteram lucros em soldadas régias. Os governos estaduais também fazem gigolotagem à custa das contas de energia, fazendo incidir um ICMS pornográfico que é pago pelo cidadão comum, exceto pela demagogia da bolsa-conta- de-luz para os pobres, e mantendo aviões e helicópteros para uso dos poderosos.

  2. Vigilante do Portão
    terça-feira, 8 de janeiro de 2013 – 11:41 hs

    Não me surpreende que a DILMA não dê entrevista.

    Sabe que vão cobrar posicionamentos mais firmes.

    Nem ela (Dilma), muito menos o Lula, dão entrevistas.

    Nada dizem. Preferem o SILÊNCIO.

    – Não o “Dos Inocentes”,
    O SILÊNCIO DOS INCOMPETENTES.

    Cadê o MP, para COBRAR dos dois (Lula e Dilma) o DESPERDÍCIO de dinheiro da Usina Eólica?

    Por INCOMPETENCIA de gestão, Estamos pagando MILHÕES pela energia que não pode ser usada, pois as Linhas não estão prontas.

  3. Deutsch
    terça-feira, 8 de janeiro de 2013 – 12:16 hs

    Como sempre, a presidANTA incompetente faz seu joguinho de cena para os miseráveis que nela acreditam e depois diz não ser bem assim. E temos que aguentar mais 2 anos dessa mer…

  4. Gardel
    terça-feira, 8 de janeiro de 2013 – 13:29 hs

    Alegria de pobre dura pouco. O desconto na conta de luz, pode se transformar em reajuste. É lamentavel.

  5. loop
    terça-feira, 8 de janeiro de 2013 – 17:53 hs

    Incentivar energia alternativa, nada?
    Financiar aquecimento solar para as novas construções …
    Luz solar …
    Me acudam as GIGANTESCAS construções públicas, pelo país, dia e noite com bilhões de lâmpadas acesas …
    Sensores defeituosos com lampadas acesas por todo lado em pleno sol …
    Ah, estava esquecendo …! Energia alternativa gera imposto?

  6. Strapasson
    terça-feira, 8 de janeiro de 2013 – 18:56 hs

    Estou enganada ou não faz nem 2 semanas que a incompetente presidanta Dilma recomendou deveríamos gargalhar quando ouvíssemos falar de racionamento e apagão de energia?

    Meu Deus do Céu! O que substancialmente mudou neste curto espaço de tempo? De uma hora para outra os reservatórios esvaziaram?

    É falta de planejamento e excesso de soberba!

    2013 promete!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*