Dividido, PMDB busca acordo para aderir a Beto | Fábio Campana

Dividido, PMDB busca acordo para aderir a Beto

Sigla quer unificar discurso nas negociações sobre o secretariado. Peemedebistas se encontram com Beto amanhã. Na foto, Caíto Quintana (Ivonaldo Alexandre/Gazeta do Povo).

Do Chico Marés, Gazeta do Povo:

Os deputados estaduais do PMDB devem se reunir hoje para afinar o discurso para as negociações sobre o secretariado do governo do estado. Segundo fontes do partido, os peemedebistas estariam negociando com o governador Beto Richa (PSDB) de forma individual, o que causou desencontros entre os diversos deputados da legenda. A ideia, agora, é definir uma estratégia comum. O PMDB pode conseguir a presidência da Sanepar e mais uma secretaria (especula-se que seja a pasta do Meio Ambiente ou a do Planejamento).

Segundo o líder do partido na Assembleia, Caíto Quintana, essas negociações individuais estão atrapalhando as conversações do partido. “Já nem sei mais o que está sendo negociado. Tem muita gente falando pelo PMDB sem falar com o PMDB”, reclama. Para o deputado, o partido precisa definir o que quer antes de conversar com o governador. A próxima reunião entre o partido e o governo está marcada para amanhã.Facções

Peemedebistas seguem divididos em três grupos
Após a convenção estadual, realizada no fim do ano passado, o PMDB segue dividido em três facções. Na ocasião, três grupos de filiados se formaram: um deles em torno da maioria dos deputados estaduais, o outro ao redor do ex-governador Orlando Pessuti e o terceiro capitaneado pelo senador Roberto Requião. Os dois primeiros se aliaram para levar o deputado federal Osmar Serraglio, um nome considerado neutro, à presidência do partido. Entretanto, os interesses e opiniões continuam bastante distintos.

O grupo dos deputados é o mais próximo do governador Beto Richa (PSDB). Com espaço no comando do PMDB, o grupo ganhou cacife para ampliar sua participação no governo do estado. Entretanto, divergem internamente sobre essa participação. Já o grupo de Pessuti negocia paralelamente seu próprio espaço. Há um porém: o grupo é fortemente ligado ao governo federal e tem, até o momento, boas relações com o PT, que almeja derrotar Richa em 2014. Essa contradição pode vir a se tornar um obstáculo político.

Já o grupo de Requião, derrotado na convenção, ainda mantém cerca de 40% do diretório – o que pode ser decisivo na definição do papel da legenda nas eleições de 2014. O grupo se opõe ao governo Richa e, apesar de ter boas relações com o governo federal e com setores do PT, também tem rusgas com os ministros petistas Paulo Bernardo e Gleisi Hoffmann. Esse grupo trabalha contra a aliança com Richa e a favor de uma candidatura própria.

Especula-se, nos bastidores, que a maior possibilidade é que os peemedebistas fiquem com a Secretaria de Meio Ambiente (Sema), além de manter a Secretaria do Trabalho. O titular da Sema seria o deputado estadual Luiz Eduardo Cheida – o que abriria, também, uma vaga na Assembleia para Luiz Carlos Martins, do PSD, partido aliado de Richa.

Cheida diz ter sido sondado na semana passada por deputados do partido. Ele afirma, entretanto, que só aceitaria um convite com uma condição: não haver o loteamento dos cargos do Instituto Ambiental do Paraná (IAP). “A gente deve sempre lembrar que o IAP é o órgão executor da secretaria. Sem o controle do IAP, não adianta assumir a Sema”, afirma. Cheida já foi secretário do Meio Ambiente entre 2003 e 2006, no governo de Roberto Requião.

Outra possibilidade seria a Secretaria do Planejamento. O titular poderia ser Luiz Cláudio Romanelli, hoje secretário do Trabalho. Ele nega ter sido convidado e diz que deve ficar na pasta atual. Entretanto, essas não são as únicas opções. Há a possibilidade de nenhuma secretaria nova ser cedida ao partido, que ganharia espaço na indicação de conselheiros em núcleos regionais no interior do estado.

A presidência da Sanepar não deve ser discutida na reunião de amanhã. Cotado para assumir a empresa, o ex-governador Orlando Pessuti pediu mais tempo para discutir a questão com seu grupo político. Na semana passada, o atual presidente da Sanepar, Fernando Ghignone, foi anunciado como novo presidente da Copel – abrindo espaço para o ex-governador.

Estado
As negociações devem estreitar as relações do PMDB com o governo do estado. Entretanto, para Caíto Quintana, isso não significa uma aliança para 2014. “Pode ser um primeiro passo, mas essa conversa não é suficiente para definir isso. Até porque ninguém tem autoridade para decidir isso pelo partido”, afirma.


19 comentários

  1. Tio Quim
    quarta-feira, 30 de janeiro de 2013 – 11:03 hs

    Qual o custo de uma reeleição?

  2. quarta-feira, 30 de janeiro de 2013 – 11:34 hs

    O Governador esta perdendo muito tempo e querer algum tipo de acerto com o PMDB de Romanelli, vai ficar sozinho no final do Governo, que falta apenas dois anos.

  3. juliano ribeiro
    quarta-feira, 30 de janeiro de 2013 – 12:23 hs

    beto se entregou para os paraguaios,

    beto voce e sua equipe já deu o que tinha que dar

    deonilso, catani, arns, rrosssoni, traiano, arns, silvestre

    cansados, desinteressados, sem perspectiva de melhorar sua administração

  4. gilberto santos
    quarta-feira, 30 de janeiro de 2013 – 12:32 hs

    Vamos analisar, o Muchel Temer, vai sair candidato a reeleição a vice-presidente da Dilma, PT, e no Paraná o PMDB vai apoiar o PSDB, ai nos vamos ter que acreditar em Papai Noel, Coelhinho da Pascoa etc e tal, abra o olho Beto, estão te enrolando, vão levar no peito até perto da eleição, depois vão dizer que o diretório nacional do PMDB proibiu o apoio a sua candidatura.

  5. Pé Vermelho
    quarta-feira, 30 de janeiro de 2013 – 12:34 hs

    “A gente deve sempre lembrar que o IAP é o órgão executor da secretaria. Sem o controle do IAP, não adianta assumir a Sema”, afirma Cheida.

    Que bobagem…

  6. joaquim rodrigues da silva
    quarta-feira, 30 de janeiro de 2013 – 13:07 hs

    REFORMA NO SECRETARIADO,

    CEZAR SILVESTRE SAI DE UM LUGAR PARA OUTRO

    SEBASTIANI SAI DE UM LUGAR PARA OUTRO

    ZE MARIA QUE O PPS, QUASE EXPULSOU, AMIGO DO DEROSSO,

    PRES. SANEPAR QUE VAI PARA A COPEL,

    TÁ BRINCANDO GOVERNADOR FICOU NA MIDIA O TEMPO TODO PARA =FAZER ESTA LAMBANÇA

  7. jose rosa
    quarta-feira, 30 de janeiro de 2013 – 13:08 hs

    osmar dias tem razão Piá de prédio

    que governo medíocre,

  8. alguém contra os sem vergonha!
    quarta-feira, 30 de janeiro de 2013 – 13:50 hs

    Preste atencão Governador!
    Esta pretendendo dar apoio aos sempre opositores, um grande exemplo foi na campanha passada,PMDB sempre contra.
    Pessuti, não sabe o que quer! ou seja, quer recolher a velha guarda, sem vergonhas! sem escrupulos! sem carater!
    É um baita de um trairão, juntamente com os mafiosos defensores da Sanepar, sempre dominadores que nunca abriram oportunidade para ninguém, comecando com o gerentes regionais que hoje não estão no cargo! Ainda bem!!!!

  9. Anônimo
    quarta-feira, 30 de janeiro de 2013 – 14:29 hs

    BETÃO, VOCE JÁ TEM EMBAIXO DO SEU GUARDA-CHUVA MUITA GENTE RUIM, PESSOAL DO JAYMÃO, NÃO QUEIRA ABRIGAR MAIS, SÓ VÃO TE SUGAR E DE RESULTADO NADA., O ELEITOR NÃO MAIS BOBO.

  10. Mutatis Mutandis
    quarta-feira, 30 de janeiro de 2013 – 15:22 hs

    A postura do PMDB é muito distante do velho MDB de guerra. A postura de uma (pequena) ala do PMDB é fisiológica e chantagista. É uma postura nojenta.

    Negociam cargos para que os indivíduos tenham alguma projeção, não querem contribuir com o governo, querem sim chupinhar.

    DUVIDO QUE O PMDB FECHA COM O BETO EM 2014!
    A Gleise et caterva vão “maquinar” todos os Deputados, vão “injetar” muito recurso… Levará 2 minutos para abandonarem o menino Richa.

    Videm o que está ocorrendo no pleito da SANEPAR, SEPLAN e SEMA.

    Videm o esforço diabólico (fracassado) em busca da Casa Civil.

    Querem a SANEPAR “de porteira fechada” como se estivessem negociando um quinhão de terras para que um veterinário cuide dos animais, sem cuidar do contexto onde o quinhão de terras se insere e muito menos sem cuidar da função social e econômica de tal quinhão. O veterinário deveria estar cuidando dos seus, ito é, seus porcos na fazenda.

    Querem a SEPLAN, creio que para tabelar com a Fazenda Estadual. Imagino os motivos obscuros e não nobres que impulsionam este desejo. Isso é ridículo.

    Querem a SEMA e o IAP, creio que para fazer política e caixa. Querem emplacar um vassalo [Cheida] que fez um gestão tenebrosa frente a SEMA no Governo Requião. Gestão marcada por escárnios e achaques ao agronegócios assim como em assuntos que envolveram multas e geraram negociatas.
    Vão resgatar o Burco também??? Cheida e Burco são a marca do retrocesso.

    Richa, o que estamos vivendo – tragédia ou comédia?

    V.s. será pautado pelo nojentismo fisiológico?

  11. reginaldo
    quarta-feira, 30 de janeiro de 2013 – 15:46 hs

    O Pessuti não tem espaço nenhum na ITAIPU, os diretores de lá são mais fortes e não vão entregar seus cargos para entrar um capacho do Requião, a Gleise ta blefando e não tem tanto poder assim, Pessuti vai acabar ficando sem nada, por que ele é assim (um nada politico), tome uma posição e decisão de homem, prefiro o ANTONIO HALLAGE, ele está interado da Sanepar.

  12. Lucas
    quarta-feira, 30 de janeiro de 2013 – 16:39 hs

    O Cheida vai ser secretario do Meio Ambiente.
    E o presidente do IAP será algum funcionário de carreira que era diretor na epoca do Rasca presidente do IAP.

  13. Silva Jr
    quarta-feira, 30 de janeiro de 2013 – 17:03 hs

    OPS, compra de votos e aparelhamento da máquina pública em pleno governo do PSDB. Isso é a famosa gestão tucana? É a cultura da boquinha que os tucanos fingem não fazer. Esse Beto ainda quer vender a imagem de que representa o novo na política!

  14. Luis francisco Costa
    quarta-feira, 30 de janeiro de 2013 – 17:24 hs

    O PMDB virou o partido da boquinha, negocia com Beto e depois leva a proposta para Gleisi, porém ambos sabem da ¨importancia ¨desse apoio regado por traições, dessa forma vão acabar levantando o defunto Requião. Socorro!!!!

  15. FCH
    quarta-feira, 30 de janeiro de 2013 – 18:39 hs

    O velho MDB de guerra: Sempre igual!!!! Em cima do muro. Metade fica com a oposição e a outra metade com o governo. Assim estão SEMPRE no poder!!! É por isso que eles me enojam.

  16. Novo de Guerra
    quarta-feira, 30 de janeiro de 2013 – 20:01 hs

    Partido da boquinha…

  17. joao
    quarta-feira, 30 de janeiro de 2013 – 20:07 hs

    falando em traidor como que ta o beto richa tirou o partido em varios municipios e deu a seus adversarios agora vai experimentar do proprio veneno traidor

  18. Anônimo
    quinta-feira, 31 de janeiro de 2013 – 2:39 hs

    É sempre necessário começar de uma verdade para ensinar um erro, velho brocardo francês. É isso que ocorre com parte do PMDB. Verdade: Não querem deixar de ser governo, logo o erro está em se juntar a um governo que realiza pouco, quando realiza alguma coisa, realiza mal e realiza cousas outras que não lhes diz respeito. Em que pese, que o Senhor Carlos Alberto Richa acertou alguns ajustes que reputo interessantes, tais como conseguir trazer o Stephanes, ter mantido o Ortigara na SEAB, o Leprevost foi outro acerto, já o Ratinho é como bolo, temos que comer um pedaço para ver se é bom, ou seja, vamos ver como vai se sair como gestor público. Contudo prefiro ver as ruínas do PMDB no chão, que participarmos do governo de maneira subserviente, praticamente mendigando cargos. Ora, onde estão os baluartes do PMDB velho de Guerra? Só vamos ser respeitados pelos outros se antes nos mesmos nos respeitarmos.

  19. sergio silvestre
    sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013 – 0:02 hs

    Caito do ceu,na proxima foto use um fotoshop.
    Essa parece que voce quer comer (SEM MALICIA) QUEM ESTIVER NA FRENTE.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*