Credibilidade da política fiscal brasileira na UTI | Fábio Campana

Credibilidade da política fiscal brasileira na UTI

Benedito Sverberi, VEJA OnLine

O ano começa com um péssimo presságio para a condução da política econômica. Analistas ouvidos pelo site de VEJA avaliam que a decisão de arranjar recursos de última hora para cumprir a meta de superávit primário de 2012, de 3,1% do Produto Interno Bruto (PIB), põe em xeque a credibilidade da política fiscal do país.

A avaliação geral é que o governo federal goza, hoje, de posição orçamentária relativamente confortável – o que até lhe permitiria fazer um esforço fiscal menor. Bastaria anunciar uma meta menos agressiva e justificá-la de forma detalhada.

A conjuntura internacional adversa e os desafios que este quadro impõe à economia doméstica seriam explicações mais que suficientes, dizem os especialistas.

Contudo, a presidente Dilma Rousseff optou por agir de forma obscura. Seu governo deixou as ações para os últimos dias úteis de 2012 e tomou decisões inadequadas, como o uso de recursos do Fundo Soberano do Brasil (FSB).

Ao fim e ao cabo, fica a percepção de que o Brasil caminha para voltar a ser um país em que o improviso e o descaso com a transparência das contas públicas são, sim, a regra.


10 comentários

  1. Zangado
    sábado, 5 de janeiro de 2013 – 20:17 hs

    Depois que o PT e seus aloprados entraram no poder as instituições mais credenciadas do país foram para a lama: nos Correiros começou o mensalão, Bndes está financiando obras no exterior, Cx Econ e Banco do Brasil fazem “puplicidade oficial” e patrocínio dos assuntos mais banais e por aí vai.

    O interessante é que as ditas autoridades de controle público – tribunais de contas, ministério público e organizações da sociedade civil – mantem-se no mais absoluto silencio obsequioso – por que será?

  2. Parreiras Rodrigues
    sábado, 5 de janeiro de 2013 – 20:47 hs

    Além de incompetente, mentiroso esse nosso governo.

    E pensar que a luz que se vê no fim do túnel é o farol dum trem…

  3. Dieter
    sábado, 5 de janeiro de 2013 – 23:04 hs

    Dilma além de mentirosa é incompetente. É muito triste ver o que a falaciosa faz do nosso Brasil pois enquanto lutamos para pagar nossas contas (e da cumpanherada), ela usa de subterfúgios para dizer que vai tudo bem em pindorama.
    Porra, é lamentável!!!

  4. VERDADE
    domingo, 6 de janeiro de 2013 – 0:14 hs

    Tudo bem que o PT anda desacreditado, mas acreditar na Veja aí é um pouco demais!!! Eta revistinha chinfrin…

  5. walter
    domingo, 6 de janeiro de 2013 – 11:13 hs

    bom, sendo matéria da veja, só asnos para ler e principalmente acreditar

  6. domingo, 6 de janeiro de 2013 – 15:07 hs

    Parreiras Rodrigues, trem… bala.

  7. Helena
    domingo, 6 de janeiro de 2013 – 15:15 hs

    A política da tapeção do PT continua… e até na política fiscal, mas a maquiagem é desfeita por qual quer ventinho ou chuvinha…
    Ninguém é cego, e basta ter um pouquinho de conhecimento econômico e acompanhar a economia brasileira, e não precisa ser “asnos” basta não ser petista, que entenderá tudo…

  8. sergio silvestre
    domingo, 6 de janeiro de 2013 – 16:07 hs

    Se tá falando do governo do PARANA PARREIRAS?

  9. Strapasson
    domingo, 6 de janeiro de 2013 – 18:45 hs

    Antigamente me incomodava o fato da petralhada não gostar da Veja.
    Hoje não mais. Agora eu entendo e compreendo: petralha tem todos os motivos para odiar a Veja.
    Ah, esta revista que fica mostrando os “mal-feitos”, as “taxas de sucesso”, as safadezas do PT! Coisa feia!

    Para eles não são as atitudes petistas o problema! O problema é que mostra-las!

    Em tempo: Petralha odeia democracia, liberdade.

    É, realmente, vocês tem razão de não gostar da Veja.

  10. PINGOS NOS IS
    domingo, 6 de janeiro de 2013 – 20:06 hs

    São notícias tendenciosas. Dilma apenas fez uso de reservas .Se há reservas, houve economia.
    Analogamente é como se você, leitor, houvesse economizado 10 mil reais em anos anteriores e , em 2012 , por vários imprevistos, tivesse arrecadado 2 mil a menos do que gastou. Então, recorreu à reserva. Você tem agora 8 mil ( e não mais 10). Mesmo assim TÁ NO AZUL.
    Como dizia Chavez ( o do bem): “ISSO,ISSO,ISSO!!!”

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*