Carta Capital se defende de acusação do Ministério Público | Fábio Campana

Carta Capital se defende de acusação do Ministério Público

A revista Carta Capital se defendeu hoje da acusação de que teria forjado documentos do processo do chamada mensalão tucano. É que segue em artigo Quem acusa tem de provar, assinado por Sergio Lirio.

“Leio por aí que o Ministério Público de Minas Gerais acusa CartaCapital de forjar documentos do processo do “mensalão tucano”. Repito: a revista teria sido acusada pelo MP mineiro de criar e publicar papéis falsos de uma ação judicial, segundo os relatos na internet. O autor de acusação tão grave terá de provar em juízo suas palavras.

Aos sites que se apressam em reproduzir a “informação” sem ouvir a revista, lembro que CartaCapital não publica fichas policiais nem documentos falsos, não acusa sem provas, não transforma bandidos em heróis da pátria, não converte bolinha de papel em tijolo, não se associa a meliantes da estirpe de Carlinhos Cachoeira nem recorre aos serviços de arapongas (que se converteram nos verdadeiros “repórteres investigativos” de Brasília). Não fazemos parte deste clube e é patético o afã de tentar nos misturar a esta gente. O jornalismo de esgoto corre por outras bandas.

Quanto ao processo do “mensalão tucano”, a exemplo do episódio da famosa Lista de Furnas, mais uma vez fica claro o poder de quem se esforça para desmoralizá-lo. E, desta feita, impressiona a participação do MP mineiro nesta empreitada. A Lista de Furnas também foi descrita como falsa. Até hoje, aliás, o ex-governador e deputado federal Eduardo Azeredo (PSDB) usa este argumento (a de que a lista foi forjada) para responder a textos que descrevem como o valerioduto funcionava em seu quintal. Parte da mídia “isenta e independente” repete a tese de Azeredo para ver se cola. Mas uma perícia do Instituto de Criminalística da Polícia Federal comprovou que a lista não foi adulterada e que as assinaturas são verdadeiras.

A reportagem de Leandro Fortes, como de hábito, baseou-se em documentos obtidos com fontes seguras, participantes ativos do esquema que serviu de laboratório para a tecnologia de caixa 2 desenvolvida pelo publicitário Marcos Valério de Souza e mais tarde adotada pelo PT. Estamos absolutamente tranquilos.

Para refrescar a memória dos leitores, reproduzimos a reportagem publicada na edição número 723, de 11 de novembro de 2012.”


11 comentários

  1. sergio silvestre
    quinta-feira, 3 de janeiro de 2013 – 18:39 hs

    Esse mp de lá parece o de voces ai em curitiba,é duro achar uma prova contra politicos corruptos né.Os mensaleiros mineiros eram todos freiras,o sr marcos valerio era um mineiro falsificado,e olhe que ali nego ergueu castelos,o NEWTON CARDOSO SE TORNOU BILIONÁRIO.
    Muito lindo esses tucanos ,estou esperando o ALVARO desancar algum.pode começar com algum GOIANO ,é só fazer um sorteio no palitinho qual deles vai ser a amostra.

  2. Strapasson
    quinta-feira, 3 de janeiro de 2013 – 18:47 hs

    Nossa! Que medo!

    Vamos aguardar a suposta reação!!!

    Mino Carta quem te conhece que te compre!

    Mino Carta quem te conhece que te leve para casa!

    Eu sei quem é você. Você não vale nada!!! Devia estar preso junto com os “cumpanhero”!

  3. Odorico
    quinta-feira, 3 de janeiro de 2013 – 18:52 hs

    Esta revistinha escrita por petistas,não tem moral pra nada.

  4. Sergio R.
    quinta-feira, 3 de janeiro de 2013 – 19:06 hs

    Esta Carta Capital deveria ser vendida em rolos de 30 metros.

  5. José Andrade
    quinta-feira, 3 de janeiro de 2013 – 19:21 hs

    Lá em MG tá tudo dominado pelos tucanos!!!

  6. meri
    quinta-feira, 3 de janeiro de 2013 – 19:42 hs

    Mentiras e verdades andam na ordem do dia dos blogs, sinalizando para mim aquilo que considero uma verdadeira liberdade de imprensa.
    Ou seja, quem se manifesta, o faz defendendo um lado, uma posição e deve responder ou ser aplaudido por ela.
    Se isto é bom ou mal só o tempo dirá, especialmente para os injustiçados pela precipitação das noticias, plumas lançadas ao vento do qual se recolhe uma parte, geralmente a menor parte.
    Acho que este fato será bom, desde que os que sofrerem injustiças sejam reparados por uma dura lei, e os que falam a verdade sejam protegidos pelo Estado, como diria meu pai, relho ou mel.
    Neste caso, vejo agora uma posição do Ministério Publico em nota oficial, dando uma outra posição em relação a este fato, e desmentindo o autor da denuncia o que preserva a revista.
    É, agora só relho ou mel…

  7. MAURICIO PINA
    quinta-feira, 3 de janeiro de 2013 – 23:36 hs

    Revista boa e a Veja.

  8. Igor
    sexta-feira, 4 de janeiro de 2013 – 7:20 hs

    Acabou a “moda” de se seguir um dos “modus operandi” da velha esquerda – produzir fatos difamatórios contra desafetos políticos – e o Ministério Público já provou que está atento a isto!

  9. alopreichion
    sexta-feira, 4 de janeiro de 2013 – 8:07 hs

    veja nem no banheiro

  10. Anônimo
    sexta-feira, 4 de janeiro de 2013 – 10:33 hs

    essa revista (Carta Capital) é boa e não mente.

  11. Neto
    sexta-feira, 4 de janeiro de 2013 – 19:38 hs

    O problema que a Isto é não tem o Policarpo nem o Cachoeira para lhe dar o “rumo”

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*