Bombeiros vão vistoriar casas noturnas do Paraná | Fábio Campana

Bombeiros vão vistoriar casas noturnas do Paraná

O governador Beto Richa determinou hoje ao Corpo de Bombeiros a fiscalização de todas as casas noturnas no Paraná. Em até 30 dias, as casas devem informar, na fachada, a capacidade máxima de lotação. As que não estiverem dentro da lei ou fora das normas de segurança, serão notificadas e, quando for o caso, lacradas pelas prefeituras e pelo Ministério Público.

A medida pode evitar tragédias como o incêndio da casa noturna em Santa Maria (RS) que causou a morte de 231 pessoas. “Essa é a melhor medida para prevenirmos acidentes desta natureza”, disse Richa.

Ele destacou oos projetos implantados no Paraná. O Programa Brigada Escolar – Defesa Civil na Escola reestrutura as escolas e a capacita dos gestores. Há um ano e meio, o programa já atendeu mais de 1.700 escolas. “O Paraná é o único estado que possui um programa como este. Todas as escolas estão sendo treinadas para que possam agir de forma correta em momentos de insegurança”, disse Richa.

O prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet, também anunciou medidas após a tragédia de Santa Maria. Fruet convocou um encontro com o secretário Municipal de Urbanismo, Reginaldo Cordeiro, para rever todos os procedimentos de concessão a alvarás a casas noturnas.  Corpo de Bombeiros, representantes do Ministério Público do Paraná (MP-PR) e entidades que atuam no setor também serão convidados para o encontro.


21 comentários

  1. Luiz
    segunda-feira, 28 de janeiro de 2013 – 16:18 hs

    Nem só casas noturnas; tem colégios com centenas de alunos nos 1° e 2° andares que possuem apenas uma escada estreita para acesso. Pergunto: Será que esses estabelecimentos já não foram vistoriados para funcionar??????

  2. Doutor Prolegômeno
    segunda-feira, 28 de janeiro de 2013 – 16:35 hs

    Porta arrombada, lá vem tranca novinha em folha.

  3. jbairro
    segunda-feira, 28 de janeiro de 2013 – 16:40 hs

    Vistoriar! !!! Tem uma casa de show que recebe centenas de jovens todos os dias e a única saída de emergência dá em frente a um paredão com um portão de aço fechado e cheio de caixas de bebidas espalhados, e no entanto o carro da vistoria dos bombeiros frequentemente está por ali. O caso é acabar com propinas e alvarás comprados JÁ!

  4. Guilherme
    segunda-feira, 28 de janeiro de 2013 – 16:48 hs

    Esse projeto brigada na escola na teoria é muito bom, os treinamentos são realmente necessários. O problema é que de nada adianta o governo fazer tudo isso e as escolas não possuirem extintores nem hidrantes funcionando, muito menos saidas de emergencia. Isso o governo não está interessado em resolver.

  5. Valéria Prochmann
    segunda-feira, 28 de janeiro de 2013 – 17:03 hs

    Há cerca de dois anos, órgãos públicos idealizaram e puseram em prática a AIFU, uma ação integrada de fiscalização urbana para vistoriar, multar e se necessário fechar as casas noturnas que desatendem às normas de segurança e às leis em Curitiba. Houve uma “chiadeira” geral do “lobby” dos donos de bares e alguns formadores de opinião, que qualificaram a ação de fascista pra baixo. Há cerca de dez anos, tentei registrar um boletim de ocorrência por superlotação no antigo Ciccarino, mas o escrivão se recusou. A casa promoveu cinco aniversários e perdeu o controle sobre a quantidade de pessoas: levava-se cotovelada, chute, pontapé e soco até na fila para pagar e garçons cobravam R$ 10 para fazer o pagamento da comanda – espírito de máfia. Ninguém conseguia sair do lugar que estava sufocando todo mundo: era no tempo do cigarro! O país não tem cultura preventiva, a preocupação com a segurança aqui é desmerecida. Porém quem fez um curso de qualidade bem sabe que acidentes não acontecem por acaso, tampouco por desígnio divino. A imensa maioria das casas noturnas de Curitiba é do tipo “por fora bela viola, por dentro pão bolorento”: instalações improvisadas sem a devida observância a normas e leis. Superlotação é muito comum. Deveria ser adotada aqui a norma de Nova York, que obriga todos os estabelecimentos a afixarem publicamente a lotação máxima, definida pelas autoridades. No caso específico de Santa Maria, o fato foi obra de um idiota com iniciativa (como diz a Claudia Wasilewski), para dizer o mínimo, se não se tratar de um piromaníaco que sente prazer em ver o circo pegando fogo. Com a culpa subsidiária de quem aprovou uma imprudência dessas – proprietários/gerentes do local, além da irresponsabilidade de não providenciar as saídas de emergência com a devida sinalização. Quanto aos seguranças barrando quem não pagou a comanda, é uma reedição do Titanic, em que a terceira classe foi impedida de acessar os botes salva-vidas. Nas mentes obtusas, o dinheiro prevalece sobre a vida. E seguranças protegem unicamente o patrimônio dos donos dos estabelecimentos, em detrimento da integridade física das pessoas. Inversão de valores.

  6. segunda-feira, 28 de janeiro de 2013 – 17:06 hs

    Parabens Governador, a determinação é otima, meus filhos em algumas ocasiões freguentam estas casas noturna. acho que agora poderei dormir um pouco mais.
    .

  7. VISIONÁRIO
    segunda-feira, 28 de janeiro de 2013 – 17:36 hs

    Lamentável é tentar corrigir uma tragédia futura com o que se sabe
    que ocorre neste país. Vistorias !? Alvarás !? Quantos estabeleci-
    mentos funcionam abaixo de vistas grossas do órgãos competentes ?

  8. Robson
    segunda-feira, 28 de janeiro de 2013 – 17:44 hs

    PORQUE NAO VISTORIAM A CORRUPÇÃO DOS ORGAOS COMEÇANDO PELA PREFEITURA DEPOIS CORPO DE BOMBEIROS… DEMAGOGIA E TRAMPULIM POLITICO NUMA HORA DESSAS É FACIL… QUERIA VER SE FOSSE FILHO DE UM GOVERNADOR OU DE UM PREFEITO QUE TIVE SIDO QUEIMADO!! POCA VERGONJHA

  9. Pastor Ananias
    segunda-feira, 28 de janeiro de 2013 – 17:52 hs

    O corpo de bombeiro tem que também fiscalizar os centros de eventos, escolas, cinemas, igrejas, clubes, não só boates.
    tem muitas coisas irregulares por esse Paraná afora!

  10. Nanda
    segunda-feira, 28 de janeiro de 2013 – 18:15 hs

    Muito Bom ! Bombeiros tem que vistoriar mesmo.
    Sabemos que isso já é feito em Curitiba e agora é uma boa exigir de todas as cidades do estado pelo bem do cidadão paranaense. Paranbéns

  11. Vitorio Sorotiuk
    segunda-feira, 28 de janeiro de 2013 – 19:53 hs

    Só casas noturnas? Tem que vistoriar tudo onde há gente. Igreja, edifícios, restaurantes, escolas, estádios, tudo. Porque só escolas noturnas. Para um governo que dispensa licenciamento ambiental para o Karst em Colombo e Almirante Tamandaré para a Sanepar é tapar o sól com a peneira. Agora é casa noturna e quando tiver uma tragédia em uma igreja ou em uma sociedade ou restaurante, então passa a ter rigor nesse setor?

  12. Divanir
    segunda-feira, 28 de janeiro de 2013 – 20:47 hs

    Mas que realmente cobrem dos donos das casas noturnas e se não tiver condições fechem estas casas. Chega de propinas e mais prazos para regularização, que acabam no esquecimento. Quem assina o laudo em caso de tragédia tem que ser preso!

  13. caruncho
    segunda-feira, 28 de janeiro de 2013 – 23:17 hs

    enquanto existir funcionários desonestos aceitando 10,00 de propina tragédias vão se repetir,não adianta o Beto vir com demagogia barata em cima de uma tragédia se não punir antes os corruptos que permitem o funcionamento desses estabelecimentos irregulares,se for levado a sério essa ordem serão poucos os estabelecimentos que vão continuar abertos em Curitiba

  14. Épracaba
    terça-feira, 29 de janeiro de 2013 – 0:30 hs

    vISTORIAR AGORA?………..ENTAO ATÉ AGORA NINGUEM ESTAVA FAZENDO NADA?……COM A PALAVRA O COMANDANTE DO CORPO DE BOMBEIROS DO PARANÁ………DE DUAS UMA, OU O GOVERNADOR NAO SABE O QUE EESTA FALANDO OU OS ORGÕES NAO ESTAVAM TRABALHANDO,……NÉ NAO?

  15. Júnior
    terça-feira, 29 de janeiro de 2013 – 8:49 hs

    Depois de um evento trágico como este, começamos a indagar no nosso cotidiano o que pode contribuir para um incêndio de grandes proporções…

    Estava numa repartição pública ontem quando notei o absurdo de pisos acarpetados, com filtros de linha repletos de tomadas em cada mesa contendo computador e outros dispositivos eletrônicos, largados sobre o carpete, aparentemente desafiando a oportunidade de uma fagulha derivada de curto incendiar todo o local…

    Quem trabalha lá não enxerga isto, quem autoriza o funcionamento menos ainda (com formação para tal prevenção). Não será nenhuma surpresa se algum dia este tipo de incidentes envolvendo tapetes colados ao chão, com alto teor de inflamabilidade, dizimarem um imóvel em poucos minutos pela propagação do fogo…

    Existem varias “missas anunciadas”, tais como residências em que lâmpadas dicróicas (que superaquecem muito) são deixada ligadas, sem nenhuma noção do risco que representam….

    Tem como o Corpo de Bombeiros estar presente em todos os lugares?

    Esta questão mais me lembra o combate à dengue, a obrigação é do Poder Público, mas se a população não fizer a sua parte…

  16. Marcelo
    terça-feira, 29 de janeiro de 2013 – 9:21 hs

    Vamos ver se isso será levado a sério. Mas é preciso fiscalizar, não só casas noturnas, mas as demais edificações da cidade, lojas, shopping’s, estádios, etc. Em 2008, o corpo de bombeiros detectou irregularidades nas instalações do Shopping Palladium em Curitiba e mesmo assim a prefeitura da cidade deu alvará provisório para funcionamento. O prefeito da cidade na época o Sr. Beto Richa, até participou da inauguração. Quer dizer que a lei deve ser respeitada, inclusive pelos amigos do governador.

  17. JULIO CESAR DE SISTI
    terça-feira, 29 de janeiro de 2013 – 10:11 hs

    Lendo isso tudo só podemos chegar a uma conclusão óbvia. As casas noturnas em Curitiba estão TODAS irregulares. Se tem que fazer a vistoria, significa que NUNCA foi feita. Se tem álvara ou um documento de vistoria podemos afirmar que foi concedido que forma ilícita!!!!

  18. Paulo
    terça-feira, 29 de janeiro de 2013 – 11:34 hs

    Trabalho com regularização de Alvarás em Curitiba e região metropolitana, e hoje a vistoria do corpo de bombeiros em Curitiba leva algo em torno de 25 dias úteis após o pagamento da GR e depois mais 7 dias úteis para liberar o Certificado de Vistoria, alguns municipios do entorno não tem previsão para vistoria e muito menos liberação do CV, ou seja não funciona. Algumas Prefeituras liberam o alvará com a apresentação da GR paga pois sabem que a vistoria pode demorar até 6 meses ou nem acontecer. O falar do Governo e do comando do corpo de Bombeiros é lindo, mas a pratica não funciona, não existe efetivo suficiente para acontecer. E com a operação verão os processos tem um atraso sem datas para conclusão. A 2 anos faço reclamação junto a ouvidoria do corpo de bombeiros, mas nada acontece. E não é so a vistoria do corpo de bombeiros que demora, tem as vistoria da Secretaria Municipal do Meio Ambiente, Vigilância Sanitária, nenhuma delas demora menos que 30 dias e não existe uma padronização para vistoria e liberação dos certificados e autorização de funcionamento. Se ligar em qualquer um destes orgão o discurso será que em menos 20 dias as vistorias são feitas e os certificados entregues. Precisa mudar a forma de fiscalização, mais efetivo. O que veremos nos proximos dias será uma série de estabelecimentos sendo fechados.

  19. SERÁ
    terça-feira, 29 de janeiro de 2013 – 13:26 hs

    APENAS SERÁ SERIO ESTE TIPO DE SERVIÇO QUANDO O FISCAL ASSINAR O DOCUMENTO DE FISCALIZAÇÃO E APARTIR DISTO SER O RESPONSAVEL LEGAL POR QUALQUER IRREGULARIDADE , AÍ SIM O BICHO PEGA. SE NÃO DEPPOIS FICA ESTE JOGO E EMPURRA , EMPURRA TENTANDO JUSTIFICAR O CAOS COM UMA DECLARAÇAO DE QUE O ALVARA ESTAVA VENCIDO, SERÁ QUE SO SE REGULARIZA NA RENOVAÇÃO OU PARA CONSEGUIR O ALVARA JÁ TEM QUE ESTAR REGULARIZADO???A RENOVAÇÃO SERVE PARA UMA NOVA FISCALIZAÇÃO .
    OUTRA DEVERIA SER LEI QUE QUALQUER ESTABELECIMENTO COM ALVARA VENCIDO SÓ PODERA FUNCIONAR APOS A REGULARIZAÇÃO (FECHA O BOTECO)
    SE PEGAR ABERTO SEM ALVARÁ PROIBE POR 2 ANOS DE ABRIR QUALQUER OUTRO ESTABELECIMENTO) NA INGLATERRA O PUB QUE FICAR ABERTO APOS AS 22 HORAS E FOR PEGO FECHA E O DONO NÃO PODERÁ ABRIR NENHUM COMERCIO EM 2 ANOS.AQUI O FISCAL VAI PEGA E AI……………………..AQUELE ABRAÇO

  20. Claudia
    terça-feira, 29 de janeiro de 2013 – 17:39 hs

    Já denunciei bar ao serviço 156 da prefeitura, informando que tratava-se de estabelecimento sem alvará e o mesmo gerava perturbação do sossego.

    Pois bem… me responderam dizendo que perturbação do sossego é competência da polícia. Até aí tudo bem, pois é mesmo, mas deram por encerrada minha reclamação fazendo de conta que não viram o “estabelecimento SEM ALVARÁ”…

    E foi esse ano ainda, em bairro de periferia ainda, rs… imagine se iam tomar alguma medida.

    Santa Inocência, Claudia!

  21. Luiz de Colombo
    terça-feira, 29 de janeiro de 2013 – 20:45 hs

    Muito bom o comentário da Valéria Prochmann. Toda vez que se pretende fazer o que é correto de conformidade com a legislação é uma choradeira danada e começa com fatos muito mais simples: a perturbação do sossego cuja desobediência está terrível. Outro comentário também cabe: drogados e embriagados tem muito mais dificuldade e discernimento para escapar de ul local em pleno risco.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*