Governo cochila e oposicão convoca diretor envolvido no escândalo | Fábio Campana

Governo cochila e oposicão convoca diretor envolvido no escândalo

Do Josias de Souza:

O tucanato conseguiu demonstrar no Senado que, por vezes, flecha mole em escudo duro tanto bate até que fura. Por requerimento do líder do PSDB, Alvaro Dias, aprovou-se na Comissão de Infraestrutura um “convite” para que o suspeito Rubens Vieira preste esclarecimentos sobre seu envolvimento na máfia dos pareceres.

Diretor afastado da Agência Nacional de Aviação Civil, Rubens é irmão de Paulo Vieira, apontado pela Polícia Federal como “chefe” da quadrilha. O Planalto havia deliberado na véspera que sua infantaria não deveria permitir que nenhum dos acusados no esquema fosse chamado a comparecer ao Legislativo. Deu chabu.

A Comissão de Infraestrutura é presidida por uma senadora oposicionista, Lúcia Vânia (PSDB-GO). Na abertura da sessão, só havia três senadores presentes. Todos antigoverno: além de Lúcia e Alvaro, Wilder Morais (DEM-GO), o suplente do cassado Demóstenes Torres. Assim, o requerimento passou sem contestações.

Minutos depois, chegaram os governistas. Mas Inês já era morta. “Em um rápido cochilo do governo, conseguimos aprovar pelo menos um requerimento importante. É um convite, mas ficará mal ele não comparecer”, celebrou Alvaro Dias.

Optou-se pelo “convite” em vez da “convocação” porque o regimento do Senado não permite aos senadores convocar funcionários públicos de terceiro escalão. Assim, o convidado Rubens Vieira só dará as caras se quiser. E se a PF deixar, já que o encrencado se encontra preso.

Líder do PT no Senado, um retardatário Walter Pinheiro minimizou o feito da oposição. Acha que o “convidado” não irá ao Senado. “Ele vem preso? Você vai tirar o cara da cadeia? Ele não vem nada, quem vem falar é o presidente da Anac. As pessoas envolvidas têm que falar na polícia, não aqui”, disse.

A comissão, a propósito, também aprovou o convite ao presidente da Anac, Marcelo Guaranys. Um personagem que o Planalto havia liberado para falar. Foram a voto requerimentos envolvendo outros acusados no escândalo. Entre eles o “chefe” Paulo Vieira, afastado da diretoria da Agência Nacional de Águas. A essa altura, porém, a infantaria do governo já havia acordado. Os pedidos foram rejeitados.


2 comentários

  1. salete cesconeto de arruda
    quarta-feira, 28 de novembro de 2012 – 22:58 hs

    Álvaro não FAZ NADA PELO PARANÁ porque não tem tempo. Ele é o PORTA VOZ DO PIG e escondido atrás da PRIVATARIA do própria partido finge de morto. Só acorda quando é para PREJUDICAR o governo DO POVO. Está certo o Beto em jogá-lo fora do ninho. Bem feito! Quem manda ser o o bobinho da vez. Quando não tiver espaço para ser candidato a senador outra vez ele lembra os Paranaenses?!
    Sei não!

  2. José Ronaldo
    quinta-feira, 29 de novembro de 2012 – 8:43 hs

    Se este governo fosse realmente do povo (como deveria ser), não estariam todos envolvidos em escândalos e mais escândalos de desvios de recursos públicos.

    Se foi ao longe o tempo de se imaginar um partido que lute pelas causas sociais de verdade, e não pelas causas internas (coisa que o PT vem fazendo desde que assumiu o governo).

    O Álvaro já foi um bom político para o Paraná, mas está velho, engessado, assim como Requião, está na hora de deixarem seus lugares para gente jovem e com novas idéias.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*