Ambev ultrapassa Petrobras como empresa mais valiosa do Brasil | Fábio Campana

Ambev ultrapassa Petrobras como empresa mais valiosa do Brasil

De O Globo:

RIO — A Ambev atingiu valor de mercado de R$ 248,7 bilhões em 21 novembro contra R$ 247,2 bilhões da Petrobras, tornando-se a empresa mais valiosa do Brasil, segundo levantamento feito pela consultoria Economatica divulgado nesta quinta-feira.

No ano, a estatal registrou queda de valor de mercado de R$ 44,3 bilhões enquanto a maior fabricante de bebidas do país fechou com crescimento de R$ 61,1 bilhões. No final de 2011, a Ambev foi a terceira empresa com maior por valor de mercado e a Petrobras a primeira.

Este ano, até o fechamento de quarta-feira, somente três entre as dez maiores empresas em valor de mercado do Brasil apresentam crescimento, entre as quais: Ambev, Souza Cruz e Bradesco.

Peso na América Latina
No final de 2011 a Petrobras era a maior empresa por valor de mercado na América Latina, com com US$ 155,4 bilhões. Em seguida vinha a Vale, com US$ 105,5 bilhões.

Em 21 de novembro, a Petrobras caiu para o 3° lugar e a Vale para a 5° posição. A Ambev no final de 2011 estava no 3° lugar e subiu para a segunda posição na mesma base de comparação.

A Empresa Colombiana de petróleo – Ecopetrol, que no final de 2011 era a quarta maior empresa por valor de mercado, atualmente é a primeira colocada, com US$ 121,1 bilhões.

Entre as 20 maiores empresas por valor de mercado, a Petrobras é a empresa que teve a maior queda percentual, de 24%.

Entre as 20 maiores da América latina, 10 empresas são do Brasil, sete do México, uma da Colômbia, Chile e Argentina.


11 comentários

  1. caruncho
    quinta-feira, 22 de novembro de 2012 – 20:21 hs

    A AMBEV FABRICA CERVEJA ,A PETROBRAS GASOLINA,ENTÃO TEM QUE ULTRAPASSAR MESMO,POIS COM O PREÇO DE UM LITRO DE GASOLINA EU COMPRO DUAS CERVEJAS.

  2. @__deMoura
    quinta-feira, 22 de novembro de 2012 – 21:05 hs

    Nada a ver.
    A Petrobrás teve o seu índice de mercado reduzido porque não concordou em aumentar o preço da gasolina para agradar os acionistas.

  3. Parreiras Rodrigues
    sexta-feira, 23 de novembro de 2012 – 8:09 hs

    Os três mais-mais: álcool, fumo e … fumo.

  4. OCIMAR
    sexta-feira, 23 de novembro de 2012 – 8:55 hs

    ORAS,É MUITO SIMPLES,NA AMBEV A QUADRILHA PETISTA NÃO MANDA E NÃO ROUBA.

  5. JR
    sexta-feira, 23 de novembro de 2012 – 9:03 hs

    Mais uma prova de que vender bebida de alcool, onde aumentou e muito o seu consumo entre os jovens, é sim muito lucrativo. Enquanto isso amargamos uma triste estatistica que mostra o grande aumento no número de acidetes com vítimas, onde o motorista se encontrava embriagado…

  6. Helena
    sexta-feira, 23 de novembro de 2012 – 12:06 hs

    Isso é o resultado de uma empresa bem administrada, não há milagres em uma excelente e honesta gestão, apenas lucros. Aí deixo um questionamento, por qual motivo o pt não deixou sair a CPI da PETROBRÁS? Afinal, ela é de todos nós brasileiros, precisamos de uma satisfação, mesmo porque, todos gostariamos de saber o porquê pagamos caro pelo nosso combustível???

  7. NILSO SGUAREZI
    sexta-feira, 23 de novembro de 2012 – 12:44 hs

    Ler o artigo do HELIO DUQUE, é ter a noção exata do que esta acontecendo nas estatais:

    Incompetência ou irresponsabilidade?

    Hélio Duque

    Estrangular, de acordo com o dicionário, significa apertar o pescoço, impedindo-lhe a respiração, matando por sufocação. Na economia, o estrangulamento financeiro de uma empresa, pode ocorrer por ausência de planejamento e incompetência na sua administração. No Brasil, o governo Dilma Roussef é o responsável pelo estrangulamento financeiro de uma empresa que sempre foi orgulho nacional. Transcreverei, nos parágrafos que seguem, a opinião de três especialistas de diferentes correntes de opinião, mas sintonizadas na radiografia do errático caminho que o governo brasileiro vem impondo autoritariamente à Petrobrás. Descapitabilizando-a, enfraquecendo-a, afetando o seu futuro. Com clara tradução na limitação das suas metas de produção, redução dos investimentos, levando à estagnação no objetivo da autossuficiência.

    1 – “É lamentável a política do governo usando a Petrobrás como biombo da inflação. O Ministério da Fazenda, que preside seu Conselho de Administração aprovou o plano estratégico da empresa, que prevê reajuste de 15% nos combustíveis. Ao segurar esse reajuste está ocasionando os péssimos resultados que estão aparecendo. Falhas desse tipo maculam a imagem do governo e da Petrobrás. Incompetência ou irresponsabilidade?” o seu autor é o economista Amir Khair, consultor econômico e importante pensador econômico do Partido dos Trabalhadores em “O Estado de S.Paulo” (4-11-2012). O segmento sério, independente e estudioso do PT, não é ouvido pelo governo.

    2. “A Petrobrás está perdendo a reputação de empresa séria, duramente conquistada. A previsão era que o pré-sal estivesse em plena produção em 2020, mas o horizonte mais realista, dadas as circunstâncias atuais, é isso ocorrer por volta de 2025, 2030. O desafio de retirar essa riqueza do mar é monumental, mas vem sendo tratado com superficialidade, sem um plano mais completo e consequente para alcançar metas tão ambiciosas. Nenhum país triplicou sua produção offshore de 2 milhões de barros diários para 6 milhões em tão pouco tempo e em águas tão profundas, como está sendo proposto. Isso não quer dizer que não seja possível. Infelizmente, em mais de dois anos de discussões no Congresso Nacional, a única preocupação dos parlamentares foi definir quem vai ficar com o dinheiro. Ninguém estudou os reais obstáculos a superar.” O seu autor é Norman Gall, diretor do Instituto Fernand Braudel de Economia Mundial, morando há 35 anos no Brasil, na revista “Veja” (14-11-2012).

    3 – “Passaram-se cinco anos desde a descoberta, pela Petrobrás, das grandes reservas de petróleo do pré-sal. Na expectativa de nos tornarmos grandes produtores, e até exportadores, assistimos ao recuo da posição de autossuficiência que estávamos prestes a alcançar. A Petrobrás reduz suas metas de produção e as suas previsões de investimentos. Assistimos perplexos ao anúncio, anteriormente inadmissível, de prejuízo da empresa no segundo trimestre de 2012. Da euforia inicial evoluímos para um clima de apreensão. O que aconteceu?” O seu autor é o professor emérito da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Antonio Dias Leite, ex-ministro das Minas e Energia em “O Globo” (3-10-2012).

    A presidência da República, através a sua titular, deveria meditar, refletir e fazer autocrítica sobre as três respeitáveis opiniões. Com a seguinte agravante: desde 2003, inicio do governo Lula, até 2012, atual administração, a Petrobrás vem fracassando em atingir as metas de produção. Ministra de Minas e Energia, depois chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, continuou monitorando o setor de petróleo com a nomeação de submissos ministros na área. Não pode, por consequência, ignorar a inquietante e dramática situação que a Petrobrás foi mergulhada. Daí a pergunta feita pelo destacado economista do PT: “é incompetência ou irresponsabilidade?”.

  8. LUCIANO CARVALHO
    sexta-feira, 23 de novembro de 2012 – 13:08 hs

    A Ambev é uma empresa que visa lucro a todos os custos ao contrário da Petrobras que é uma empresa estatal e seu papel não é apenas ter lucro mas sim dar um qualidade de vida melhor as pessoas.

    So essa de manter o preço do combustível já demostra o papel diferente entre as duas empresas.

    Mas sabemos que a Petrobras vai retornar o pódio em breve as riquezas que a Petrobras tem com o pre sal vai levantar suas ações de novo só basta começar a tirar petróleo do pré sal.

  9. Sergio R.
    sexta-feira, 23 de novembro de 2012 – 13:21 hs

    Essa é a diferença entre a uma empresa de gestão privada e a empresa privada de gestão. Uma abriga profissionais sérios. Outra companheiros. E logo vamos pagar a conta da ineficiência. Como sempre.

  10. mariana
    sexta-feira, 23 de novembro de 2012 – 16:34 hs

    Depois que a “cumpanherada” tomou conta da Petrobrás, as ações só caíram. Coitados dos trabalhadores que investiram o dinheiro do FGTS.

  11. Filipibounce
    quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013 – 10:26 hs

    É tudo muito bom

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*