TJ compra cinco caminhonetes por R$ 173 mil cada | Fábio Campana

TJ compra cinco caminhonetes por
R$ 173 mil cada

Da Gazeta do Povo:

O Tribunal de Justiça do Paraná (TJ) confirmou ontem a compra de cinco caminhonetes Hilux, por R$ 173.990 cada uma. Os veículos serão usados pela Corregedoria do Judiciário paranaense e pela presidência do TJ para viagens pelo interior do estado. No total, a compra dos cinco carros ficou por R$ 869.950.

O presidente do TJ, desembargador Miguel Kfouri Neto, afirmou ontem que não se trata de carros de luxo, mas sim de modelos confortáveis, utilitários. “Um carro luxuoso é de R$ 320 mil”, disse. Segundo ele, o ponto importante é que os carros dão mais segurança para os funcionários do tribunal. “E, para garantir segurança, vamos sempre pagar”, declarou.

Na semana passada, o corregedor do tribunal, o desembargador Noeval de Quadros, já havia defendido a compra. Ele justificou, em nota enviada à imprensa, que “o investimento em segurança se justifica plenamente porque o TJ não pode facilitar, quando muitas vidas estão diariamente em risco, em estradas cada vez mais perigosas”.

O edital da licitação do TJ para a compra dos veículos exigia que os carros tivessem tração quatro por quatro, lugar para cinco pessoas, GPS, CD player com entrada USB e tocador de MP3 player, ar condicionado digital e bancos em couro, entre outros elementos. A Toyota do Brasil terá até 120 dias para entregar os carros. A atual gestão diz que os veículos só serão usados pela gestão seguinte, que assume em fevereiro do ano que vem.


26 comentários

  1. Washington
    quarta-feira, 3 de outubro de 2012 – 13:03 hs

    Meu Deus! que dizer da declaração deste desembargador? sabendo que isto é só um dos muitos outros gastos absurdos por este Poder.

  2. Doutor Prolegômeno
    quarta-feira, 3 de outubro de 2012 – 13:09 hs

    Puxa. Será que esta “classificação” dos carros será adotada pelo IBGE ou pelos institutos de pesquisa. Carros confortáveis, de 170 a 319 mil reais; carros de luxo, de 320 mil e acima. Neste diapasão, os carros ditos populares serão classificados como carros do lixão. Nem a Carminha seria tão rigorosa no padrão dos veículos. Se os funcionários da corregedoria merecem um Hilux, os desembargores merecem comprar como carro oficial um Porsche Cayenne… quem sabe na próxima compra…

  3. Carlos
    quarta-feira, 3 de outubro de 2012 – 13:29 hs

    É uma vergonha esse nosso judiciário, afirmar que uma camionete desta não é um carro de luxo, pior que os outros Desembargadores são coniventes com essa insanidade.Gostaria de saber se Vossa Excelência tem particularmente um carro popular de R$ 173.990,00.

  4. Cindinha
    quarta-feira, 3 de outubro de 2012 – 13:37 hs

    Se a justiça fosse justa e pra todos, até que seria um bom investimento…

  5. Ó
    quarta-feira, 3 de outubro de 2012 – 13:49 hs

    É aquela estória de sempre: os mais mais têm que se destacar… tudo vaidade

  6. Advogado
    quarta-feira, 3 de outubro de 2012 – 14:25 hs

    Aluguel de jatinho, camionete de 180k, mordomias sem fim, enquanto isto nós advogados lutando para conseguir um local digno para trabalhar e ser bem atendido (nos cartórios). Belo exemplo…

  7. Ditão
    quarta-feira, 3 de outubro de 2012 – 14:40 hs

    Uma Ranger super luxo deve estar na faixa dos 90mil

  8. Sílvio
    quarta-feira, 3 de outubro de 2012 – 14:43 hs

    Se somarmos os três “poderes”, ficará ainda mais claro que só temos uma única “fraqueza”.
    Todos iguais.
    Só mudam de endereço, mas normalmente estão sempre pertos uns dos outros, chamando o lugar comum de: “centro cívico”!!!
    Deveria se chamar: “centro cínico”.

  9. fred
    quarta-feira, 3 de outubro de 2012 – 14:56 hs

    se tirar só banco de couro a conta diminui uns 25 mil, cambada dinheiro é nosso!

  10. Anônimo
    quarta-feira, 3 de outubro de 2012 – 15:05 hs

    Realmente este pessoal não tem noção do que falam ou vivem em outra realidade, carro tem que ser acima de 300 mil……caramba…

  11. Coelho Ricochete
    quarta-feira, 3 de outubro de 2012 – 15:20 hs

    Eu sou orelhudo mas não sou burro. Se carro de 173 mil cenouras não é luxo, então o que é luxo na visão da justiça?

  12. cecilia macedo
    quarta-feira, 3 de outubro de 2012 – 15:28 hs

    Pagar com dinheiro público é fácil! E admitir que não é luxo um carro de quase 200 mil é não ter vergonha, é estar c… pro povo.

  13. Cap. Nascimento
    quarta-feira, 3 de outubro de 2012 – 15:56 hs

    Quer dizer que um carro de R$ 100.000,00 não é luxuoso e nem seguro? Que vergonha!!!

  14. André Almeida
    quarta-feira, 3 de outubro de 2012 – 15:57 hs

    Acho interessante a compra das camionetes, e a justificativa é plausível, visto que nossas estradas são muito perigosas.
    Agora lembrando do edital de compra de horas de voo, ai é um absurdo.

  15. Lee
    quarta-feira, 3 de outubro de 2012 – 17:00 hs

    Melhor que alugar. Na compra não há muito espaço para desvios.
    O preço é o preço de tabela e pronto.
    Já…nos aluguéis…Deus nos livre.

    Agora…pelo nível dos serviços prestados pela justiça, um carro 1.0 usado já estaria de bom tamanho.

  16. antonio carlos
    quarta-feira, 3 de outubro de 2012 – 17:42 hs

    As alegações do presidente do nosso TJ são as mais hipócritas possíveis. Se partirmos do pressuposto de que carro de luxo custa acima de 300 mil reais, então só quem tem uma Ferrari ou uma Lamborghini é que podem se arvorar no direito de que tem um carro de luxo. Então vocês aí que saíram correndo para comprar os novos Audis não compraram carrões de luxo não.ACarlos

  17. marcos
    quarta-feira, 3 de outubro de 2012 – 18:55 hs

    É hilux SV ou SW4 ?

  18. TIO SABIÁ
    quarta-feira, 3 de outubro de 2012 – 19:11 hs

    Esse senhor tem algum problema. Será que na vida particular ele e sua família utilizam veículos de mais de R$ 170.000,00 para se deslocarem com segurança e tranquilidade? É patético. Veículo de luxo é o que custa R$ 320.000,00?????? MP nele. PF nele. CNJ nele. Receita Federal nele.

  19. Na Ativa
    quarta-feira, 3 de outubro de 2012 – 19:49 hs

    estou achando que é primeiro de abril…..

  20. Oscar Dc. Oliveira
    quarta-feira, 3 de outubro de 2012 – 20:53 hs

    Fico imaginando todas as empresas privadas que tem funcionários viajando por todo lado nesta pais e se estas mesmas empresas, que são gerenciadas por pessoas que tem responsabilidade pelo dinheiro, se fossem obrigadas a comprar carros desta categoria para seus trabalhos? Será que daria lucro? Ou será que deve ser proposta lei que obrigue as empresas privadas a comprarem carros do mesmo padrão que os do TJ para seus trabalhadores?

  21. sergio silvestre
    quarta-feira, 3 de outubro de 2012 – 21:00 hs

    É bom viver e ser rei absolutista.
    Fazem o que quer com dinheiro dos nossos suados impostos,
    Caso falte algum ,aumentam suas verbas,e na verdade ,isso não serve para o pobre.
    Este senhor ai,deve ser da alta aristocracia curitibana,teve a sorte de ser juiz,ai resolvem ser nababos.
    Da nojo essa nossa justiça,um dia isso deve moralizar,mas só quando essa velha escumalha ir pra debaixo da terra.

  22. cesar - barraquinha.
    quarta-feira, 3 de outubro de 2012 – 21:58 hs

    FOME

    A fome:
    É um corolário da miséria!
    É coisa séria
    E muito grave!
    Pode pôr o mundo a arder,
    Se não houver,
    Força que a trave!

    A fome:
    Para deixar de existir
    E se sumir,
    Da face da terra!
    Bastava só dizer basta,
    Ao que se gasta
    A fazer guerra!

    A fome:
    Tem outras derivações,
    Porque há nações
    Que a fomenta!
    Gente de maldita raça
    Que da desgraça,
    Se alimenta!

    A fome:
    É o produto de um sistema,
    Cujo lema,
    -Verdade dura –
    É o mundo dominar,
    Para regressar,
    À escravatura!

    A fome:
    Se não se fizer com que termine,
    Talvez germine,
    Algo perverso!
    Transformando em antro escuro,
    O futuro,
    Do Universo!

    A. Bastos (Júnior)

  23. marvado
    quarta-feira, 3 de outubro de 2012 – 22:22 hs

    Pois é!!! Enquanto esse tipo de atitude for endossada pelo Executivo teremos as eternas trocas de favores. Uma lástima. Montesquieu deve estar se revirando em seu túmulo ao ler este post. Kkkkkk.

  24. BOZO
    quinta-feira, 4 de outubro de 2012 – 0:13 hs

    SEM COMENTÁRIOS … CADA VEZ MAIS O PODER JUDICIÁRIO SE AFASTA DA REALIDADE PAUPÉRRIMA DO BRASIL … A SAÚDE, EDUCAÇÃO, SEGURANÇA PÚBLICA … OS SERVIÇOS ESSENCIAIS, TUDO ESTÁ SUCATEADO, E O TJ PR GASTANDO A RODO … PRA MIM É NO MÍNIMO IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA, VISTO QUE O DINHEIRO É PÚBLICO E NÃO DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO TJ PR. REALMENTE VERGONHOSO.

  25. joel
    quinta-feira, 4 de outubro de 2012 – 8:59 hs

    Se tivéssemos um judiciário sério nesse país, com certeza a corrupção na política não seria essa que vemos por aí com tantos escãndalos com o dinheiro público.
    Essa compra de camionetes, desnecessária, demosntra a fragilidade de nosso judiciário. Deveriam dar exemplo de austeridade.

  26. Brutus
    quinta-feira, 4 de outubro de 2012 – 22:15 hs

    sem novidades por aqui… o judiciário aplica a velha conhecida e malfadada lei do Gerson: a lei da vantagem de quem pode mais…

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*