Poxa, Racco | Fábio Campana

Poxa, Racco

Do Ancelmo Gois:

A Racco, fabricante graúda de cosméticos e produtos de higiene pessoal, com sede em Curitiba, marcou para domingo, dia de eleição, em Foz do Iguaçu, PR, a sua convenção nacional.

Com isso, cerca de 1.500 pessoas de outros estados deixarão de votar.


9 comentários

  1. Luiz
    sexta-feira, 5 de outubro de 2012 – 10:45 hs

    Lamentável, acho que os donos da empresa são de outro país!!!

  2. Doutor Prolegômeno
    sexta-feira, 5 de outubro de 2012 – 11:14 hs

    Na verdade o Brasil é que de outro mundo. Nos países civilizados, exercer o voto é algo corriqueiro, como ir ao supermercado ou à escola. Não há feriados, não há suspensão de atividades, nem pompa e circunstância. Vota-se e vai-se trabalhar, vai-se à universidade, ao cabelereiro. O Brasil inventou complexidades para votar, uma imensa burocracia estatal remunerada a soldadas régias, que trabalha mesmo quando não há eleição. Um aparato caríssimo e colossal para o exercício do mais elementar e corriqueiro direito da cidadania. Voto obrigatório só favorece os políticos vagabundos, pois o cidadão tem que ir votar, mesmo que não esteja convicto de nada.

  3. JULIO CESAR DE SISTI
    sexta-feira, 5 de outubro de 2012 – 13:30 hs

    Parabens a Racco por esta iniciativa. O voto deveria ser opcional e não uma obrigação para eleger políticos corruptos!!! Serão com certeza 1.500 pessoas felizes da vida por não ter que depositar seus votos em vagabundo nenhum!!!

  4. sexta-feira, 5 de outubro de 2012 – 14:12 hs

    foco no que dá , não no que não dá, fórmula de sucesso.

  5. Valdecir Balduino
    sexta-feira, 5 de outubro de 2012 – 14:27 hs

    Dessa Empresa: Presidente e Diretores não são nem um pouco patriotas, e mais, não tem nenhum respeito pelo Municipio onde está instalada e tão pouco pelos seus funcionários/colaboradores. Não venham depois reclamar de algo do eleito. Quem não vota não tem o direito de reclamar pelos próxmos (04) quatro anos.

  6. Amigo do Valdecir
    sexta-feira, 5 de outubro de 2012 – 17:52 hs

    Concordo contigo Valdecir. O problema é que os idealista de hoje em dia são egocêntricos, enquanto quem conseguiu dar-lhes o direito de votar não pensava só nele. E não faz tanto tempo assim. Tomem por base os comentários aí de cima…

  7. Sergio R.
    sexta-feira, 5 de outubro de 2012 – 18:04 hs

    Essas empresas têm uma agenda. Não têm culpa se o voto é obrigatório em Banânia.

  8. Anônimo
    sexta-feira, 5 de outubro de 2012 – 18:32 hs

    Obrigar os funcionários a não votarem, não compro mais esse produto.

  9. OCIMAR
    sábado, 6 de outubro de 2012 – 8:33 hs

    NÃO ESTÃO PERDENDO NADA,TEM COISA MUITO MAIS ÚTIL A SE FAZER.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*