Postos aumentam preço da gasolina e do etanol em Curitiba | Fábio Campana

Postos aumentam preço da gasolina e do etanol em Curitiba

Da Gazeta do Povo:

O preço dos combustíveis disparou entre esta terça e quarta-feira (31) em postos de combustíveis de Curitiba. Percebido por alguns clientes, o reajuste foi confirmado pelo Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis do Paraná (Sindicombustíveis-PR), que avalia que, desde terça, há uma readequação dos preços. Postos consultados pela reportagem também confirmaram a alta nos preços.

O Procon-PR informou que vai verificar as razões da subida repentina entre os preços e ainda analisar o fato de vários postos estarem cobrando o mesmo preço pelo litro dos combustíveis. Já o Ministério Público do Paraná (MP-PR), informou, por meio de sua assessoria, que não há razões para instaurar um procedimento em relação ao assunto por entender que os preços dos combustíveis voltaram ao patamar normal cobrado anteriormente.

Leitores da Gazeta do Povo afirmaram à reportagem, por meio de relatos no Facebook, que há postos cobrando, por litro, R$ 2,99 pela gasolina e R$ 1,99 pelo etanol. O último levantamento da Agência Nacional do Petróleo (ANP), entre os dias 21 e 27 de outubro, mostra que, nesse período, o preço médio da gasolina em Curitiba era de R$ 2,46 e do etanol R$ 1,82.

O aumento, portanto, pode chegar R$ 0,53 no caso da gasolina e a R$ 0,17 no caso do etanol, se comparados os preços informados pelos leitores do jornal e as médias verificadas recentemente pela ANP.

Uma exceção era o posto localizado na Avenida Cândido Hartmann, 3573, que, durante esta manhã, comercializava os litros de gasolina por R$ 2,39 e de etanol por R$ 1,79. Os preços, porém, foram reajustados à tarde: a gasolina foi a R$ 2,85 e o etanol, a R$ 1,94.

O presidente do Sindicombustíveis-PR, Roberto Fregonese, avalia que a subida de preços se deu porque os valores cobrados pelos postos estavam muito baixos. “O mercado de Curitiba tem uma concorrência muito grande, e havia postos vendendo combustível abaixo do preço de custo. Não há milagre, se o valor estava muito baixo é porque havia fraude. Houve uma readequação de preços, e a tendência era que o valor ficasse em um patamar mais alto”, explica Fregonese.

Ele conta ainda que notificou em cartório os postos que estavam vendendo combustível abaixo do custo. “Não sei se essa subida pode ser reflexo da notificação dos postos”, avalia.

A reportagem está em contato com o Ministério Público do Paraná (MP-PR) e com o Procon para verificar se os órgão consideram abusivo o aumento de preços.


15 comentários

  1. richard
    quarta-feira, 31 de outubro de 2012 – 18:25 hs

    ESSE É O NOSSO MINISTÉRIO PÚBLICO… “preço normal”? Onde? A gasolina NUNCA CHEGOU a 3 reais em Curitiba. Ademais, pouco importa se chegou ou não, pois o crime de cartel está configurado a partir do momento em que sobem todos no mesmo percentual e no mesmo dia. Parabéns MP!!!

  2. loop
    quarta-feira, 31 de outubro de 2012 – 18:38 hs

    … seria o mesmo nao houvesse … término da apuracao eleitoral … Apenas repeteco …

  3. Luis
    quarta-feira, 31 de outubro de 2012 – 19:02 hs

    Nao tem que investigar os postos , tem que investigar as DISTRIBUIDORAS, elas fazem o que bem entendem com os proprietários de postos. Obrigam a baixar os preços e a aumentar quando bem entendem. Mas com elas ninguém mexe, envolve muito dinheiro.

  4. lucia
    quarta-feira, 31 de outubro de 2012 – 20:11 hs

    As eleições terminaram,agora salvem-se quem puder.A partir de agora cobranças,já tem candidato se borrando,e pedindo tempo.Bem empregados eles já estão,agora é só por as lábias em dia……

  5. fiscalde realeza
    quarta-feira, 31 de outubro de 2012 – 20:26 hs

    E O MINISTERIO PUBLICO DO PARANA SÓ SERVE PARA CENTICIAR O REQUIAO
    POIS O RESTO DEITAM E ROLAM E ELES NADA FAZEM
    É PEDAGIO ÉO BETO QUE AUMENTAM AS TAXAS E NADA FAZEM
    O CASO DOS COMBUSTIVEIS JA DEVERIAM TER FEITO ALGUMA COISA A MUITO TEMPO

  6. Pedro Rocha
    quarta-feira, 31 de outubro de 2012 – 20:28 hs

    Esse Roberto Fregonese é o maior cara de pau que existe!
    Há décadas que a ladainha dele é a mesma: sempre há uma “READEQUAÇÃO DE PREÇOS, ou uma RECOMPOSIÇÃO DE NOSSAS MARGENS!”
    O mais curioso, é que a imprensa não volta lá, logo depois dos feriados para perguntar-lhe onde foram parar a tal readequação de preços, ou a tal recomposição de margens, já que os preços voltam sistematicamente ao mesmo patamar anterior.
    Isso tudo é APENAS CARTELIZAÇÃO DE PREÇOS, e o tal MP sempre tão cioso com coisas menores, nada de mal vê nesses crimes c ometidos!

  7. Parreiras Rodrigues
    quarta-feira, 31 de outubro de 2012 – 20:49 hs

    Como na Ditadura, depois das eleições e em vésperas de feriadaços.

  8. VACINA A-PT
    quarta-feira, 31 de outubro de 2012 – 21:42 hs

    PORQUE NAO FIZERAM ANTES DAS ELEIÇOES?????

  9. kiko
    quarta-feira, 31 de outubro de 2012 – 22:19 hs

    Procon e MP nestes ladrões, até pensei que fosse coisa do Governo, mas me enganei. Cana nestes ladrões. ACarlos

  10. Pedro Rocha
    quarta-feira, 31 de outubro de 2012 – 22:47 hs

    Acho que o Parreiras Rodrigues, sempre tão equiibrado em seus comentários, comete um deslize: – Na época do governo militar, o combústivel aumentava no dia que tinha que chegava a fatura do OPEP, e pronto.
    Lembra do Shigeaki Ueki? – Era o japonês aparecer na tela, e a gente correr pro posto…
    Até porquê, vivíamos a crise internacional do petróleo, provocada pela OPEP, a qual, cortou em mais de 50% a produção, fato que quintuplicou o valor do litro nas bombas.
    Nos EUA foi o fim dos Chevelles beberrões, e tantos outros modelos, símbolos da euforia americana. Por aqui, meus Maverick’s, hoje simplesmente Mavecos, diluiram-se junto com a gasolina que consumiam.
    E naquele momento, éramos totalmente dependentes da importação. Nossa produção era minima!
    Quem fez a sacanagem histórica nesse sentido foi o tal José Sarney em 1996, que na campanha jurou não aumentar a gasolina.
    Enquanto ainda se contavam os votos, o maldito quase dobrou o valor do litro, com a desculpa do tal depósito compulsório. (Alguns anos atrás, recebi cerca de R$ 500,00 de “restituição”!
    Delfim Neto, à época, cunhou a sacanagem como um ESTELIONATO ELEITORAL, termo que perdura até hoje para casos parecidos. Nada mais bem colocado…
    Abraço.

  11. Vigilante do Portão
    quinta-feira, 1 de novembro de 2012 – 3:15 hs

    KKKKK

    Bastou terminar a eelição e TOME aumento.

  12. Eu
    quinta-feira, 1 de novembro de 2012 – 8:43 hs

    TEREMOS QUE VOLTAR NO TEMPO E USAR A FAMOSA CARROÇA.

  13. Tony Carlos
    quinta-feira, 1 de novembro de 2012 – 18:42 hs

    Verifiquei em jornais on-line e a verdade é a seguinte, o Sindicato tenta justificar, alguns donos(gerentes) de postos postaram comentários tentando justificar o injustificável. O povo tem que abrir o olho e se unir nesta hora, nos roubam todos os dias em todos os setores da economia, vamos denunciar, reclamar, boicotar etc., usem a INTERNET a nosso favor, Facebook, Twitter e outras formas do mundo virtual, para nos proteger, o consumidor deve proteger outro consumidor, eles (Postos) não se protegem? Boatos, será lançado em Ctba Site que terá preços de combustível e Sistema de Rotas, ATENÇÃO.

  14. sexta-feira, 2 de novembro de 2012 – 20:39 hs

    vamos pedir nota fiscal sempre e pagar com cartao. pelo menos os impostos voltam em beneficios para nos indefesos.kakakakakakak!

  15. sexta-feira, 2 de novembro de 2012 – 20:44 hs

    vamos pagar com cart ao sempre e pedir nota fiscal pelo menos os impostos voltam em beneficios para nos.porque todos os politicos trabalham somente em prol do povo. kakakakakakakakaka!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*