Lerner na GloboNews | Fábio Campana

Lerner na GloboNews

Jaime Lerner participa agora do programa GloboNews Alexandre Garcia. Discute a organização de cidades e o transporte público. “Esqueçam o automóvel”, diz ele. “O carro é o cigarro do futuro”, completa, alertando que não existe a solução. Solução, só o somatório de vários métodos alternativos de transporte de qualidade, como boas linhas de metrô, boas ciclovias e boa organização do trânsito, diz Jaime. Sobre a segurança, Lerner criticou os condomínios fechados com seus muros altos: “Eu não gosto nem do gueto dos muito pobres, nem do gueto dos muito ricos”. E em momento de descontração, brincou: “Arquiteto? Não saia de casa sem ele”.


22 comentários

  1. kiko
    quarta-feira, 31 de outubro de 2012 – 21:58 hs

    O Jaime se esqueceu de dizer que, com o preço da passagem de ônibus, fica inviável deixar o possante em casa. Ir de ônibus para o serviço às vezes é mais caro que de carro. Não acredita, então faça a conta, dois no possante, ida e volta, quanto deu? E se tiver um possante importado, que faz 12 km/l ou mais, aí fica melhor ainda. ACarlos

  2. Sueli Roveda
    quarta-feira, 31 de outubro de 2012 – 22:00 hs

    Concordo em tudo o que o Jaime Lerner falou, temos que pensar rápido, senão não vamos mais conseguir andar nas ruas das nossas cidades.

  3. bacamarte
    quarta-feira, 31 de outubro de 2012 – 22:11 hs

    Ele deve ter muito orgulho do que fez. Desejo-lhe muita saúde para cumprir uma longa pena em presídio pelo que fez vendendo o Estado do Paraná em nome da Privataria Tucana.
    Não vamos confundir o suceso de um arquiteto com um dos maiores orçamentos do Brasil em mãos com o sucesso de um dos piores governadores que Paraná já teve ao entregar patrimonio paranaense por dívidas que favoreceram amigos e demais corruptos. Se Deus quiser um dia este senhor pagará a conta que tem com os paranaenses.

  4. Viezzer
    quarta-feira, 31 de outubro de 2012 – 22:18 hs

    Eu também assisti…Mas é complicado largar o carro para andar de ônibus…Para ir de ônibus ao trabalho, eu preciso acordar 50 minutos antes do que quando vou de carro…A gente trabalha para desfrutar…

  5. Marcus V Braga Alves
    quinta-feira, 1 de novembro de 2012 – 3:01 hs

    Ao contrario do que ele pensa, nao e ele quem define aqueles que amam Curitiba.

    E se realmente amasse Curitiba e o Parana, nao tinha entregado o Banestado.

  6. Vigilante do Portão
    quinta-feira, 1 de novembro de 2012 – 3:05 hs

    Pois é,

    Em Curitiba, ele não quer o Metrô.

  7. valdir braga
    quinta-feira, 1 de novembro de 2012 – 5:30 hs

    MEUS DEUS ESTE “HOMEN” MATOU O PARANA, E AINDA TEM GENTE QUE DA OUVIDOS A ESTE FALSARIO.

  8. Coala
    quinta-feira, 1 de novembro de 2012 – 7:59 hs

    A visão de 1 Mundo do Jaime Lerner e muito boa, porem não cabe para uma Cidade onde as pessoas comem galinha e arrotam caviar. Vc acha que esse povo Curitibano vai deixar de desfilar de carro? Esqueça. O Sr e Arquiteto para Países desenvolvidos e tome cuidado que tem Professores da UFPR da Engenharia acabando com sua vida por aí.

  9. Parreiras Rodrigues
    quinta-feira, 1 de novembro de 2012 – 8:14 hs

    Precisa-se clonar Jaime Lerner. Vai que ele inventa de se juntar à dona Fani de novo e a gente fica aqui, empobrecida de tão abençoado talento. E gosto dêle também porque é humorado, de bem com a vida, não cáustico e deseducado como um adversário seu que, a bem da verdade, fosse eu Jaime, não lhe permitiria engraxar os sapatos.

  10. Thiago
    quinta-feira, 1 de novembro de 2012 – 8:53 hs

    Será que ele pensa que esquecemos.
    Foi o senhor ex governador que zerou impostos das montadoras no Paraná, ou seja contribui e muito para este caos no mundo ….

  11. Luciano
    quinta-feira, 1 de novembro de 2012 – 9:07 hs

    Bacamarte….pessoas como vc deviam ir morar em Cuba…

  12. luiz*
    quinta-feira, 1 de novembro de 2012 – 9:08 hs

    Esse gordinho jamais será esquecido pela história.
    Especialmente quando os cidadãos passam pelas praças de pedágio.
    Fui a Foz de moto, gastei em pedágio o mesmo que gastei em combustível, estrada perigosa, poucas 3ª faixas e duplicação que é bom….
    Ele poderia se penitenciar e dizer que o pedágio do jeito que está, precisa ser alterado.
    Pedir perdão, pode não consertar, mas alivia.

  13. quinta-feira, 1 de novembro de 2012 – 9:19 hs

    O cara só podia assinar Bacamarte. É um um estúpido porque não reconhece o que o Jaime ARQUITETO fez por Curitiba. Como político, é outra conversa. Só a estupidez consegue turvar o entendimento desses caras.

  14. Beyt
    quinta-feira, 1 de novembro de 2012 – 9:33 hs

    Bom seria, talvez,
    Voltar àqueles tempos de novidades,
    De ônibus vermelhos (imagina isto em cidade cinza e azul) em vias exclusivas;
    De criação de “terminais” onde usuários pagavam uma passagem e podiam fazer conexões com muitas linhas; Tempos da criação de linhas interbairros, ligeirinhos, parques públicos; da geometria a serviço do bem público( basta olhar a cidade do alto de um edifício para ver como pessoas, veículos e coisas circulam em traçados geométricos das praças, ruas, construções).
    Da inauguração de shoppings, de cantata de natal,; ciclovias com aluguel de bicicletas,
    poxa! Onde perdeu-se a criatividade no gerenciamento das cidades?
    Claro que haviam os desvios, as corrupções, mas tudo isto parecia estar tão longe que o glamour e sensação de bem estar davam conta de contentar o cidadão curitibano! Mas depois veio a verdade….E entre a verdade e a ilusão…Melhor ficar com a ilusão!

  15. sergio silvestre
    quinta-feira, 1 de novembro de 2012 – 9:50 hs

    Tinha um amigo de pescaria que era a cara do Lerner,até na protuberancia.Astuto como o LERNER,onde aprendi muito de politica com ele.
    Acho que o BETO deveria se aproximar do velho LEÃO MARINHO,e botar na sua cabeça alguma coisa que mude sua descida na popularidade.

  16. Wilmar
    quinta-feira, 1 de novembro de 2012 – 10:48 hs

    Grande Arquiteto, Grande Prefeito, pena aquele segundo mandato junto ao Governo do Estado. Mas a visão continua afiada, antevendo um futuro inevitável. Transporte público ou individual não motorizado é a solução.

  17. Francisco
    quinta-feira, 1 de novembro de 2012 – 10:49 hs

    Jaime Lerner é admirado no mundo todo, porém, enquanto governador, esqueceu de Paranaguá, esqueceu do Porto. Não deu soluções aos gargalos logísticos de Paranaguá. Hoje, para sair de Paranaguá de carro leva meia hora, tamanho os gargalos e trânsito intenso. Mas o Petrália ele manteve o tempo que pode no Porto. Disso o parnanguara não pode esquecer. Eu que sou parnanguara dou nota zero pro Jaime Lerner.

  18. botelho ferro
    quinta-feira, 1 de novembro de 2012 – 13:37 hs

    A gente era feliz e não sabia! Volta Jaime.

  19. Odorico
    quinta-feira, 1 de novembro de 2012 – 16:11 hs

    So falta o bacamarte pedir a liberdade para os mensaleiros,viuva do luli$mo.

  20. Ivan Carlos Komanski
    quinta-feira, 1 de novembro de 2012 – 20:29 hs

    Os pedágios mandam lembranças!

  21. GASTÃO
    quinta-feira, 1 de novembro de 2012 – 23:39 hs

    === A INVEJA MATA, ====
    ===== VEJAM OQUE ACONTECEU COM REQUIÃO, ESTÁ MORTO PARA A POLÍTICA, DEVIDO A INVEJA QUE TEM DO DO “J L”.
    =========O JAIME ESTÁ 100 ANOS NA FRENTE DESTES POLÍTICOS.ATRASADOS EM TODOS OS SENTIDOS.
    ====== QUEM NÃO GOSTA DO JAIME NÃO GOSTA DE CURITIBA, OS COMENTÁRIOS CONTRÁRIOS , PARTEM COM CERTEZA DAS VIÚVAS DO REQUIÃO.-
    RESPONDA RÁPIDO, QUAL A GRANDE OBRA DO REQUIÃO, EM QUAL DE SUAS GESTÕES????

  22. bacamarte
    sexta-feira, 2 de novembro de 2012 – 18:55 hs

    Para as viúvas do Jaime, o perdulário do dinheiro alheio:
    Como já disse, um excelente arquiteto mas um péssimo político, e deveria fazer companhia aos seus pares na cadeia, sejam mensaleiros, aloprados, corruptos, turma do Lula, de qualquer partido.
    Como disseram acima, se gostasse de Curitiba e do Paraná não tinha presenteado o Itaú com o Banestado. Foram mais de 8000 demissões e a perda da capilarização de recursos em pequenos municípios que até hoje não foi regularizada, comprometendo a economia local. Falando de Jaime Lerner só pensando em Curitiba é pensar pequeno, tanto no bom sentido (arquiteto) como no mal sentido (político). Não deveremos aceitar que qualquer partidoou político suba ao poder e dele se benficie nos mandando a conta.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*