PT defende modelo do mensalão, diz Alvaro Dias | Fábio Campana

PT defende modelo do mensalão, diz Alvaro Dias

“Com a condenação dos mensaleiros, o PT defende o modelo que originou o mensalão, e rima governabilidade com promiscuidade.”

Do líder do PSDB no Senado, Alvaro Dias (PR), sobre a nota em que a direção do partido convoca a militância a defender o PT e o ex-presidente Lula. No Painel da Folha.


6 comentários

  1. Trocando em Miúdos
    quarta-feira, 19 de setembro de 2012 – 10:52 hs

    A petezada safada, que queria ficar no poder pelo menos por cem anos, tá vendo, é a vaca com uma estrela na testa, atolada além do pescoço no brejo imundo da canalhice, do roubo, da promiscuidade, da falta de patriotismo e do desrespeito às nossas mais sagradas instituições!
    Da tão decantada Mimosa petista, vê-se ao longe, só os chifres! Graças aos Céus, e aos poucos homens sérios que sobraram na direção desse país!
    Novos e promissores ventos já sopram!

  2. Josué
    quarta-feira, 19 de setembro de 2012 – 11:21 hs

    O Senador deveria reivindicar benefícios para o Paraná e não ficar criando factóides para ajudar somente o Serra, até parece que é senador paulista, ops, esqueci que ele nasceu em São Paulo. Ainda bem que não vai ter legenda para ele na próxima eleição, pois o PSDB pretende lançar outro candidato. Tá forte o nosso safo!!

  3. Adilson
    quarta-feira, 19 de setembro de 2012 – 11:28 hs

    Até o momento, só vemos nuances da tão esperada punição a corja de ladrões que estão sendo julgados no STF!

  4. ernesto
    quarta-feira, 19 de setembro de 2012 – 11:37 hs

    Veríssimo e o grande silêncio da mídia sobre a origem do mensalão

    O grande silêncio

    Por Luis Fernando Verissimo

    É sempre bom investigar a origem dos fatos e das palavras. Você pode descobrir coisas surpreendentes. Por exemplo: o final abrupto de uma frase de jazz moderno, vocalizado, soava algo como “be-ree-bop”. É daí que vem o nome do novo estilo de tocar jazz, “bop”. O “biribop” foi usado numa música brasileira que falava da influência do novo jazz no samba – “eba biribop”, lembra? – e não demorou para que o “biribop” do samba se transformasse em “biriba” e acabasse sendo o nome do cachorro mascote do Botafogo, segundo alguns um dos maiores responsáveis pela boa fase do time na época – e nome de um jogo de cartas. Hoje quem joga biriba (ainda se joga biriba?) não desconfia que tudo começou nos clubes de Nova York onde alguns músicos faziam uma revolução que não tinha nada a ver com o baralho.

    A procura de origens pode levar por caminhos errados, é verdade. Ainda no campo da música: quando a Bossa Nova começou a ser tocada nos Estados Unidos uma das curiosidades dos nativos era o significado do termo “bossa”. Quem procurou num dicionário leu que “bossa” era a protuberância nas costas de um corcunda, não podia estar certo. Aí alguém se lembrou de um LP gravado pelo guitarrista Laurindo de Almeida nos Estados Unidos anos antes, junto com três americanos, uma saxofonista, uma baterista e um contrabaixista, que incluía ritmos brasileiros. E surgiu a teoria que o disco do Laurindo de Almeida teria sido muito ouvido no Brasil e a marcação do baixo nos sambas muito impressionara os músicos locais. Claro, “bossa” era uma corruptela de “bass”, contrabaixo em inglês. Tudo esclarecido. (Não foi a única injustiça que fizeram com o João Gilberto, o verdadeiro criador da batida da bossa. Ainda inventaram que ele roubara o jeito de cantar do Chet Baker.)

    Mas tudo isto, acredite ou não, tem a ver com o mensalão. Ouvi dizer que a origem do esquema que está sendo condenado no Supremo é uma eleição em Minas que envolveu alguns dos mesmos personagens de agora, só que o partido favorecido foi o PSDB. Se a origem é esta mesmo, ou – como no caso da origem da bossa nova – há um mal-entendido, não sei. Mas não deixa de surpreender a absoluta falta de curiosidade, da grande imprensa inclusive, sobre esta suposta raiz de tudo. Só o que há a respeito é um grande silêncio. O barulho com o esquema precursor mineiro ainda está por vir ou o silêncio continuará até o esquecimento? É sempre bom investigar a origem dos fatos e das palavras. Inclusive porque dá boas histórias.

  5. ernesto
    quarta-feira, 19 de setembro de 2012 – 11:49 hs

    Esse é mais um que não se elege para mais nada, graças a Deus. Fica bravejando que o PT é sujo, mas seu partido entra até na Justiça Eleitoral para liberar a participação da presidente petista no programa de Ducci.
    É muita hipocrisia.

  6. quarta-feira, 19 de setembro de 2012 – 15:37 hs

    Nem Alvaro Dias e nem PSDB tem moral para falar do Mensalão poi foi o PSDB que começou o Mensalão em Minas Gerais. Alvaro voce tambem está velho na politica, sua validade já está vencida.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*