Caiu a ficha dos petistas | Fábio Campana

Caiu a ficha dos petistas

Do Ilimar Franco, O Globo:

A condenação pelo STF do deputado João Paulo Cunha (PT-SP) era esperada no partido. Mas não que ela fosse também pelo crime de lavagem de dinheiro. A partir de agora, os réus no processo do mensalão avaliam que podem ir para a cadeia.

Os ex-presidentes do PT José Genoino e José Dirceu estão a cada dia mais apreensivos com os rumos do julgamento do mensalão. O caso mais grave é o de Genoino. Deprimido, na volta das férias, deve pedir licença do Ministério da Defesa.

Mesmo com o apoio do novo presidente do STJ, Félix Fischer, Sérgio Kukina não deve ser nomeado para a vaga do Ministério Público no STJ. No Planalto, ele é considerado tucano. A tendência da presidente Dilma é pela nomeação do procurador Sammy Barbosa, que tem o apoio do vice do STJ, Gilson Dipp, do governador Tião Viana (AC) e do senador Jorge Viana (PT-AC).


6 comentários

  1. Vigilante do Portão
    segunda-feira, 3 de setembro de 2012 – 4:18 hs

    A Batata tá assando.

    KKKK

    E o LULA,
    Não diz nada?

    Já sei,

    Vai dizer que o STF é como o Tribunal Italiano que julgou o Batistti:

    TENDENCIOSO.

  2. Silvajr
    segunda-feira, 3 de setembro de 2012 – 9:28 hs

    Gurgel é aquele que não viu nada demais entre Perillo e Cachoeira
    Que aproveitem bem a comemoração pelo êxito provisório desse esquema criminoso que uniu setores do Poder Judiciário, do Ministério Público, do Legislativo e da imprensa em um conluio para produzir a farsa estupradora de direitos civis em que se converteu o julgamento do mensalão, pois cedo ou tarde terão que responder por seus crimes.

    Chega a ser piada: a autoridade que deu curso a esse processo na forma como está sendo conduzido se chama Roberto Gurgel. Ele condenou o deputado petista João Paulo Cunha por ter sacado (ou mandado sacar) 50 mil reais na boca do caixa, pagos por um esquema supostamente criminoso.

    Gurgel é o mesmo que não viu nada demais quando lhe chegou às mãos a informação de que o governador de Goiás, Marconi Perillo, no exercício do cargo estava fazendo transações pessoais de milhões de reais com o bicheiro Carlos Cachoeira, indicando funcionários públicos em seu governo a mando do mesmo e até confraternizando com ele.

    Detalhe: tanto é que Gurgel não viu nada demais nas relações entre Perillo e Cachoeira que só abriu inquérito contra o governador de Goiás anos depois de saber de suas relações e só porque o mesmo pediu

    É uma piada esse julgamento do mensalão. A condenação de João Paulo Cunha fez dele o PRIMEIRO – isso mesmo, leitor, o primeiro – político condenado na história do STF. Ou seja: nunca antes na história deste país outro político mereceu ser condenado naquela Corte. Começou por um acusado de receber 50 mil…

    O pior não é isso. Não há um vínculo direto entre quem é acusado de pagar João Paulo e ele. Ao menos um vínculo sequer parecido ao que há entre Perillo e Cachoeira.

    Marcos Valério não vendeu casa a João Paulo, não conseguiu que indicasse funcionários para a Câmara dos Deputados, não recebeu do publicitário telefonema de felicitações pelo aniversário nem nada. Perillo se envolveu em tudo isso e Gurgel não viu nada demais (!). Onde é, diabos, que o Brasil melhorou com essa farsa?

  3. Francisco de Assis
    segunda-feira, 3 de setembro de 2012 – 9:36 hs

    Esta certa a Presidenta, não pode deixar o sistema Cachoeira de nomeações prevalecer

  4. Neto
    segunda-feira, 3 de setembro de 2012 – 10:57 hs

    Um guerrilheiro sem uma guerra para lutar. Seus ideais de Che e de Fidel foram para o buraco. Ministro que não gosa do respeito das forças armadas, que são o berço da dignidade e da moral em nosso país. Caia fora Genuíno…..é o melhor que vc faz.

  5. Coelho Ricochete
    segunda-feira, 3 de setembro de 2012 – 14:24 hs

    Silvajr, o Cássio Taniguchi tb já foi condenado pelo STF…

  6. Carlos André G. Pangracio
    quarta-feira, 5 de setembro de 2012 – 20:00 hs

    Reporto-me ao comentário sobre a candidatura do Dr. Kukina, advindo de um Blog de O Globo- sr. Ilimar Franco e reproduzido neste espaço como se constata conjuntamente num mesmo texto sobre julgamento do mensalão, cuja colocação e a co-relação se apresenta totalmente fora de propósito.
    Afirmar que o Dr. Sérgio Luiz Kukina (Ilustríssimo Procurador do Ministério Público do Paraná e forte candidato a Ministro do STJ/vaga do MP) ser um tucano é no mínimo irresponsável. Só a título de informação, o Dr. Kukina tem o apoio de todos os deputados da Assembléia Legislativa do Estado do Paraná, pelo Governo do Estado, por parlamentares federais, diversos membros no Executivo Federal, associações públicas e privadas, ou seja, independente de qualquer partido político, o Paraná está com ele, e sua nomeação é totalmente suprapartidária. Deve-se destacar também que este ilustre paranaense, grande profissional ético, brilhante e digno de estar onde está não é filiado a nenhum partido, visto que, consoante a função exercida no MP, sempre evitou qualquer ligação partidária, mantendo a integridade e imparcialidade no exercício de sua função pública, e, portanto, deve se execrar tão leviana nota.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*