A questão é a dose | Fábio Campana

A questão é a dose

Do Ilimar Franco:

Cresce entre os advogados dos réus do mensalão a preocupação com a dosimetria das penas, após indicação de que ministros do STF que votaram pela absolvição não irão participar do cálculo das penas. Com essas abstenções, a média de anos de condenação deverá ser alta. Ministros mais rigorosos sinalizam que usarão metodologia severa para o cálculo, como tirar a média entre o tempo mínimo e o tempo máximo da pena e somar a esse resultado os anos referentes ao tempo mínimo. Advogados citam o caso de João Paulo Cunha, cuja pena pode ir de regime semi-aberto a fechado, conforme a dosimetria.


2 comentários

  1. Neto
    sexta-feira, 14 de setembro de 2012 – 10:54 hs

    Pelo menso é a torcida da direita raivosa e revoltada. Querem transformar um julgamento que deveria ser tecnico em julgamento politico para ver se voltam ao poder apos 2018

  2. Ocimar
    sexta-feira, 14 de setembro de 2012 – 15:46 hs

    NETO,OU POSTA COISA QUE PRESTA OU VA PRA RUA FAZER CAMPANHA POR “FRUITINHA” ELE TA PRECISANDO,E MUITO.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*