"Não recebo um real, estou na rua por ideal", diz Meirinho | Fábio Campana

“Não recebo um real, estou na rua por ideal”, diz Meirinho

A campanha do PSoL, baseada na militância, está nas ruas. Nesta semana, com o lema “Não recebo um real, estou na rua por ideal”, Bruno Meirinho e os militantes do partido realizaram panfletagens no Pinheirinho e na Praça Rui Barbosa.


5 comentários

  1. tadeu rocha
    sexta-feira, 24 de agosto de 2012 – 13:45 hs

    sabe porque voce nao recebeu um real, se voce falasse das tuas proposta, voce ainda ia ter um pouco de sucesso, nao, voce combina com os outros e mete o pau no luciano , quem perde voce seu partido, nao sei como seu presidente do partido aprova isso, sabe meirinho faça isso nao deixei eles usarem voce , quem ganha é eles e perde o seu partido, isso se voce gostar do seu partido acho de sim, meirinho voce sabia que o ratinho tambem aprovou o salario dos deputados em 28.000, reais, sabendo que seu pai é rico, meirinho faça um teste nos proximos programa seu, fale de voce das tuas proposta voce vai ver as pesquiza depois, eles querem de usar só ratinho e gustavo voce é o bode espiatório para eles.

  2. marisa do carmo
    sexta-feira, 24 de agosto de 2012 – 14:26 hs

    Lenda o meirinho, eu tambem acredito em papai noel, fuiiiiiiiiiiii

  3. duda
    sexta-feira, 24 de agosto de 2012 – 16:14 hs

    Quanta ingenuidade. Ninguém que está na rua ganha um real, mas sim milhares de notas de um real. E esse povo vive do quê? hum? onde moram os militantes, como ganham o pão de cada dia? Para estar na rua sem bater ponto, alguém está bancando a conta da militância. É o papai? bem cara de socialista de faculdade.

  4. antonio carlos
    sexta-feira, 24 de agosto de 2012 – 21:20 hs

    Quanto mais radical o partido mais filhinhos de papai e mamãe tem. O radicalismo não faz parte da vida de quem trabalha, a gente não tem tempo para ficar filosofando e imaginando como é viver no mundo da lua. ACarlos

  5. gislaine
    quinta-feira, 6 de setembro de 2012 – 15:22 hs

    Acho que ninguém entendeu a campanha “tô na rua por um ideal”, é lógico que os militantes, inclusive o Bruno, trabalham para se sustentarem, o que a campanha quer dizer é que o Psol não pega dinheiro de empresários para sua campanha e que não usa este mesmo dinheiro para pagar explorar a miséria das pessoas que recebem R$20,00 por dia num subemprego.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*