TRE rejeita recurso do Estado e propaganda da UPS seguem proibidos | Fábio Campana

TRE rejeita recurso do Estado e propaganda da UPS seguem proibidos

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE/PR) rejeitou nesta quarta-feira (25) recurso do Governo do Estado contra a decisão que determinou a suspensão “de novas veiculações da publicidade institucional promovida pelo Governo do Estado do Paraná referente as Unidade Paraná Seguro – UPS”.

No último domingo (22), o juiz Marcelo Wallbach Silva proibiu os comerciais e estabeleceu multa de R$ 10 mil por exibição, por considerar que eles beneficiam o candidato à reeleição, prefeito Luciano Ducci. A proibição atende a ação proposta pela coligação Curitiba Quer Mais, que tem Gustavo Fruet (PDT) como candidato a prefeito. Foi preparada pelo advogado Luiz Fernando Pereira (foto).

Nesta quarta-feira, ao negar provimento ao mandado de segurança do Governo do Estado, o relator do recurso, Fernando Ferreira de Moraes, reafirma a preocupação em preservar as condições de igualdade entre os candidatos a prefeito. “A suspensão da veiculação das inserções comerciais das UPS se encerra daqui a pouco mais de dois meses, mais precisamente em 07/10/12, resguardando um bem jurídico de extrema importância que merece mais atenção neste momento, a igualdade entre os candidatos que disputarão o cargo de prefeito em Curitiba, o que não diminui em nada a questão da relevância da segurança pública neste mesmo município”, afirma o relator.


6 comentários

  1. Anônimo
    quinta-feira, 26 de julho de 2012 – 15:03 hs

    Parabens a este Juiz, pois em época de eleições tudo que se faz é pensando no voto e ainda mais no caso de propaganda que custa caro os cofres públicos e sem retorno.

  2. carlos rocha
    quinta-feira, 26 de julho de 2012 – 16:17 hs

    Só falta agora advogados do outro lado solicitar que os programas do governo federal sejam suspensos porque favorecem os candidatos da dona dilma, é a justiça é cega e concede.

  3. SUB LANTMANN
    quinta-feira, 26 de julho de 2012 – 16:39 hs

    Dia 24 assisti matéria no Jornal Nacional que tratou do assasinato de uma Policial Militar Feminina que trabalhava na UPP (Unidade de Polícia Pacificadora) do morro do alemão, no Rio de Janeiro e percebi a preocupação do Governador (CABRAL) e do Secretário de Segurança (BELTRAMI), não com a morte da Policial Feminina mas, em garantir para a mídia que a franquia UPP estava em pleno funcionamento e que não iriam se intimidar.
    JN – Edição do dia 24/07/2012
    Na verdade o projeto das UPP’s está vazando água e descendo o morro simplesmente porque a Polícia Militar do Rio de Janeiro se submeteu ao Governo e abriu demais as pernas.
    Ocorre aqui em nossa terra o mesmo processo, onde um Governador tentando eleger o Prefeito da Capital, submete a Polícia Militar do Paraná a um grande esforço humano e de recursos materiais, com nítido prejuízo de outras regiões do Estado e da sociedade em geral.
    Lamentamos que a mídia, comprada, interessada no dinheiro da publicidade que jorra dos cofres públicos finja não saber de nada.
    Como arauto do apocalipse, “prevejo” em um futuro não muito distante (final desse Governo), a falência completa das UPS (Unidades Paraná Seguro), com a Polícia Militar do Paraná arcando com o ônus da frustração do povo.
    Se o Governo investisse tanto na Segurança Pública quanto investe na propaganda, talvez os resultados pudessem ser diferentes.
    Sérgio Luiz Lantmann

  4. Mauri
    quinta-feira, 26 de julho de 2012 – 19:24 hs

    Quanto medo….

  5. Mauri
    quinta-feira, 26 de julho de 2012 – 19:25 hs

    Ueh..Acabei de assistir a propaganda…!!

  6. luiz antonio
    quinta-feira, 26 de julho de 2012 – 21:50 hs

    Deveriam proibir este tipo de propaganda em todas as esferas. Propaganda sobre obras de governo são usadas tão somente para influenciar o voto da população e torrar o dinheiro público.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*