MP lança movimento Paraná sem Corrupção | Fábio Campana

MP lança movimento Paraná sem Corrupção

De Lucian Haro, Banda B:

Ao que tudo indica, 2012 será mesmo o ano do combate à corrupção no Brasil. Há uma semana, a Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep) lançou a terceira edição da cartilha do movimento “A Sombra do Imposto”, tratando justamente da necessidade de pôr fim ao desvio de dinheiro público no pais e, amanhã, o Ministério Público do Estado (MP-PR) dá largada ao movimento “Paraná Sem corrupção”, que visa acabar com as fraudes aqui no estado.

Nesta primeira fase do movimento do MP, serão realizadas ações em escolas públicas de todo o Paraná. Durante os meses de agosto e setembro, professores de escolas ligadas a cada um dos 32 Núcleos Regionais de Educação trabalharão o tema com os alunos do ensino médio, a fim de conscientizá-los sobre o que é a corrupção e o que cada um tem a ver com esse estado de coisas e também sobre a importância do voto consciente. “A iniciativa, agora, é mais focada na educação e nos adolescentes que exercem seu voto pela primeira vez, mas o objetivo é engajar cada vez mais atores sociais no Movimento, a fim de atingir o maior número de pessoas, em todos os segmentos possíveis”, afirma o procurador-geral de Justiça do estado, Gilberto Giacoia.

Ações
Cerca de 160 integrantes do Ministério Público do Paraná estarão atuando diretamente no movimento. Nesta sexta-feira (20), data do lançamento, aproximadamente 120 membros do MP e 40 servidores estarão reunidos. O encontro é uma das primeiras ações do Movimento e visa trazer experiências de quem já atua na área da mobilização social e combate à corrupção, incentivando e dando subsídios aos promotores de Justiça que queiram atuar diretamente no movimento. Os membros do MP, participantes da iniciativa, assinarão um termo de adesão ao movimento e terão de desenvolver planos de ação específicos, a fim de se obter melhores resultados.


9 comentários

  1. Zangado
    sexta-feira, 20 de julho de 2012 – 17:45 hs

    Isso inclui o caso das tv laranjas e seus indefectíveis pen drives ? Aliás, o que aconteceram com eles ?

  2. antonio carlos
    sexta-feira, 20 de julho de 2012 – 18:26 hs

    Adoraria viver neste Paraná sem corrupção ,e até o Ministério Público não precisaria existir. Nisto até os procuradores hão de convir comigo. Mas nem os procuradores e nem eu acreditamos no fim da corrupção. ACarlos

  3. Bola Mucha
    sexta-feira, 20 de julho de 2012 – 18:34 hs

    Estamos na Finlandia?

  4. Filet Mignon
    sexta-feira, 20 de julho de 2012 – 18:56 hs

    Por falar em corrupção – caro Fabio Campana, a quantas anda os resultados da CPI dos Portos de Paranaguá e Antonina, concluída no mês passado? Têm-se algumas notícias? Esclarec-nos, por favor.

  5. Parreiras Rodrigues
    sexta-feira, 20 de julho de 2012 – 20:26 hs

    Que tal concentração de esforços em marchas?
    Nada de Marcha das Vadias,, Marcha da Maconha, Marcha para Cristo ( Ele há de entender ) e todos se dedicarem à uma só, mas monumental Marcha Contra A Corrupção.
    .

  6. Lucas
    sexta-feira, 20 de julho de 2012 – 23:38 hs

    E o BANESTADO?!?!?!?!?!

  7. luiz
    sábado, 21 de julho de 2012 – 10:32 hs

    Muita fofoca, muita denuncia vazia.
    Tvs laranjas! O MP não apurou nada, cadê os deputados que levantaram a denúncia lembram deles? Eles mesmos sabem que era invenção. Os leitores incautos ficam batendo nessa tecla ainda!
    Se já não está no arquivo, aposto uma cervejinha como é para lá que o processo vai.
    O Porto ai é um pouco mais delicado, lá é um ninho de interesses, não tem porto no mundo que não seja igual ou pior.
    Muita mercadoria pouco controle, sumiço de soja sem dono, talvez no tempo do Lerner, Requião, Beto, etc…
    Se o porto for do Estado, da União ou Privado, sempre haverá problemas, lá criança chora e a mãe não escuta. Quem está no governo adora.
    A corrupção que vem para a imprensa é aquela miúda ou que não existe, já as grossas são aquelas em que o dinheiro nem entra no cofre.

  8. sergio silvestre
    sábado, 21 de julho de 2012 – 11:46 hs

    O povo não sabe que é patrão.
    Até um ministro do supremo já disse isso,mas nós deixamos para o governo se virar,damos carta branca para eles,e o resultado é sempre nós pagando a conta.
    Vou dar um exemplo o caso dos pedagios,o que fizemos até hoje para ajudar a diminuir ou acabar.
    Jogamos nas costas de um governo que prometeu lutar contra ,mas não sózinho!
    Se fossemos as ruas,batessemos os bumbos e exigiriamos,
    alguem por força popular ia nos escutar.
    Somos pacatos,dóceis como muares,não reagimos a medida que nos aniquilam.
    E eles tem um repertório grande de maldades.
    O homem produtivo,estressado pelas contas ,pelas multas,pelos impostos.
    Não tem uma condição juridica para se defender.
    Acho que prostamos para eles,perdemos a vontade de lutar.
    Talvez penso assim pelos anos vividos,e ficamos sistemáticos.
    A tendencia das gerações futuras é viver em mundos pióres,com o estado aniquilando cada vez mais a população.
    Teremos,comida,bens duraveis e até certo conforto,em confomidade com aquilo que um produtivo pode ter.
    Só não teremos iluzões,aquela em que pensa que o pais é seu tambem.

  9. Filet Mignon
    sábado, 21 de julho de 2012 – 16:04 hs

    E tem gente que ainda fala dos pedágios…. Viagem pelas estradas estaduais deixadas pelo INSANO! Uma vergonha!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*