Associação de montadoras rebate declarações de Dilma | Fábio Campana

Associação de montadoras rebate declarações de Dilma

Presidente indicou nesta manhã que montadoras não estariam mantendo compromisso de não demitir trabalhadores.

Do Globo:

    SÃO PAULO — A Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) contestou as declarações da presidente Dilma Rousseff de que as montadoras não estariam mantendo o compromisso de não demitir trabalhadores em contrapartida aos incentivos fiscais concedidos pelo governo.

    Segundo o diretor de Relações Institucionais da Anfavea, o Ademar Canteiro, os números de junho apontam um crescimento de 1.900 postos de trabalho no setor.

    — Setorialmente não tem havido demissões na indústria autobilística nacional. O caso da GM é pontual e cabe a ela explicar — disse Canteiro.

    Quanto reunião agendada pelo Ministério da Fazenda para a próxima terça-feira, o executivo disse que ela faz parte das discussões entre a Anfavea e o governo sobre o novo regime automotivo.

    — Nosso acordo com o governo é de manter o nível de emprego no setor com exceção de programas de demissão voluntária, lay off e contratos temporários — acrescentou Canteiro.

    Na manhã desta sexta-feira, a presidente Dilma Rousseff mandou um recado para setores beneficiados por incentivos fiscais, que pareceu ter sido feito especialmente para a indústria automobilística.

    Segundo ela, os benefícios só têm sentido se os níveis de emprego forem mantidos para que toda a população se beneficie com a geração de renda.

    Nesta manhã também, o presidente da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), Flávio Meneghetti, em reunião com o ministro interino da Fazenda, Nelson Barbosa, pediu ao governo mais medidas de estímulo.

    Meneghetti pediu ao governo liberação de depósitos compulsórios (valores que ficam retidos no Banco Central) para permitir que as instituições financeiras utilizem os recursos para o financiamento de motocicletas.

    A GM também foi convocada para uma reunião na próxima terça no Ministério da Fazenda. O governo vai pedir explicações da montadora sobre as demissões em São José dos Campos. Nos últimos 12 meses, a empresa demitiu 1.044 funcionários. A GM argumentou, porém, que esse número é compensado com contratações em outras fábricas.


    3 comentários

    1. pingo
      sexta-feira, 27 de julho de 2012 – 21:22 hs

      A regra é simples, contratam 60 ganhando 800,00 e demitem 50 que ganhavam 1600,00, Houve um aumento de 10 novos empregos, economizaram R$ 32.000,00.
      Daí o governo tem 50 desempregados para o Bolsa Desemprego sustentar e a economia com 40 consumidores a menos.
      O automovel no Brasil é caro não por culpa dos impostos do governo e da ganancia das montadoras, só é caro porque o brasileiro compra, está disposto a pgar o que pedem. Vamos parar de comprar por um mes, daí a montadora ameaça o governo com as demissões e este reduz o IPI. É sempre assim, somos reféns do nosso consumismo.

    2. Joaquim Silveira
      sexta-feira, 27 de julho de 2012 – 21:57 hs

      E quanto aos DEMITIDOS S/JUSTA CAUSA nas ESTATAIS? Hein, dona PresidANTA???

    3. Tomé
      sábado, 28 de julho de 2012 – 12:10 hs

      Vida de Bancário : Vejam só a hipocrisia dos PTralhas!

      http://www.youtube.com/watch?v=SXYVU3FlTyQ&feature=related

      http://www.youtube.com/watch?v=lYrMXctfHpk

    Deixe seu comentário:

    Campos obrigatórios estão marcados com *

    *

    *