Alunos desocupam reitoria da UFPR após mais de duas semanas | Fábio Campana

Alunos desocupam reitoria da UFPR após mais de duas semanas

Decisão foi tomada nesta sexta (20) em assembleia que reuniu 200 alunos. Saída encerra o impasse e permite a retomada de negociação. (Foto: Reprodução/RPCTV)

Alunos deixaram prédio da UFPR nesta setxa (20) (Foto: Reprodução/RPCTV)

De Aline Lamas, G1 PR:

O grupo de alunos ligados ao Comado Geral de Greve da Universidade Federal do Paraná (UFPR) desocupou a reitoria da instituição, na tarde desta sexta-feira (20), por volta de 15h30, após mais de duas semanas no prédio. A decisão foi tomada em assembleia, realizada horas antes, na qual a maioria dos estudantes optou por liberar o edifício.

A desocupação permite a retomada do processo de negociação entre os estudantes e a Comissão da Administração. Uma reunião foi marcada para a tarde desta sexta-feira para debater a pauta de reivindicações dos alunos.

Cerca de 200 pessoas participaram da assembleia, segundo a porta-voz do grupo, Ana Paula Cigerza. Em entrevista ao G1, ela fez ainda um balanço dos dias de ocupação. “Nós conseguimos manter os estudantes mobilizados em época de férias. Isso demonstra que a ocupação teve papel importante na manutenção do movimento de greve. Além disso, chamamos a atenção da imprensa para denunciar o desmonte da universidade pública”, revela.

De acordo com Ana Paula, o Comando de Greve impôs três condições para deixar o edifício: que a decisão fosse tomada em assembleia; que a mesa de negociação fosse retomada após a desocupação e que nenhum aluno sofresse sanções administrativas ou judiciais.

Isso porque, na quarta-feira (18), a universidade deu um ultimato para o grupo liberar a reitoria, sob a pena de responsabilizar os estudantes pelos prejuízos provocados pela ocupação, já que os servidores foram impedidos de trabalhar e os departamentos tiveram os serviços paralisados.

Estudantes ocupam reitoria da UFPR (Foto: Divulgação/UFPR)

Após desocupação, estudantes e universidade retomaram negociação (Foto: Divulgação/UFPR)

Agora, alunos e universidade voltam a debater a pauta dos estudantes, que inclui aumento da quantidade e valor das bolsas de estudos; acesso gratuito a cursos de línguas para todos os estudantes; fim dos espaços privados dentro da universidade; e creche para mães estudantes.

Para o reitor da UFPR, Zaki Akel Sobrinho, a ocupação causou diversos prejuízos à universidade. Ainda assim, a comissão de negociação manteve o diálogo. “Nós tinhamos uma mesa de negociação e fomos surpreendidos pela invasão da reitoria e pela ruptura da negociação. Mas, de qualquer maneira, o nosso caminho é o diálogo”.

De acordo com ele, a universidade deve levar uma semana para normalizar os processos e pagamentos paralisados por causa da ocupação. “Nós não pudemos pagar bolsas e fornecedores. Inclusive os veículos estão parados porque não pagamos a gasolina. Esse tipo de prejuízo nós não podíamos admitir”, assegurou.


3 comentários

  1. Pedro Rocha
    sexta-feira, 20 de julho de 2012 – 18:08 hs

    Certamente para um pai ou uma mãe, ver a foto estampada do filho que tanto se orgulham, arrumando as traia e desocupando o rancho como um ocupante ilegal e indesejado naquele sagrado espaço, não deve ser nada, nada agradável.
    Mais parece um daqueles coitados que dormem sob as marquizes, e são desalojados na primeira hora com a chegada do pessoal da segurança!
    Tudo isso, pelo simples prazer de aparecer; de querer ser diferente; de achar que pensar, ou opinar diferente é mais bonito; dá mais glamour perante os colegas
    Quando bobagem passa pelas cabeças desses jovens!

  2. GRANDE MESTRE...
    sexta-feira, 20 de julho de 2012 – 20:52 hs

    Uma Cambada de estudantes profissionais, que não fazem nada para retribuir o dinheiro que os contribuintes pagam manter eles numa instituição federal…. deveriam ser expulsos !!!

  3. Humberto
    sábado, 21 de julho de 2012 – 1:32 hs

    Depois de brincar de casinha, os desocupados agora vao pra casa da mamãe tomar toddynho e mucilon…

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*