Tropa do cheque: o que indignou Vaccarezza e Tatto? | Fábio Campana

Tropa do cheque: o que indignou Vaccarezza e Tatto?

Do Lauro Jardim:

Jilmar Tatto e Cândido Vaccarezza manifestaram ontem incrível indignação com as declarações de Miro Teixeira sobre a existência de uma certa “tropa do cheque” na CPI mista do Cachoeira. Depois do bate-boca entre Miro e a dupla petista, um deputado governista saiu da CPI fazendo piada:

– Será que o Vaccarezza já mandou uma mensagem de celular dizendo: Canvendish, nós somos teu?


18 comentários

  1. Trabalhador
    sexta-feira, 15 de junho de 2012 – 13:58 hs

    É COISA DO PT , como diz a propaganda do ParTido

  2. Parreiras Rodrigues
    sexta-feira, 15 de junho de 2012 – 14:05 hs

    Não chamarão Cavendish.

    Certamente já cconvocaram o seu jardineiro, o caseiro, a governanta.

    Cadeia pros três últimos e pronto.

  3. salete cesconeto de arruda
    sexta-feira, 15 de junho de 2012 – 15:40 hs

    O que MOVE o Miro…. o carioca sabe!

  4. Pedro Rocha
    sexta-feira, 15 de junho de 2012 – 16:34 hs

    Faltava um comentário petista TENTANDO DESCLASSIFICAR O DENUNCIANTE, como sempre! – Faltava; não falta mais!
    Essa cartilha comunipetista é tão batida e rebatida, há séculos que usam as mesmas e manjadíssimas práticas, sem se tocar que o troço já encheu os pacová! –
    PÔ Romeu, arrumem outro batida, gente! –
    Prestem atenção em quem vocês tentam defender. Olhem a pança do Vacarezza, sua falta de Tatto pra sair das situações em que se mete; relembrem a sua declaração de amor ao safado do Cabral, e depois julguem se vale a pena!
    Esse bando de desesperados não passa de uma quadrilha acuada!

  5. Zangado
    sexta-feira, 15 de junho de 2012 – 16:48 hs

    Isso aí é o Caldeirão do Capeta !!!
    Não escapa um !!!!

  6. jose
    sexta-feira, 15 de junho de 2012 – 17:03 hs

    Salete,

    1. Se vc sabe de algo sobro o Miro Teixeira, porque não denuncia ao Minsitério Público? Afinal, como cidadã é seu dever…

    2. Explica porque o pt teme tanto a convocação do Cavendish.

  7. salete cesconeto de arruda
    sexta-feira, 15 de junho de 2012 – 18:30 hs

    Faltava um sem NOÇÃO e SEM ARGUMENTOS para tentar DESESPERADAMENTE desclassificar o caluniador que prova não tem.
    Faltava!
    Não falta mais!

  8. jobalo
    sexta-feira, 15 de junho de 2012 – 20:29 hs

    Pedro Rocha , gostaria de agradece-lo, ppois hoje estou sem saco, pra ddiscutir petezada, então voce falou tuddo, e eu só tenho que assinar embaixo, abraços.

  9. M.A.S
    sexta-feira, 15 de junho de 2012 – 21:07 hs

    Deputado Miro Teixeira.
    Quem o conhece, sabe o que diz.
    Pessoa proba e séria. O Estado do Rio de Janeiro, deveria orgulhar-se em ter um político do gabarito desse homem.
    Agora, dar ouvido a esse tal Vacarezza, ele é carta marcada.
    Esse homem esteve envolvido em uma situação a poucos dias, e ainda tem a cara de páu em vir a público defender-se de algo que nem sequer foi acusado ou citado.
    Pelo que parece está preocupado com alguma coisa.
    Como sempre digo, fale somente daqueles que você conhece, e eu o conheci em Brasília, quando lá estivemos, na defesa da classe Policial Militar do Estado do Paraná.
    Parece ser ele dono de parte do Brasil, com sua arrogância.
    Tentamos conversar com ele sobre a PEC 300, que é a proposta de criação do piso salarial nacional para os Policiais Militares do Brasil.
    Homenzinho intragável e mal educado.
    Diga-se de passagem, pessoa difícil.

  10. Deutsch
    sexta-feira, 15 de junho de 2012 – 21:27 hs

    Com certeza o vaccareza faz parte da tropa do cheque, por issso sua indignação com a provável convocação do cavendish.
    QUEM TEM TEM MEDO!!!

  11. Parreiras Rodrigues
    sexta-feira, 15 de junho de 2012 – 22:11 hs

    Sai NEA, volta Salette. Mas as teclas, essas não mudam nunca.

    Ah! Noutro dia vi num outro blogue, baita espaço dizendo da pesquisa que aponta ter a classe Cê, comprado mais eletrônicos e eletrodomésticos que as classes Bê e A.

    Tive que explicar o óbvio.

    Compram porque não tinham.’

    Mais que miudagem o cérebro duns e doutros…

  12. OSSOBUCO
    sexta-feira, 15 de junho de 2012 – 22:56 hs

    O PT não teme a convocação de Cavendish, pelo contrário, é o PSDB e o Serra que têm a temer, o problema é que o PSDB quer ganhar tempo para fazer fumaça sem que a CPI tenha tempo para analisar o farto material da PF.

    Não há sequer bom-senso na pressa tucana para convocar depoimentos de empresários e tecnocratas na CPI do Cachoeira, porque é sabido que seriam inócuos hoje. Assim como outros depoentes, ninguém vai falar para se incriminar, e quem não tem carreira política sequer vai falar, pois não tem que se preocupar em dar satisfações a eleitores.

    É o caso do dono da empreiteira Delta, Fernando Cavendish. Antes de convocá-lo, os membros da CPMI precisariam se dedicar à análise das provas materiais disponíveis na operação Monte Carlo da Polícia Federal e nos sigilos bancários já quebrados. E nisso sim a pressa é recomendável, pois a defesa de Carlinhos Cachoeira luta para anular na Justiça toda a operação Monte Carlo da Polícia Federal. Um desembargador já votou pela anulação. Faltam dois votos.

  13. OSSOBUCO
    sexta-feira, 15 de junho de 2012 – 23:01 hs

    Ao mirar em Cavendish o PSDB pode acertar no que não vê:

    O ex-governador José Serra pode se arrebentar com esta brincadeira.

    Contratos de R$ 943,2 milhões

    A excelente jornalista Conceição Lemes, do blog Viomundo, foi uma das primeiras a mostrar que o tucano sempre manteve fortes ligações com a Delta. De 2002 a 2011, a empreiteira fechou pelo menos 27 contratos com empresas e órgãos públicos do governo de São Paulo. “Em valores corrigidos (considerando a inflação do período), eles chegam a R$ 943,2 milhões”, relata.

    “Desses R$ 943,2 milhões, R$ 178, 5 milhões foram celebrados nas gestões Alckmin (2002 a março de 2006 e de janeiro de 2011 em diante) e R$ 764,8 milhões no governo de José Serra (janeiro de 2007 a abril de 2010)”. Segundo Conceição Lemes, o maior contrato foi feito com a Dersa para executar a ampliação da marginal do rio Tietê: R$ 415.078.940,59 (valores corrigidos).

    O retorno de Paulo Preto

    Neste ponto é que Serra treme de vez. Na época da licitação da obra, Paulo Vieira de Souza, o famoso Paulo Preto, era diretor de engenharia da Dersa. “Com uma extensa folha de serviços prestados ao PSDB, ele foi apontado como arrecadador do partido e acusado pelos próprios tucanos de sumir com R$ 4 milhões que seriam destinados à campanha do então presidencial José Serra”.

    Diante desta descoberta, Conceição Lemes faz algumas perguntas que poderiam servir de roteiro para as investigações da CPI do Cachoeira: “1. Considerando que o senador Demóstenes Torres é sócio oculto da Delta e apoiou José Serra em 2010, será que dinheiro da Nova Marginal do Tietê irrigou a campanha do tucano à presidência?; 2. Entre os R$ 4 milhões que teriam sido arrecadados por Paulo Preto e não entregues ao PSDB, haveria alguma contribuição da Delta?; 3. Paulo Preto ou Delson Amador [outro envolvido no caso] teve algum contato direto com Cachoeira?”.

  14. silvajr
    sábado, 16 de junho de 2012 – 10:55 hs

    Todo político influente conhece empresários. Cabe ao político impor limites a essas relações para não se submeter a interesses escusos.

    Aliás, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) também é amigo de Fernando Cavendish e, estranhamente, ninguém o cobra por isso.

    Voltando ao deputado Miro Teixeira, ele chegou a insinuar que quem encontrou-se em Paris com Cavendish, seria da “tropa do cheque”, fazendo alusão a parlamentares que poderiam estar comprados pelo empreiteiro.

    O problema é que se for para fazer ilações, Miro Teixeira também pode despertar suspeitas.

    Ele é sócio do escritório de advocacia de Eduardo Ferrão, famoso advogado de Brasília que atua nos tribunais superiores e já defendeu alguns políticos e empresários encalacrados com a Polícia Federal.

    Ferrão, inclusive, foi também um dos maiores doadores de campanha para Miro. Somados com os outros advogados de seu escritório doou R$ 305 mil em 2010.

  15. silvajr
    sábado, 16 de junho de 2012 – 11:08 hs

    Se a imprensa brasileira fosse honesta e isenta, daria ao Brasil uma contribuição capital para desbaratar essa corrupção endêmica que tanto nos envergonha e entristece, mas preferiu ser um partido político, nas palavras da presidenta da Associação Nacional dos Jornais, e de oposição ao governo do PT, porque, de acordo com ela, a oposição atual é muito fraquinha. Agora nesse espetáculo vergonhoso da CPMI, ela toma partido ou faz compensações ao noticiar, tentando equilibrar o desgaste do DEM e do PSDB com notícias manipuladas contra o PT. Se fosse honesta a corrupta teria crédito, mas diante do que mostra passou a fazer parte do problema, como mais uma instituição corrupta no nosso sofrido país. É triste!

  16. jaferrer
    sábado, 16 de junho de 2012 – 14:35 hs

    Esta Salete é uma piada. Por que não responde a pergunta feita pelo José? Afinal, o que teme o pt para insistir em barrar a convocação do Cavendish, depois de todas as provas contra a Delta? Veja bem, o governo tem maioria absoluta na CPI, mas continua tremendo de medo, torcendo para que tudo acabe logo em pizza e seja esquecido pelo povão. Afinal, temos eleição e ninguém está a fim de largar o osso.

  17. sábado, 16 de junho de 2012 – 17:16 hs

    Meu avô já dizia, que quanto mais vazia a carroça, mais barulho ela faz ao rodar!
    Imaginem o que deve ter na cabeça esse tal vagareza, pra fazer todo esse barulho gratuíto, não?

  18. sábado, 16 de junho de 2012 – 17:19 hs

    Jobalo,
    meu avô já dizia, que quanto mais vazia a carroça, mais barulho ela faz ao rodar!
    Imaginem o que deve ter na cabeça esse tal vagareza, pra fazer todo esse barulho, e de graça, não?

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*