O falso verde, por Miriam Leitão | Fábio Campana

O falso verde, por Miriam Leitão

Da Miriam Leitão, O Globo:

Em tempos de construção de imagem verde para o mundo ver, o governo tem dito que está incluindo o econômico na questão ambiental. Não é verdade. Se incluísse, determinaria às montadoras o desenvolvimento de motores mais eficientes ao usar o álcool; os bancos públicos fariam exigências de respeito às leis ambientais na concessão dos empréstimos; os impostos seriam reduzidos para produtos e energia de fato sustentáveis.

O governo prepara pacotes de estímulo ao crescimento como se não houvesse ligação entre o econômico e o ambiental. Tudo é tratado em compartimentos estanques, com uma visão fraturada da realidade. Os temas não cruzam a Esplanada dos Ministérios, com raras exceções. Há muito tempo as mudanças climáticas uniram questões que, por andarem separadas, criaram para a humanidade o problema que temos agora.

Foram concedidos sucessivos benefícios às montadoras. Tantos, tão frequentes e tão extravagantes, que até o governo começou a ficar incomodado. E nos últimos dias tem ameaçado as montadoras caso elas não se comportem adequadamente. Quando lista o que pretende fazer é de arrepiar: quer controlar remessas de lucros, vigiar preços, exigir das empresas a abertura de suas contas e estrutura de custos.

Empresas de capital fechado não são obrigadas a abrir contas e estruturas de custos, se o governo fizer isso será uma violência. País de economia de mercado não pode impedir uma empresa de remeter lucros e dividendos para a matriz. Vigiar preços é uma velharia sem tamanho.

A indústria do biocombustível recebe elogios externos, como no último relatório do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma), por ser um dos pontos positivos do Brasil na transição para uma economia de baixo carbono.

Nós aqui dentro sabemos que o programa está com conhecidas dificuldades. Algumas delas criadas pelo governo, que através do sistema tributário e de subsídios beneficia o combustível fóssil, no sentido exatamente oposto ao que deveria fazer.


6 comentários

  1. sergio silvestre
    domingo, 10 de junho de 2012 – 22:37 hs

    Então minha simpatica suina mirian leitão,poderia ter creditado tambem estas criticas ao sr cassandra lá atráz a 18 anos.
    Quase pelaram a amazonia.
    Mas voce usa no seu carro o que?Comece ir a globo de bicicleta e deixe de falar aboborás.

  2. OSSOBUCO
    domingo, 10 de junho de 2012 – 22:59 hs

    E a Globo poderia parar de falsear informações de maneira tão hipócrita, é anti-governo em tudo, até pouca tempo essa urubóloga dizia que a inflação iria explodir, defende os bancos e ataca os juros baixos da Dilma, por favor, vá estudar!

  3. Gilmar Trento
    segunda-feira, 11 de junho de 2012 – 6:00 hs

    Tem tanta coisa falsa , até comentarista financeira que se acha dona do mundo .

  4. Canelas
    segunda-feira, 11 de junho de 2012 – 9:44 hs

    Miriam Leitão é porta voz de grupos econômicos poderosos. Houve época em que o ex presidente do banco central, que era ex presidente do Bank of Boston, era centro de um processo qualquer que o proibiria de ser indicado como ministro. Pois bem, a dita sra., que é amiga íntima do mesmo, saiu gritando contra tudo e contra todos e acabou com suas reiteradas colunas sobre o tema, livrando o amigo do processo. É a primeira a gritar em favor de banqueiros. Agora as montadoras deve estar enchendo seu cofrinho em forma de leitão, ou seja, está sempre do lado dos poderosos, provavelmente porque também deve participar da divisão dos lucros. Dona Míriam brada contra a abertura das contas das montadoras mas esquece que o dinheiro que elas estão recebendo, via redução de imposto, é público e por isso devem prestar contas. Tem muito dinheiro por trás das opiniões de Miriam Leitão.

  5. Zangado
    segunda-feira, 11 de junho de 2012 – 14:06 hs

    É sintomático que sempre – eu digo sempre – às vésperas do Dia do Meio Ambiente ou de Conclaves como a Rio + 20 de parte do governo – que durante o resto do tempo nada fez para virar a página da indigência de nossa política ambiental – se apresentem “propostas” super-hiper avançadas para demonstrar que o Brasil se encontra na ponta do desenvolvimento sustentável !!!

    É tudo falso e perfunctório !!!

    Basta ver a situação de deterioração ambiental e de qualidade de vida no meio rural e urbano. Nossos recursos ambientais estão sendo depredados a olhos vistos. Estamos perdendo nosso capital ambiental sem dó nem perdão.

    Passou o Dia do Meio Ambiente, passou a Rio + 20 e tudo continuará como sempre esteve, de ruim para péssimo para nosso patrimônio ambiental !!!

  6. salete cesconeto de arruda
    segunda-feira, 11 de junho de 2012 – 15:22 hs

    Nossa!
    O que a Miriam fez para ficar desse jeito na foto…
    Sei.
    Defende os mesmos interesses de sempre.
    NUNCA MUDA.
    Regina deve ter medo dela.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*