MP diz que não há investigação contra Ducci | Fábio Campana

MP diz que não há investigação contra Ducci

O Procurador de Justiça, Arion Rolim Pereira, coordenador do Centro Operacional da Proteção ao Patrimônio Público, disse nesta segunda-feira, 18, que não havia nenhum procedimento instaurado no âmbito do Ministério Público do Paraná” em relação à matéria da revista Veja sobre o patrimônio da família do prefeito Luciano Ducci.

Desconheço da onde foi colhida essa frase, da Procuradoria do Patrimônio Público não foi”, respondeu Pereira ao ser questionado se Veja havia entrevistado o Ministério Público do Paraná. “O Ministério Público, na campanha, examina as questões de nível eleitoral, não tem que participar de uma forma ou de outra, interferindo em resultado (da eleição)”, disse ainda Pereira na entrevista coletiva à imprensa.


18 comentários

  1. Adelino
    segunda-feira, 18 de junho de 2012 – 15:01 hs

    impressionante como o prefeito esta preocupado em se explicar

  2. Horácio Monteschio
    segunda-feira, 18 de junho de 2012 – 15:32 hs

    Pois bem,

    Se não há investigação a Revista VEJA deve restabelecer a verdade sobre os fatos.

    Direito de Resposta!!

  3. luiz
    segunda-feira, 18 de junho de 2012 – 16:03 hs

    Como investigar esse tipo de denúncia.
    Primeiramente o MP terá que tomar o cuidado para não passar recibo de bom moço para ninguém.
    O próprio prefeito procurou o MP, então a Promotoria deve pedir ao Prefeito e à Prefeitura que envie-lhe as declarações de bens e de imposto de renda, tanto aquelas entregues anualmente à prefeitura como à RFB.
    Também deve verificar os dependentes do Prefeito, uma vez que seus filhos foram citados em algum momento.
    Se os bens eram dos ascendentes é de bom alvitre verificar em que época e como eles adquiriram tais bens.

  4. Marques
    segunda-feira, 18 de junho de 2012 – 16:20 hs

    É SÓ O QUE ESTÁ FALTANDO, O MP DAR INFORMAÇÕES DAR INFORMAÇÕES PARA REVISTA VEJA SOBRE O PATRIMÔNIO DOS CONTRIBUINTES.

  5. CAÇADOR DE PETISTAS
    segunda-feira, 18 de junho de 2012 – 17:16 hs

    Hummm, para o desespero do Petista Fruet.

  6. Arnaldo Jornalista
    segunda-feira, 18 de junho de 2012 – 17:32 hs

    A defesa que o deputado Ney Leprevost fez hoje do prefeito Luciano Ducci na tribuna da Assembléia Legislativa foi perfeita: clara, contundente, incisiva. Não deixou nenhuma dúvida de que o prefeito foi vítima de um dossiê mentiroso que levou a revista Veja a um erro grotesco. Espero que esta conceituada revista de circulação nacional faça uma correção.

  7. Moraes
    segunda-feira, 18 de junho de 2012 – 17:40 hs

    Hoje assisti na TV da Assembléia Legislativa o excelente pronunciamento do deputado Leprevost em defesa do doutor Luciano. Muito bom. Falou a verdade, o sigilo fiscal do prefeito foi violado e isto é crime. Quem cometeu esta ilegalidade? É isto que os curitibanos querem saber.

  8. marcelo
    segunda-feira, 18 de junho de 2012 – 18:15 hs

    Pois deveria, as acusações são gravíssimas, assim como Ducci têm a obrigação de processar a Revista Veja, (se for inocente), qualquer pessoa acusada de corrupção, enriquecimento ilícito, se for calunia, não pode apenas ficar dando desculpas, tem que partir para um processo judicial . Será que ele vai processar a Veja? Será que as denúncias tem fundamento? Será que o prefeito é inocente?
    DISCURSO NÃO CONTA. O QUE VALE É A AÇÃO!!

  9. NEA
    segunda-feira, 18 de junho de 2012 – 18:23 hs

    Só terá credibilidade as desculpas do prefeito, quando ele colocar o seu sigilo fiscal a disposição da justiça (até Perillo e Agnelo já tomaram essa atitude) e principalmente quando processar o “suposto caluniador” a revista Veja. Tem que existir indignação e senso de justiça, é isso que SEUS eleitores esperam (não é meu caso). NÃO VOTO NO DUCCI!

  10. sergio silvestre
    segunda-feira, 18 de junho de 2012 – 18:31 hs

    Bom,esse mp é o de curitiba né.
    A se fosse o de londrina!

  11. marcelo
    segunda-feira, 18 de junho de 2012 – 18:44 hs

    Arnaldo e Moraes
    Leprevost faz parte do mesmo grupo político do prefeito, já foi até cotado para ser vice na chapa de Ducci, não dá para esperar outra atitude do deputado. Tal informação não tem nenhuma relevância!

  12. ELEITOR CURITIBANO
    segunda-feira, 18 de junho de 2012 – 20:40 hs

    Não sou eleitor do DUCCI.Mas é estranho correr até ao Ministério explicar o que não foi perguntado,nem processado.QUEM NÃO DEVE NÃO TEME.

  13. PETEFOBIA
    segunda-feira, 18 de junho de 2012 – 21:02 hs

    MP foi entrevistado e deu a resposta objetiva e assim calar a boca dos afoitos adversários ou seja de Fruet/PT

  14. Amarildo cachoeira
    segunda-feira, 18 de junho de 2012 – 21:40 hs

    As denuncias são gravíssimas. Manter um fantasma na prefeitura e motivo Pr cassação. Ducci tem q se explicar.

  15. geraldo
    segunda-feira, 18 de junho de 2012 – 22:06 hs

    não dá para acusar, agora se o Ducci for inocente que processe a Veja, não adianta ficar fazendo discurso e pedindo a amigos para defende-lo, isso alimenta mais a situação, o que é estranho é passar bens em nome de filhos, o estrago ja ta feito. essas trapalhadas em épocas de campanha nunca se sabe onde vai dar. falta um pouco mais de carisma pro Ducci, parece que ele está esperando o Beto e a Fernanda para sair fazer campanha com ele nos Bairros, tá na hora de se mostrar independente, pegar na mão da esposa e sair nos bairros pedindo voto e falando com a população o povo gosta disso e a mulher do beto fez bem isto, ta aí viu.

  16. Cidinha
    terça-feira, 19 de junho de 2012 – 8:42 hs

    Então é tudo mentira o que a revista Veja publicou??? Faça me o favor…
    Meu patrimônio nunca cresceu na proporção do inquilino palaciano…rsss
    Ah, é herança de família??? Nossa que desculpa esfarrapada e velha.
    E os desvios na prefeitura, vai pro bolço de quem???
    Ah, e aquele caso do desvio de recursos da saúde, como ficou??? Ainda em investigação ou foi herança de família???

  17. Doutor Prolegômeno
    terça-feira, 19 de junho de 2012 – 11:09 hs

    Em qualquer atividade pública, o ideal seria a adoção da sistemática vigente na Itália. Lá, qualquer variação patrimonial superior aos ganhos presumíveis do agente público fica indisponível e cabe inteiramente ao agente público provar a sua origem e regularidade. Há uma inversão do ônus da prova, que incumbe ao agente público.

  18. elton
    terça-feira, 19 de junho de 2012 – 15:16 hs

    Arnaldo Jornalista, “conceituada revista? a Veja? Em que mundo você vive? Se sua fonte de informação e formação de opinião for revistinhas como a Veja, francamente, tá na hora de começar a rever teus conceitos.
    E tem mais: o Ney tá fazendo de tudo pra ser vice do Ducci, nada mais natural do que ele sair em defesa de seus interesses.
    Isso ta me parecendo coisa do Beto Richa e seus amiguinhos: vão inviabilizar a candidatura do Ducci, dai quem sabe vem uma Fernanda pra salvar a pátria.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*