Mercosul suspende Paraguai e anuncia adesão da Venezuela | Fábio Campana

Mercosul suspende Paraguai e anuncia adesão da Venezuela

Paraguai fica de fora do bloco até eleições presidenciais de abril de 2013. Venezuela entra como membro pleno do bloco comercial em 31 de julho.

Do G1, com agências internacionais:

O Mercosul decidiu suspender temporariamente o Paraguai até as novas eleições presidenciais do país, em 2013, e afirmou que a Venezuela será incorporada ao bloco como “membro de pleno direito” em 31 de julho.

Os anúncios foram feitos pela presidente da Argentina, Cristina Kirchner, ao fechar o encontro de cúpula semestral do bloco na cidade argentina de Mendoza.

O Mercosul “suspendeu temporariamentoo Paraguai até que se leva a cabo o processo democrático que novamente instale a soberania popular” no país, disse a presidente argentina, ao lado da presidente do Brasil, Dilma Rousseff, e do presidente do Uruguai, José Mujica.

As medidas contra o Paraguai ocorrem em resposta ao processo de impeachment do presidente Fernando Lugo, ocorrido na semana passada e que foi repudiado pelos países sul-americanos.

O Mercosul confirmou o que havia sido adiantado na véspera pelo chanceler brasileiro, Antonio Patriota, suspendendo o Paraguai, mas sem aplicar sanções econômicas que pudessem castigar a população.

Segundo Cristina, a suspensão não diminui o compromisso do bloco com o desenvolvimento econômico do Paraguai.

“De acordo com o estabelecido no protocolo, a plena vigência democrática é condição essencial para o processo de integração”, diz a resolução da cúpula. “O espírito do protocolo é o restabelecimento da institucionalidade, sem que ele menoscabe o funcionamento do bloco.”

A Venezuela será incorporada ao bloco em cerimônia que será realizada no Rio de Janeiro, em 31 de julho, disse Kirchner.

Ela argumentou que a decisão de incorporar a República Bolivariana da Venezuela vai permitir que o bloco regional se fortaleça perante os embates da crise internacional.

O processo de ingresso da Venezuela havia se iniciado em 2006, após ser solicitado um ano antes, mas estava parado por conta da negativa do Congresso do Paraguai a ratificá-lo.

Mais cedo, em Assunção, Federico Franco disse que, se a suspensão paraguaia se confirmasse, o país iria buscar novos parceiros comerciais.

Crise no Paraguai
Federico Franco assumiu o governo do Paraguai na sexta-feira (22), após o impeachment de Fernando Lugo.

O processo contra Lugo foi iniciado por conta do conflito agrário que terminou com 17 mortos no interior do país.

A oposição acusou Lugo de ter agido mal no caso e de estar governando de maneira “imprópria, negligente e irresponsável”.

Ele também foi acusado por outros incidentes ocorridos durante o seu governo, como ter apoiado um motim de jovens socialistas em um complexo das Forças Armadas e não ter atuado de forma decisiva no combate ao pequeno grupo armado Exército do Povo Paraguaio, responsável por assassinatos e sequestros durante a última década, a maior partes deles antes mesmo de Lugo tomar posse.

O processo de impeachment aconteceu rapidamente, depois que o Partido Liberal Radical Autêntico, do então vice-presidente Franco, retirou seu apoio à coalizão do presidente socialista.

A votação, na Câmara, aconteceu no dia 21 de junho, resultando na aprovação por 76 votos a 1 – até mesmo parlamentares que integravam partidos da coalizão do governo votaram contra Lugo. No mesmo dia, à tarde, o Senado definiu as regras do processo.

Na sexta, o Senado do Paraguai afastou Fernando Lugo da presidência. O placar pela condenação e pelo impeachment do socialista foi de 39 senadores contra 4, com 2 abstenções. Federico Franco assumiu a presidência pouco mais de uma hora e meia depois do impeachment de Lugo.

Em discurso após o impeachment, Lugo afirmou que aceitava a decisão do Senado.

Mas, no domingo, Lugo voltou atrás, aumentou o tom disse que não reconhece o governo de Federico Franco e que não deve, portanto, aceitar o pedido do novo presidente para ajudá-lo na tarefa de explicar a mudança de governo a países vizinhos.

Além dos países fundadores e da Venezuela, o Mercosul tem Chile, Bolívia, Equador e Peru como países associados.

Ao final da reunião, Cristina Kirchner transferiu a presidência do bloco para a presidente brasileira, Dilma Rousseff.


16 comentários

  1. Doutor Prolegômeno
    sexta-feira, 29 de junho de 2012 – 17:17 hs

    Era tudo o que o bandoleiro de Caracas precisava para a entrada do pseu país no Mercosul, este clube de esfarrapados. Chávez – o líder dos cucarachos del sur – mata dois coelhos com uma só pedrada: entra no clube pela porta dos fundos e se vinga do senado paraguaio que era o entrave para isso e que apeou o bispo taradão do poder.

  2. JC 3zotti!
    sexta-feira, 29 de junho de 2012 – 18:38 hs

    BEM DEMOCRÁTICO!
    Mesmo todos (exceto os Diplomatas, claro) sabendo que o MERCOSUL e nada é a mesma coisa, em matéria de comercio exterior, temos que comemorar o perfil DEMOCRÁTICO dos dirigentes do bloco. Sim, isto pq aceitou a mui-democrata venezuela… e excecrou, sem direito a defesa, nem ao menos direito à palavra, o agora mais democratico Paraguai.
    E ainda querem falar em golpe. Nos poupem.

  3. antonio
    sexta-feira, 29 de junho de 2012 – 19:34 hs

    Afinal economicamente falando qual é o resultado e atuação do Mercosul? Ou Merdosul como falou o velho baiano AC Magalhães.
    Brasil e Argentina vivem as turras, fechando fronteiras para entrada de produtos entre si. Trocar o Paraguai pela Venezuela é trocar dois por um.

  4. Alessandro
    sexta-feira, 29 de junho de 2012 – 20:28 hs

    Aprendam com quem sabe: ISSO SIM É GOLPE!
    Mais um vermelinho pra jogar no lixo os objetivos do bloco.

  5. Aline
    sexta-feira, 29 de junho de 2012 – 21:17 hs

    Mas o mais importante foi a resposta do PARAGUAI “estamos livre prá procurarmos outros parceiros”. BRAVO, BRAVÍSSIMO Paraguai. Dê uma banana para os BEIÇOLAS (Hugo Chávez e Cristina kichener) e para o país BANANÃO que é o BRASIL.

  6. Salete
    sexta-feira, 29 de junho de 2012 – 21:25 hs

    Suspensão não é expulsão. Paraguai continua membro (suspenso!). Sem a aprovação do parlamento paraguaio, a entrada da Venezuela é ilegal. Há jabuti no alto do poste…

  7. Deutsch
    sexta-feira, 29 de junho de 2012 – 22:05 hs

    A proibição da entrada do representante paraguaio foi uma manobra para que a “democrática Venezuela ” fosse aceita no mercosul, pois em seus termos, o mercosul só permite a entrada de países membros com o voto unânime, e o Paraguai sempre foi contra. Então já dá pra ter uma idéia que os governos “democráticos” , Brasil, Uruguai e Argentina, se aproveitaram da situação e estes sim deram um golpe.
    Tem outra coisa; PRA QUE SERVE O MERCOSUL, Alem de motivos de piadas pelo mundo afora?

  8. sexta-feira, 29 de junho de 2012 – 23:32 hs

    Golpe é o q fizeram com o Paraguaio bando de covardes!

  9. Mad Men
    sábado, 30 de junho de 2012 – 0:21 hs

    Tira quem cumpre a lei e coloca o que rasga a lei? Só pode ser piada.

  10. CAÇADOR DE PETISTAS
    sábado, 30 de junho de 2012 – 7:39 hs

    Muito cuidado com estas relações perigosas entre Dilma Rouseff, Lula, PT com os DITADORES de mierda, Hugo Chaves e Mahmoud Ahmadinejad, muito cuidado.

    Os ditadores acima dispensam apresentação, um é presidente da Venezuela, e o outro do Irã, ambos adotam regimes similares, perseguem a imprensa, e os seus opositores. Lula não gosta muito da mídia, conforme vem demonstrando nos últimos anos, pelas tentativas de controlar a liberdade de imprensa.

    Voltando ao passado, Hugo Chaves parabenizando a Dona Dilma Rousseff, pela vitória nas eleições e essa relação estreita entre este ditadores assassinos com o PT é que me assusta.

    Acho que dona DILMA do PT deveria esclarecer mais sobre as ligações do PT com esses ditadodes, e se comprometer mais com a liberdade de imprensa, e do povo.

    Povo brasileiro, devemos sempre defender a liberdade de imprensa, expressão, e as garantias e os direito individuais do nosso Brasil.

    Muito Cuidado mas, muito cuidado mesmo com o PT.

  11. Vigilante do Portão
    sábado, 30 de junho de 2012 – 8:54 hs

    Mais uma BURRICE da diplomacia TOSCA do Brasil de dos parceiros.

    Pior foi o bloqeio da Ponte da Amizade, feito pelos SINDICATOS BRASILEIROS.

    BURRICE, o assunto é do PARAGUAI.

    Aliás,

    Bando de DESOCUPADOS.

    Centenas de pessoas, em plena Sexta-feira, 14:00, estarem fazendo arruaça sobre a Ponte, para interferir em assunto que não nos diz respeito,

    É falta de ocupação.

    Quem trabalha, não encontra tempo para esse tipo de bobagem.

  12. Luiz
    sábado, 30 de junho de 2012 – 12:00 hs

    POR A VENEZUELA NO BLOCO,ISSO SIM É GOLPE,ALIÁS GOLPE MUITO BAIXO,COLOCAR O VAGABA HUUUUUGO (VÔMITO)É COLOCAR BANDIDO DENTRO DE CASA.

  13. Pedro Rocha
    sábado, 30 de junho de 2012 – 12:29 hs

    Uma vergonha! – O Brasil junta-se ao lixo sul americano numa tramóia digna de gângsters!
    Sim, somos um país governado por bandoleiros, que preparam o bote final prum futuro muito próximo!
    Acautelai-vos! Densas nuvens surgem no horizonte!

  14. Aline
    sábado, 30 de junho de 2012 – 14:26 hs

    Nossa a Sra Salete teve um RASGO de racionalidade e de honestidade?!?!?! Estou surpresa.

  15. Alessandro
    sábado, 30 de junho de 2012 – 17:30 hs

    Se o Paraguai conseguir fazer acordos comerciais fora do bloco, como disse ALINE, mais acima, será infinitamente melhor que participar do MERCOSUL – o clubinho do desrespeito mútuo.
    Vide o Chile.

  16. jobalo
    sábado, 30 de junho de 2012 – 17:32 hs

    A presidente de vocês, esta muito feliz era tuddo que o llula e, o segurançpa de sauna gay da venezuela queriam, seja feita a vossa vontade, lá tambem tem malandragem.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*