Greca defende projetos em escala metropolitana como o metro aéreo | Fábio Campana

Greca defende projetos em escala metropolitana como o metro aéreo

Rafael Greca pretende relacionar os projetos de governo desenvolvidos na capital paranaense aos municípios da Região Metropolitana.

“É preciso dar às ações de governo uma escala metropolitana composta pelos municípios que estão legitimamente ligados com Curitiba”, destacou Greca, em entrevista, esta semana, ao jornal Metro.

Para Greca, as soluções urbanas e sociais devem apoiar-se numa ótica ampla, contemplando o desenvolvimento regional. Um exemplo citado pelo ex-deputado estadual como projeto regional remete ao metro aéreo, que atenderia praticamente todos os municípios da Região Metropolitana, numa extensão de aproximadamente 75 quilômetros linha veicular.

“Com os mesmos R$ 2 bilhões programados para o metrô curitibano, que pretende abranger apenas 12,5 km, fazemos 75 quilômetros de extensão do monotrilho, ligando os municípios da metropolitana (Região) dentro dessa proposta e pensamento mais amplo de desenvolvimento regional”, analisou Greca.

Soluções inovadoras – O projeto do monotrilho, segundo Greca, se enquadra aos novos avanços tecnológicos do mundo moderno, em parâmetros governamentais e administrativos que pretende estabelecer à frente da Prefeitura de Curitiba, caso sua candidatura seja confirmada e venha a vencer às eleições municipais, de 7 de outubro próximo.

“Também temos que dar à Prefeitura, de novo, o seu caráter de inovadora em soluções nacionais. Há todo um mundo de novas energias, de avanço ecológico, e tudo isso ficou estagnado depois que eu deixei de ser prefeito”, ressaltou Rafael Greca.


6 comentários

  1. Vigilante do Portão
    quarta-feira, 13 de junho de 2012 – 13:13 hs

    Esse é um PINÓQUIO.

    Não ha de ver que o GRECA protestou contra a privatização da Pedreira e da Ópera de Arame?

    Logo o Grequinha, primeiro a assinar e defender a PRIVATIZAÇÃo DA COPEL?

    Deve estar com a memória fraca…

  2. Motoqueiro Infernal !!!
    quarta-feira, 13 de junho de 2012 – 13:54 hs

    E por onde vão passar as linhas de metro áereo? O Fortte Neto vai participar da empreitada? Qual serão os bairros que sofrerão desvalorização imobiliária? Curitiboca desconfiado com memória de elefante vai ser dificíl de convencer com os mesmos bordões…

  3. quarta-feira, 13 de junho de 2012 – 15:38 hs

    AGORA CAIU A FICHA, FIQUEI INTRIGADO PORQUE O DOATICO ESTA LIGADO AO GRUPO DOS CONTRA O GRECA. DESCOBRI QUE QUANDO O DOATICO FOI PRESO NA FERROVILA, O PREFEITO DA EPOCO ERA O GRECA. QUE MUNDO PEQUENO!!!

  4. Doutor Prolegômeno
    quarta-feira, 13 de junho de 2012 – 15:43 hs

    Eu defendo helicópteros para todos! Helipontos e heliportos espalhados pela cidade e o ruído das hélices das centenas de helicópteros de transporte público, de um lado para o outro. Um luxo! “Bicicreta”?? Coisa de pobre. Uma cidade moderna como Chuvitiba tem que ter uma esquadrilha de helicópteros para o populacho.

  5. juca
    quarta-feira, 13 de junho de 2012 – 18:05 hs

    chega de helicoptero ja temos bastante aqueles mesmo que o beto loco transporta os paçientes do interior para a capital………….vejam bem minha gente o povo tem memoria curta,

  6. antonio carlos
    quarta-feira, 13 de junho de 2012 – 18:16 hs

    Na falta de idéias realmente novas o ex-prefeito encanou com o tal metro aéreo. De onde será que ele tirou esta idéia? É lógico que um metro só de 12,5 km não vai resolver nada, só a vida de quem vai construí-lo. Se queremos mesmo resolver os problemas da cidade só há um que possa realmente fazê-lo, e nem preciso dizer quem é. Ah, não são nem o atual prefeito nem o ex. ACarlos

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*