'Bem satisfatório', diz IBGE sobre produção industrial no Paraná | Fábio Campana

‘Bem satisfatório’, diz IBGE sobre produção industrial no Paraná

Nos primeiros quatro meses do ano, o estado acumulou expansão de 6,2%. Média nacional foi de retração de 2,8%. O pior resultado é do Rio de Janeiro.

Produção industrial (Foto: Reprodução/RPC TV)

Do G1 PR:

A produção industrial do Paraná acumulou no primeiro quadrimestre do ano aumento de 6,2%. Este é o segundo melhor desempenho, perdendo apenas para Goiás (15,1%), entre os 14 locais pesquisados mensalmente pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Ao se analisar a produção de abril de 2012 com o mesmo período do ano anterior, verifica-se uma expansão de 2,4%, contra a média brasileira de -0,2%.

“O resultado é bem satisfatório comparado com as demais unidades da federação. O que pesa mais é o acumulado do ano”, afirmou o chefe da regional paranaense do IBGE, Sinval Dias dos Santos.

Por outro lado, os números divulgados nesta quarta-feira (6) mostram que ao se comparar a produção de abril com a de março deste ano houve uma queda de 7%. “A base era alta e também porque nós tivemos uma retração na atividade do setor de veículos automotores e uma redução na atividade de impressão e editoração”, justificou Santos. Ao se comparar a produção industrial de março com fevereiro deste ano se identificou uma expansão de 9,8%.

Existe uma expectativa de melhores números na pesquisa seguinte. “Houve a redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI). A medida foi tomada recentemente e no próximo mês vamos avaliar se a medida adotada provoca efeitos na atividade”, afirmou Santos.

Segundo ele, é normal que o cenário internacional traga preocupações e cautela para o investidor e para quem compra máquinas e equipamentos.

Nacionalmente, nos primeiros quatro meses do ano, a redução da atividade fabril ocorreu em oito locais pesquisados, com seis estados recuando acima da média nacional: Rio de Janeiro (-7,5%), São Paulo (-5,1%), Santa Catarina (-5,1%), Amazonas (-4,5%), Ceará (-3,7%) e Espírito Santo (-2,9%).

Também tiveram taxas negativas, mas em menor intensidade, Minas Gerais (-1,4%) e Pará (-0,1%). Os aumentos foram vistos, além do Paraná, em Goiás (17,9%), Bahia (5,6%) ePernambuco (5,2%). A região Nordeste (3,2%) e o Rio Grande do Sul (1,1%) também apresentaram resultados positivos.

Foto: Reprodução/RPC TV


Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*