Greve de médicos do HC suspende consultas e exames por quatro dias | Fábio Campana

Greve de médicos do HC suspende consultas e exames por quatro dias

Os médicos do Hospital de Clínicas da UFPR estão em greve por quatro dias, até esta quinta-feira. O protesto é contra a medida provisória 568/12 que reduz em até 50% o salário dos médicos nos hospitais federais e universitários. O objetivo do Governo Federal ao propor a medida é igualar salários de várias categorias, mas, no caso dos médicos, os reajustes passarão a incidir apenas sobre o salário-base de R$ 600, inferior ao mínimo, provocando a redução paulatina dos vencimentos.

Consultas e outros procedimentos foram cancelados. Será mantido apenas o atendimento de emergência e de pacientes já internados, além do tratamento quimioterápico.


6 comentários

  1. segunda-feira, 28 de maio de 2012 – 13:18 hs

    E Viva a República Sindical que em toda época de eleição, maltrata o povo para mostrar serviço na tentativa de ganhar uns pontinhos……………..e o povo que se dane

  2. Abel Miranda
    segunda-feira, 28 de maio de 2012 – 14:59 hs

    Dilma afirma sua vontade em facilitar a validação dos diplomas de médicos estrangeiros para corrigir a falta de profissionais no interior do país, nas periferias e nos programas de assistência básica e agora vem com esta medida provisória?

    É, sem dúvida, o governo da incoerência. Enquanto reduz o salário dos médicos, enterra bilhões em estádios de futebol apenas para satisfazer o enorme ego do apedeuta com mania de grandeza.

    Esclarecendo os incautos: Hospital de Clínicas é vinculado a Universidade Federal do Paraná, mantido com verbas do governo federal !

  3. NEA
    segunda-feira, 28 de maio de 2012 – 18:12 hs

    Admiro o governo da Presidenta Dilma, porém a medida provisória
    568/12 é na minha opinião um verdadeiro absurdo,que deve ser corrigido o mais rápido possível, a culpa pela paralisação da saúde não deve ser imputada aos profissionais da área, mas ao governo Federal, que não está tendo habilidade no processo de negociação de reposição salarial com os funcionários públicos.
    Infelizmente, quem paga a conta é a população.

  4. VACINA A-PT
    segunda-feira, 28 de maio de 2012 – 19:45 hs

    EU APOIO OS MEDICOS. ELES JA GANHAM TÃO POUCO E TRABALHAM COM PESSIMAS CONDIÇOES DE TRABALHO E AINDa querem diminuir o salrio deles? isso é abuso. Dinheiro para cargos politicos e mordomias tem dinheiro para obraS FARAONICAS DOS ESTADIOS TEM SE NAO TEM VAO DAR JEITO. O QUE REVOLTA É QUE UM SENADOR QUE DEVERIA ESTAR LA APOIANDO BRIGANDO PELOS MEDICOS E O HC. FICA AÍ SO DE MARIOLINHA COM GRECA PREOCUPADO SÓ EM PROMOVER O MESMO.E O DEP. GUSTAVO FRUET SO OLHANDO P O UMBIGO E AINDA SE ABRAÇOU COM ESSA TURMA DO GOVERNO PETISTA DEVERIA TAMBÉM ESTAR EMPENHADO EM ENTRAR NESTA BRIGA DO GOVERNO…SO PENSAM NELES E NO PODER.ENQAUNTO ISSO A POPULAÇÃO SE DANA. QUE VERGONHA.SÓ ESTAMOS VENDO O SENADOR ALVARO DIAS NO MEIO DO FOGO CRUZADO LA EM BRASILIA.COMBATENTO OS CORRUPTOS E PAI DOS MENSALEIROS.

  5. Abel Miranda
    segunda-feira, 28 de maio de 2012 – 22:42 hs

    Adendo: Hospital das Clinicas = Hospital Federal = Admnistração Federal = Governo Federal parceiro DIRETO do pre-Candidato Gustavo Fruet. GUGU este pepino também é seu, companheiro…… Se vira e ´rápido… a falta de atendimento, cancelamento das cirurgias, RESPINGA em sua candidatura e na imagem perante os Curitibanos….

  6. jararaca
    terça-feira, 29 de maio de 2012 – 10:28 hs

    Oro a Deus todos os dias para não precisar do sistema público de saúde e muito menos dos médicos. Não sei quem é pior. A vida muitas vezes vale o preço de uma consulta. Agora, o que mais me deixa indignado é a posição da “Justiça”. Na greve dos metroviários em SP, exigiu 100% de movimentação nos horários de pico. No caso dos médicos, nenhuma exigência. Total desrespeito para com a vida. Outro aspecto que merece ser analisado é que a “gangue” dos médicos conseguiu reduzir o numero de vagas nos cursos já existentes e brecar a criação de novos cursos. Pode? Num país onde existe falta de médicos, especialmente no interior. O governo deveria importar médico de Cuba e de outros países sim. Não pode é a população ficar a mercê deste bando, que só pensa em honorários, com raras exceções. Antes de receber o diploma, eles deveriam fazer um estágio na organização “Médicos sem fronteira”, quem sabe valorizariam mais a vida…

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*