Governo deu aval a negócio com Delta, diz empresário | Fábio Campana

Governo deu aval a negócio com Delta,
diz empresário

Para dono da JBS, objetivo é ‘salvar’ construtora e evitar paralisia de obras. Possibilidade de empreiteira ser declarada inidônea é ‘conversa de gente que não sabe nada’.

De Cátia Seabra, na Folha:

O empresário José Batista Júnior, um dos controladores do frigorífico JBS, disse ontem que o governo foi consultado e deu aval à decisão de sua família de comprar a construtora Delta para impedir a paralisia de suas obras.

“O governo quer que salve a companhia e dê continuidade às obras. Não quer que quebre a empresa”, disse o empresário, o primogênito da família Batista.

Júnior, como ele é mais conhecido, presidiu a JBS por 25 anos e é conselheiro da J&F, a holding familiar que controla a JBS e anunciou nesta semana que assumirá o controle da Delta.

O empresário chamou de “conversa de bêbado, de louco” a versão de que a holding teria negociado a compra sem consentimento do governo Dilma Rousseff.

“Imagina que o doutor Henrique Meirelles [ex-presidente do Banco Central e presidente do Conselho de Administração da holding] vai fazer um negócio que o governo não quer! 99% da carteira da Delta é com governo federal, estadual, municipal. Como vai fazer um negócio desses?”, afirmou ele.

E acrescentou: “Zero chance de fazermos uma loucura dessas. Como comprar uma empresa sem contrato? Ninguém compra”.

O discurso de Júnior contraria a informação de interlocutores de Dilma de que ela desaprova a operação. Afronta ainda manifestação oficial da J&F descartando prévia consulta ao governo.

“A J&F não procurou o governo. E não haveria por que, pois se trata de uma operação privada, não política. A empresa vai continuar concorrendo nas licitações, conforme a lei 8.666”, disse ontem a assessoria da holding.

A construtora Delta enfrenta dificuldades por causa de seu envolvimento com o empresário Carlinhos Cachoeira, que foi preso em fevereiro e é acusado de comandar um esquema de corrupção.

Investigações conduzidas pela Polícia Federal sugerem que o grupo de Cachoeira defendeu interesses da empresa e a ajudou a obter contratos em vários Estados.

Embora integrantes do governo digam que essa é a tendência, Júnior disse duvidar da possibilidade de a Delta ser declarada inidônea, o que esvaziaria o atrativo comercial da empreiteira que mais recebe verbas orçamentárias do Executivo desde 2007.

“Isso é conversa de gente que não sabe nada. Viu alguém falar isso no governo? Você sabe que tem muitas construtoras querendo comprar a Delta.”

CONFIANÇA

Questionado sobre os contatos entre seu irmão caçula, o atual presidente do grupo, Joesley Batista, e o ministro da Fazenda, Guido Mantega, Júnior disse que Meirelles foi quem conduziu a negociação.

“A JBS é uma empresa em que o governo brasileiro confia, a J&F. É o governo brasileiro. Não é o Guido Mantega. Todos os ministérios, todos os órgãos federais, confiam no que estamos fazendo.”

Com o sonho de se eleger governador de Goiás, Júnior filiou-se em julho do ano passado ao PSB. Nos primeiros meses do ano, chefiou a agência de promoção do governo de Marconi Perillo, do PSDB, um dos políticos cujo relacionamento com Cachoeira foi exposto pelas investigações da Polícia Federal.

Em 2006, conversas gravadas pela polícia durante uma investigação sobre prática de cartel entre frigoríficos minaram o plano de Júnior de concorrer ao governo.

Questionado se a operação de compra pode atrapalhar seus projetos políticos, afirmou que, “ao salvar obras do PAC, a JBS dá uma demonstração de responsabilidade”. Ele disse não conhecer Carlinhos Cachoeira.


6 comentários

  1. CAÇADOR DE PETISTAS
    sexta-feira, 11 de maio de 2012 – 10:22 hs

    Não sou eu quem estou falando mas, vocês sabiam que a, corrupção do governo lula supera Collor e FHC juntos.?

    Corrupção governo Lula supera Collor e FHC Juntos:
    Fonte: http://ueba.com.br/forum/lofiversion/ind…

    Corrupções governo Lula:

    Caso Pinheiro Landim
    Caso Celso Daniel
    Caso Toninho do PT
    Escândalo dos Grampos Contra Políticos da Bahia
    Escândalo do Propinoduto (também conhecido como Caso Rodrigo Silveirinha)
    CPI do Banestado
    Escândalo da Suposta Ligação do PT com o MST
    Escândalo da Suposta Ligação do PT com a FARC
    Escândalo dos Gastos Públicos dos Ministros
    Irregularidades do Fome Zero
    Escândalo do DNIT (envolvendo os ministros Anderson Adauto e Sérgio Pimentel)
    Escândalo do Ministério do Trabalho
    Licitação Para a Compra de Gêneros Básicos
    Caso Agnelo Queiroz (O ministro recebeu diárias do COB para os Jogos Panamericanos)
    Escândalo do Ministério dos Esportes (Uso da estrutura do ministério para organizar a festa de aniversário do ministro Agnelo Queizoz)
    Operação Anaconda
    Escândalo dos Gafanhotos (ou Máfia dos Gafanhotos)
    Caso José Eduardo Dutra
    Escândalo dos Frangos (em Roraima)
    Várias Aberturas de Licitações da Presidência da República Para a Compra de Artigos de Luxo
    Escândalo da Norospar (Associação Beneficente de Saúde do Noroeste do Paraná)
    Expulsão dos Políticos do PT
    Escândalo dos Bingos (Primeira grave crise política do governo Lula) (ou Caso Waldomiro Diniz)
    Lei de Responsabilidade Fiscal (Recuos do governo federal da LRF)
    Escândalo da ONG Ágora
    Escândalo dos Corpos (Licitação do Governo Federal para a compra de 750 copos de cristal para vinho, champagne, licor e whisky)
    Caso Henrique Meirelles
    Caso Luiz Augusto Candiota (Diretor de Política Monetária do BC, é acusado de movimentar as contas no exterior e demitido por não explicar a movimentação)
    Caso Cássio Caseb
    Caso Kroll
    Conselho Federal de Jornalismo
    Escândalo dos Vampiros
    Escândalo das Fotos de Herzog
    Uso dos Ministros dos Assessores em Campanha Eleitoral de 2004
    Escândalo do PTB (Oferecimento do PT para ter apoio do PTB em troca de cargos, material de campanha e R$ 150 mil reais a cada deputado)
    Caso Antônio Celso Cipriani
    Irregularidades na Bolsa-Escola
    Caso Flamarion Portela
    Irregularidades na Bolsa-Família
    Escândalo de Cartões de Crédito Corporativos da Presidência
    Irregularidades do Programa Restaurante Popular (Projeto de restaurantes populares beneficia prefeituras administradas pelo PT)
    Abuso de Medidas Provisórias no Governo Lula entre 2003 e 2004 (mais de 300)
    Escândalo dos Correios (Segunda grave crise política do governo Lula. Também conhecido como Caso Maurício Marinho)
    Escândalo do IRB
    Escândalo da Novadata
    Escândalo da Usina de Itaipu
    Escândalo das Furnas
    Escândalo do Mensalão (Terceira grave crise política do governo. Também conhecido como Mensalão)
    Escândalo do Leão & Leão (República de Ribeirão Preto ou Máfia do Lixo ou Caso Leão & Leão)
    Escândalo da Secom
    Esquema de Corrupção no Diretório Nacional do PT
    Escândalo do Valerioduto
    Escândalo do Brasil Telecom (também conhecido como Escândalo do Portugal Telecom ou Escândalo da Itália Telecom)
    Escândalo da CPEM
    Escândalo da SEBRAE (ou Caso Paulo Okamotto)
    Caso Marka/FonteCindam
    Escândalo dos Dólares na Cueca
    Escândalo do Banco Santos
    Escândalo Daniel Dantas – Grupo Opportunity (ou Caso Daniel Dantas)
    Escândalo da Interbrazil
    Caso Toninho da Barcelona
    Escândalo da Gamecorp-Telemar (ou Caso Lulinha)
    Caso dos Dólares de Cuba
    Doação de Roupas da Lu Alckmin (esposa do Geraldo Alckimin)
    Doação de Terninhos da Marísia da Silva (esposa do presidente Lula)
    Escândalo da Nossa Caixa
    Escândalo da Quebra do Sigilo Bancário do Caseiro Francenildo (Quarta grave crise política do governo Lula. Também conhecido como Caso Francenildo Santos Costa)
    Escândalo das Cartilhas do PT
    Escândalo do Banco BMG (Empréstimos para aposentados)
    Escândalo do Proer
    Escândalo dos Fundos de Pensão
    Escândalo dos Grampos na Abin
    Escândalo do Foro de São Paulo
    Esquema do Plano Safra Legal (Máfia dos Cupins)
    Escândalo do Mensalinho
    Escândalo das Vendas de Madeira da Amazônia (ou Escândalo Ministério do Meio Ambiente).
    69 CPIs Abafadas pelo Geraldo Alckmin (em São Paulo)
    Escândalo de Corrupção dos Ministros no Governo Lula
    Crise da Varig
    Escândalo das Sanguessugas (Quinta grave crise política do governo Lula. Inicialmente conhecida como Operação Sanguessuga e Escândalo das Ambulâncias)
    Escândalo dos Gastos de Combustíveis dos Deputados
    CPI da Imigração Ilegal
    CPI do Tráfico de Armas
    Escândalo da Suposta Ligação do PT com o PCC
    Escândalo da Suposta Ligação do PT com o MLST
    Operação Confraria
    Operação Dominó
    Operação Saúva
    Escândalo do Vazamento de Informações da Operação Mão-de-Obra
    Escândalo dos Funcionários Federais Empregados que não Trabalhavam
    Mensalinho nas Prefeituras do Estado de São Paulo
    Escândalo dos Grampos no TSE
    Escândalo do Dossiê (Sexta grave crise política do governo Lula)
    ONG Unitrabalho
    Escândalo dos Fiscais do IBAMA do Rio de Janeiro
    Escândalo da Renascer em Cristo
    Crise no Setor Aéreo
    2 anos atrás
    Denuncie

    Detalhes Adicionais

    Completando:
    Operação Hurricane (também conhecida Operação Furacão)
    Operação Navalha
    Operação Xeque-Mate
    Operação Moeda Verde
    Caso Renan Calheiros
    Operação Sétimo Céu
    Operação Hurricane II (também conhecida Operação Furacão II)
    Caso Joaquim Roriz (ou Operação Aquarela)
    Operação Hurricane III (também conhecida Operação Furacão III)
    Operação Águas Profundas (também conhecida como Caso Petrobras)
    Escândalo do Corinthians (ou caso MSI)

  2. GARGAMEL
    sexta-feira, 11 de maio de 2012 – 11:19 hs

    Leão engolindo gatos!

  3. GRANDE MESTRE....
    sexta-feira, 11 de maio de 2012 – 11:29 hs

    A impressão que a imprensa tenta nos passar, é de que a empresa Delta ganhou todas as suas concorrências de maneira irregular, e que o Carlinhos Cachoeira é que financia todas as obras públicas do país…..
    Quando lemos a reportagem na íntegra vemos que não é nada disso…
    Mas o momento é esse, falar mal do Carlinhos Cachoeira e da empresa Delta….. Vamos lá, vamos malhar os caras depois a gente vê se eles tinham culpa ou não !!!

  4. Cajucy Cajuman
    sexta-feira, 11 de maio de 2012 – 13:21 hs

    Tem linguiça debaixo desse angu. Mal a Delta vem sendo denunciada e mesmo ainda sem se defender das denúncias, depois de milhões arrecadados dos cofres públicos – com obras nem concluídos –, e a se ver envolvida em tanta falcatrua, mais do que depressa muda de mãos para tentar salvar a cara dos fanfarrões do dinheiro público e colocar uma pedra sobre o escândalo.

    A venda tem que ser embargada pela justiça até que fique tudo muito bem esclarecido e os responsáveis pela bandalheira paguem pelos seus atos.

    É muito fácil, fazer o que fizeram, e ao serem descobertos com a mão na botija, sair correndo e empurrar a empresa para novos compradores que assumem o ativo e o passivo, livrando a cara dos corruptos ou, como virou moda chama-los: malfeitores.

    E todo mundo sai livre, leve e solto e o pobre povo brasileiro paga a conta e a festa dos maus empresários e políticos desavergonhados em Paris ou qualquer outro canto do mundo.
    Mesmo porque, o tal grupo JBS – dos frigoríficos do mesmo nome – que “comprou” a Delta, também tem dinheiro público, em torno de 30% de capital do BNDES. Ou seja: o governo é também dono de parte do grupo empresarial.

    O que vale dizer que, ante as denúncias contra a Delta – e que não são poucas e com um caminhão de dinheiro público desviado, superfaturado etc – o próprio governo encampa a Delta em um de seus tentáculos ligados a JBS. Ora, já não basta o prejuízo que a Delta deu ao governo e aos brasileiros e, mesmo assim, o governo encampa a corrupção?

    Aí, então, fica tudo do mesmo tamanho. E o povo com cara de bobo, de otário.

    Essa venda tem que ser discutida na justiça. Enquanto os Cavendishs da vida não prestarem conta detalhadamente de seus atos até aqui, não tem venda, não tem transferência de responsabilidade.

    Mesmo porque, nas barras da lei, não se transfere responsabilidade sobre crimes de toda ordem, desvios de dinheiro público etc.

    Olho vivo. Todo cuidado é pouco. Eles querem enganar todos, o tempo todo?

    É preciso saber quem mais está por detrás de todo esse desmando, essa irresponsabilidade e falcatruas. Será que tem muitos figurões e tal venda as pressas é para tentar salvar uns e outros?

  5. JR Silva
    sexta-feira, 11 de maio de 2012 – 15:41 hs

    “Ver se tem culpa ou não”???

    Bem… entendo que nem tudo de ruim que acontece no país tem dedo do Cachoeira, mas que as ramificações deste cara passa por toda esfera do poder público, isso a gente não pode negar. O cara é tão forte que tem senadores, deputados federais, governadores, deputados estaduais, prefeitos, vereadores, juízes, delegados federais, alto escalão da policia militar e civil, todos trabalhando pra ele e recebendo altas grana pra fazer a sua vontade.

    As licitações neste país todo mundo sabe como funciona, de cada 100 licitações públicas, pelo menos 90 são fraudadas. O Cachoeira é um bandidão de marca maior, mas mais bandido que o Cachoeira, são os políticos e agentes da lei que aceitram grana para beneficiar o bandidão.

    Cadeia pra todo mundo, até aquele ministro envolvido deve ir pra cana…

  6. Caçador do Caçador de Petista
    sexta-feira, 11 de maio de 2012 – 16:09 hs

    F.Campana, me perdoe mas como vc dá um espaço desse tamanho para um comentário como o do frustrado Caçador de Petista, e acaba suprimindo alguns outros comentários muito mais interessantes????

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*