Defesa de Cachoeira 'visita' a sala-cofre da CPI | Fábio Campana

Defesa de Cachoeira ‘visita’ a sala-cofre da CPI

Do :

    Numa fase em que os vazamentos dos grampos permitiram a todos ouvir tudo o que houve, a defesa de Carlinhos Cachoeira simula desconhecer o que, já fartamento ouvido, não pode mais ser olvidado.

    Na tarde desta quarta (16), um representante da equipe de Márcio Thomaz Bastos, o advogado Augusto de Arruda Botelho, cruzou os umbrais da sala-cofre da CPI do Cachoeira, onde estão guardados os dados colecionados pela Polícia Federal.

    Outros doutores estão a caminho, informou Augusto Botelho. Com isso, ficou prejudicada a liminar do ministro Celso do Mello, do STF, que suspendera o depoimento de Cachoeira à CPI por cerceamento ao trabalho da defesa.

    A inquirição foi remarcada para a próxima terça (22). Sob a alegação de que o tempo é curto, Augusto Borelho deixa no ar a posibilidade de os advogados de Cachoeira solicitarem novo adiamento.

    O líder tucano Alvaro Dias ironize: “Pode ter certeza de que os advogados do Cachoeira têm muito mais documentos do que nós em nossa sala secreta. E o que temos é falho. Há pastas em branco, arquivos corrompidos, que não abrem. [A reclamação no STF] foi um pretexto para protelar o depoimento do Cachoeira.”

    O diabo é que, ao final dessa fase de vai-não-vai, Cachoeira não dirá coisa alguma aos congressistas. Aos acusados, como se sabe, é dado o direito de silenciar e até mentir para não produzir provas contra si mesmo.


    Deixe seu comentário:

    Campos obrigatórios estão marcados com *

    *

    *