Cadeira elétrica | Fábio Campana

Cadeira elétrica

Fernando Collor deixou evidente há pouco a sua determinação em ver Roberto Gurgel sentado na cadeira elétrica de depoimentos da CPI mista do Cachoeira.

Para Collor, as CPIs têm direito constitucional a convocar “qualquer” cidadão, seja ele procurador-geral da República ou não. Um dos motivos para querer Gurgel na CPI, sustenta Collor, está na demora do procurador em ofertar denúncia sobre os fatos apurados pela Polícia Federal desde 2009.

Depois de Collor falar, Pedro Taques pediu a palavra para dizer que Gurgel, uma vez convocado pela CPI, poderá ter de se declarar impedido de concluir a denúnica do inquérito da Operação Monte Carlo.


4 comentários

  1. Helena
    quarta-feira, 2 de maio de 2012 – 21:34 hs

    Parabéns Senador, até que enfim o Senhor fez alguma coisa que certa!!!

  2. Zangado
    quarta-feira, 2 de maio de 2012 – 21:40 hs

    O Caçador de Maracujá ainda vai arrumar para sua cabeça …
    O que será que ele fez que não pode ouvir ninguém falar em quebrar sigilo ?

  3. Geraldo
    quinta-feira, 3 de maio de 2012 – 8:22 hs

    Até que enfim, alguém se tocou que esse procurador é um engodo, uma meleca. Como é que pode o cara esconder tanta sujeira durante todo esse tempo? que bosta hein? Essse cara tem que ser algemado e preso.

  4. Parreiras Rodrigues
    quinta-feira, 3 de maio de 2012 – 9:31 hs

    Veremos o voto dêle quando se propor a convocação/convite sei lá, ao O Chefe do Mensalão que, se se apresentar, simplesmente repetirá que não sabia de nada.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*