Cachoeira usava servidores para contrabando, afirma PF | Fábio Campana

Cachoeira usava servidores para contrabando, afirma PF

Funcionários de Infraero e Receita em Brasília ajudavam a liberar bagagem.

Em gravação feita pela polícia, empresário liga de Miami para combinar como iria ser a entrada no Brasil.

Da Folha de S. Paulo:

Gravações feitas pela Polícia Federal revelam que o grupo do empresário Carlos Cachoeira utilizou servidores da Infraero e da Receita Federal para obter facilidades na entrada e saída de mercadorias contrabandeadas no aeroporto de Brasília.

Preso desde o dia 29 de fevereiro, Cachoeira é acusado de comandar um esquema ilegal de jogos caça-níquel.

Um dos citados nos diálogos é Raimundo Costa Ferreira Neto, servidor da Infraero (estatal que administra aeroportos) com sala no terminal.

O outro é Wagner Wilson de Castro, inspetor-chefe da Alfândega da Receita em Brasília, chamado durante a madrugada para liberar malas do grupo de Cachoeira.

Segundo a investigação da PF, o servidor da Infraero, chamado de Ferreirinha, “tem como função facilitar a chegada de material contrabandeado/descaminhado” do grupo de Cachoeira.

Seu telefone foi monitorado, com autorização judicial. Numa conversa em 4 de janeiro de 2011, Cachoeira estava em Miami e acertou com o sargento da Aeronáutica Idalberto Matias, o Dadá, a volta ao Brasil, por Brasília.

Apontado no inquérito como o araponga do grupo, Dadá informou a Cachoeira que iria procurar Ferreirinha.

Minutos depois, Dadá volta a falar com Cachoeira e avisa: “Ele falou que pode vir aqui por Brasília.”

Oito dias depois, Dadá e Cachoeira discutem a chegada a Brasília de outras pessoas do grupo e acertam o número de malas e a roupa de um deles para passar pela fiscalização: uma camisa roxa.

Em outra gravação, uma pessoa não identificada orientou Dadá sobre como evitar a fiscalização: “Se titubear, mandam entrar”.

Dadá ligou para Cachoeira da sala do funcionário da Infraero. “Cheguei agora aqui na sala do Ferreirinha, tô com ele aqui.” E repassou pedido do servidor: “Ele só tá cobrando o uísque dele”. Cachoeira responde: “Tá bom, vou dar”.

O chefe da Alfândega da Receita no aeroporto, Wagner de Castro, não foi monitorado, mas é citado como alguém que teria ajudado o grupo.

Numa noite, foi chamado para solucionar impasse envolvendo malas de Cláudio Abreu, diretor da Delta Construção e denunciado pelo Ministério Público Federal.

Num diálogo, Dadá disse que o servidor da Receita foi “solícito”. Em outro, o dono da Delta afirma que visitaria Castro para “agradecer a cortesia” e “levar uma agenda”.


3 comentários

  1. Desconhecido
    quinta-feira, 5 de abril de 2012 – 15:03 hs

    Tem que ser investigado todos as empresas que prestam serviços no aeroporto de brasília,Tudo tem a mão do servidor: Ferreirinha, na empresa de segurança, na empresa dos carinhos nem ouve licitação e foi o senhor Ferreira quem indico, sem falar nus politicos que tem um previlégio e tanto,a grande maioria deles quando vão embarca passam pelos portões do terminal 2 sem ser espercionados por nem um funcionario ,sabe por que? por se trata de pessoas amigas do ferreirinha e da segurança, ali passa dinheiros e seguranças armados para o pátio.

  2. Anônimo
    segunda-feira, 9 de abril de 2012 – 20:30 hs

    concordo com a opiniao acima… e ainda querem impor regras e cobrar da segurança( agentes aeroportuarios) o q eles mesmo nao fazem… e um absurdo mesmo né???? e ainda tenho q da bom dia e recepciona-lo com um sorriso no rosto!

  3. Anonimo
    terça-feira, 10 de abril de 2012 – 23:48 hs

    Concordo com o relato anterior, trabalho a muitos anos como terceirizado da infraero e esse senhor Ferreira e coronel la dentro, ele e afilhado e criado junto com os filhos do Sarney, todas as empresas terceirizadas de segurança dão propina a ele para ganhar e descumprem as leis trabalhistas, ja vi ele varias vezes com esse povo passando no aeroporto inclusive desobedecendo as inspeções de bagagens. Quanto a passarem pela alfandega a aeronave quando chega do exterior no aeroporto de Brasilia a Receita se quer a recebe deixando livre para os funcionários da pista extraviarem bagagens e tanta sujeira nesse aeroporto JK e ainda querem receber a copa, vai ser vergonhoso.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*