"Acosteando no alambrado" | Fábio Campana

“Acosteando no alambrado”

O caudilho gaúcho Leonel Brizola costuma dizer que quando o barco do adversário fazia água, e os aliados começavam se bandear para o seu lado, era porque a eleição estava ganha Cunhou a expressão “acostear do alambrado”. Segundo ele, essa aproximação – ou tentativa – era indicativo seguro de vitória. Era o Ibope dos pampas.

A peregrinação na rua Ivo Leão, 554, no Alto da Glória, não tem o tamanho das missa de quarta da vizinha Perpétuo Socorro, mas é significativa. Em plena sexta da Paixão, dia de recolhimento e reflexão, Ratinho Júnior não foi poupado pelo grande o número de ligações em seu celular. “Tem gente boa se acosteando no alambrado”, observa Renato Adur, estudioso de muitas campanhas e adepto da sabedoria e expressões brizolistas.


4 comentários

  1. Luis
    quinta-feira, 12 de abril de 2012 – 18:12 hs

    Tem mesmo, né Fabio???

  2. ivanowski
    sexta-feira, 13 de abril de 2012 – 9:01 hs

    . E o RENATO ADU ‘ACOSTEOU O ALAMBRADO”E CONSEGUIU PULAR … TÁ LÁ BELO E FAGUEIRO …

  3. joao marcos
    sexta-feira, 13 de abril de 2012 – 11:14 hs

    Dizem por ai que ja tem gente do pmdb que era Dutti que anda procurando os companheiros que ja estavam com o Ratinho sera isto verdade

  4. Mírian Waleska
    segunda-feira, 16 de abril de 2012 – 23:05 hs

    Eu me lembro desse termo que ele usava, era “costiando alambrado”

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*