Petistas se rebelam contra casal Bernardo-Gleisi | Fábio Campana

Petistas se rebelam contra casal Bernardo-Gleisi

Do Josias de Souza

O PT de Curitiba está em pé de guerra. O partido briga consigo mesmo. De um lado, o casal de ministros Paulo Bernardo (Comunicações) e Gleisi Hoffmann (Casa Civil). De outro, o deputado federal Dr. Rosinha, o deputado estadual Tadeu Veneri e seis correntes esquedistas da legenda.

O embate envolve a definição do papel que o PT deseja desempenhar na disputa pela prefeitura da capital paranaense. Bernardo e Gleisi articulam o apoio à candidatura do ex-deputado tucano Gustavo Fruet, hoje no PDT. Pré-candidatos, Dr. Rosinha e Tadeu Veneri defendem que o PT vá às urnas com um nome próprio.

Incomodado com o avanço das negociações com Fruet, o pedaço do PT que se insurge contra Bernardo e Gleisi levou à web, nesta segunda (13), um ‘abaixo-assinado’ eletrônico. O título do documento é auto-explicativo: “Uma candidatura petista à prefeitura de Curitiba, sim!”.

Primeiros signatários da peça, Rosinha e Veneri convidam “militantes e simpatizantes” do PT a aderir à causa. Informam dispor do apoio de meia dúzia de correntes esquerdistas da legenda: Democracia Socialista, Militância Socialista, Articulação de Esquerda, Esquerda Marxista, Base e Luta e O Trabalho.
O diretório curitibano do PT marcou data para a definição do litígio. O grupo de Bernardo e Gleisi, supostamente majoritário, medirá forças com seus antagonistas internos num encontro partidário marcado para os dias 27 e 28 de abril. Na falta de acordo, o petismo decidirá no voto entre a aliança com o PDT do ex-tucano Fruet e a candidatura própria.
Bernardo e Gleisi atravessam o tabuleiro de 2012 de olho em 2014. Joga-se agora o futuro da candidatura da atual chefe da Casa Civil de Dilma Rousseff ao governo do Paraná. As pesquisas conspiram a favor do casal ministerial. Fruet frequenta as sondagens como segundo colocado. Rosinha e Veneri exibem índices de intenção de votos mixurucas.
Quer dizer: aliando-se ao PDT, comandado no Paraná pelo ex-senador Osmar Dias, o PT estaria mais bem equipado para enfrentar o atual prefeito de Curitiba, Luciano Ducci (PSB), candidato à reeleição. Ducci é apoiado pelo governador paranaense Beto Richa (PSDB), futuro adversário de Gleisi Hoffmann.
Enquanto aguarda por uma definição do PT, Fruet move-se para atrair outras legendas. Nesta segunda (13), aproveitou a passagem do ministro Aldo Rebelo (Esportes) por Curitiba para discutir com ele o apoio do PCdoB. Em 2007, ainda filiado ao PSDB, Fruet disputou com Rebelo a presidência da Câmara. Hoje, pede o apoio do partido do ministro.
“O PC do B é fundamental para construção de uma agenda da oposição em Curitiba”, diz o preferido de Bernardo e Gleisi. “Estamos trabalhando para agregar forças e construir um grande bloco” partidário.


7 comentários

  1. LOOK
    terça-feira, 14 de fevereiro de 2012 – 11:31 hs

    O Rosinha esta fora da casinha…

  2. anonimo
    terça-feira, 14 de fevereiro de 2012 – 11:50 hs

    Vamos ser sinceros. Estes dois ‘postulantes’, o que eles e seu grupo/tropa de choque querem é estar na mídia, porque se sairem candidatos vão amarelar e terão menos votos que tiveram p/deputados…..aguardem e veremos……….

  3. Cajucy Cajuman
    terça-feira, 14 de fevereiro de 2012 – 12:39 hs

    Eles sabem que não tem voto e nem expressividade política para um cargo de tamanha expressão e responsabilidade como a prefeitura de Curitiba.

    Foi-se o tempo em que qualquer um do meio – e das conveniências do sistema – se dizia candidato, impunha a sua vontade e levava no bico, empurrando com a barriga a sua vaidade e suposta popularidade, mesmo sabendo que não daria em nada, lá na frente…

    Essa turminha do oba-oba e acostumada a insuflar a massa, só leva vantagem no grito, mas jamais no voto. A sociedade está cansada dessa cantilena.

    Respeita-se a pessoa, mas despreza-se a politicagem que pratica e que, no frigir dos ovos, nenhuma vantagem trás para o contribuinte, cidadão e eleitor.

    Eles querem mesmo, é medir forças, acasalar interesses e passar com a patróla sobre tudo e todos que não comungam com tais aventuras…

    Mas, pelo que este site já noticiou, nesta semana, Lula os chamará para coloca-los no cantinho, de castigo. E mais: subirão no palanque para confessar e pedir voto para Gustavo Fruet. Afinal, eles rezam ou não pela cartilha de Lula e Dilma?

    Quero ver se são machos – politicamente falando – para irem contra o Pai (de todos os petistas) e a Mãe (do PAC e do dinheiro da República).

    Como dizem e está na moda: É pácábá…

  4. Joao Carlos
    terça-feira, 14 de fevereiro de 2012 – 13:29 hs

    O PT perdeu a prefeitura com Gleisi Hoffmann…Agora imagine com esses outros que estao querendo ser canditados a lavada que vao tomar…O nome de mais credibilidade desse ano e do Gustavo Fruet…

  5. Elton
    terça-feira, 14 de fevereiro de 2012 – 15:02 hs

    A única razão para estes dois PTistas estarem tão interessados na disputa pela pré candidatura são os holofortes – querem aparecer, querem visibilidade para viabilizarem suas candidaturas em 2014. Sabem que as chances de irem para o segundo turno são mínimas. Alguns políticos não tem perfil para o Executivo, portanto o melhor que fazem para si e para os eleitores é ficar no Legislativo.

  6. Mirian Waleska
    terça-feira, 14 de fevereiro de 2012 – 18:09 hs

    Isso é briga de cachorro.

  7. PEC-300
    terça-feira, 14 de fevereiro de 2012 – 20:44 hs

    Ótimo

    Por mim eles podem se matar

    seria um favor ao País.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*