Mirian Gonçalves explica as suas divergências | Fábio Campana

Mirian Gonçalves explica as suas divergências

O blo9g recebeu esta comunicação de Mirian Gonçalves, que deixou a direção do PT, para o seu gesto. É o que segue:

“Caro Fábio, espero que possa ser publicado.

Em um momento da vida política nacional em que o apego a cargos e funções se transformam em trampolim para alguns ou em cabide de empregos para outros, causa estranheza o fato de haver renunciado a vice para não ter que assumir a presidência do PT municipal de Curitiba.
Alguns, de má-fé, tentam atribuir minha decisão à discordância fundamental em relação a eventual aliança em torno do candidato do PDT. Outros, desinformados, tentam interpretá-la como divergência no campo político que gravita em torno dos Ministros que tanto orgulham a militância petista da capital.
Nem uma coisa, nem outra.
O problema, a meu ver, está no método.
O ex-deputado Gustavo Fruet é um brilhante político da nova geração, doutor em direito, forjado nas lutas estudantis.
Tem, portanto, todas as credenciais para representar um arco de alianças apto a derrotar as oligarquias políticas que dominam a política paranaense há décadas. Mas o processo de construção desta alternativa deveria, em homenagem à história do PT, começar pela discussão de programas e compromissos políticos para o futuro.
Essa é a divergência fundamental que venho explicitando nos últimos meses: ou construímos coletivamente uma aliança fundada em princípios e parâmetros claros ou, a candidatura própria se apresenta como a opção mais coerente.”

Mírian Gonçalves


16 comentários

  1. cansada
    terça-feira, 7 de fevereiro de 2012 – 21:09 hs

    Miriam Gonçalves, esse candidato Fruet é FILHOTE DA OLIGARQUIA POLITICA DO PARANÁ. POR FAVORRRRRRRRRRRRR. O cara pode ser doutor em direito, o que não lhe tira a origem burguesa e da oligarquia do Paraná.Não é meu candidato.

  2. Roberto
    terça-feira, 7 de fevereiro de 2012 – 21:10 hs

    Mirian Gonsalves,pensei que o PT não tinha mais ideologia, não sou petista, confeço que sempre votei no PSDB, deixe de ser eleitor deles quando eles mexeram na lei das aposentadoria, por que no meu ver quem já tinha pago 60% deveria ficar como antes, mas isto não esta em jogo. quando li na sua entrevista esta frase(uma aliança fundada em princípios e parâmetros claros ou, a candidatura própria se apresenta como a opção mais coerente.”) fiquei pensando Mirian, como esperar de um ser PRINCÍPIOS, SE ELE QUANDO SAI DO PMDB FOI PARA NÃO APOIAR O PT? depois quiz ele voltar ao PMDB só pelo o tempo de tv, hoje ele só quer o mesmo PT que ele rejeito por causa do tempo na tv, só o PT que não quer vê, parabéns Mirian vc é uma guerreira

  3. Emerson
    terça-feira, 7 de fevereiro de 2012 – 21:43 hs

    Goncalves esquece que Fruet filho faz parte da oligarquia politica que ela condena e diz que ele combateria. Eh filho de ex-vereador, Prefeito e Deputado Federal.

    Conveniente para o manjado discurso panfletario, nao?

  4. terça-feira, 7 de fevereiro de 2012 – 21:50 hs

    Cara Mirian, a grande verdade é que os militantes do PT tupiniquins estão sem pai nem mãe nessa grande odisseia da política nacional. Senão vejamos…. A privatização já não é coisa tão tucana, o Fruet já não é tão “direitista”, a Gleise e o Paulo talvez nem tanto paranaenses, quiçá o Alberto Roberto dos Pinheirais não seja um novo Max, ainda muito bem disfarçado. De tudo, concluímos que o Julião da Caveira não quer trabalhar para assistir jogo, o Mauro Moraes é a nova cara da segurança pública, o Veneri sifuuu…, o Requião perdeu os escudeiros da Assembléia, e dia 08 de fevereiro, se eu e vc não pularmos cedo o bicho pega… Ao menos para mim!

  5. Borrachada
    terça-feira, 7 de fevereiro de 2012 – 22:09 hs

    Tudo conversa mole e teorias em abundancia.
    Basta reconhecer que foi o que sobrou para o “partidinho” poder continuar com algum oxigenio no Parana.
    Quanta ingenuidade e purismo a esta altura do campeonato!
    Em que mundo voce viveu ate hoje?

  6. PEC 300- AOS PMS DO BRASIL
    terça-feira, 7 de fevereiro de 2012 – 22:14 hs

    Vejam como Lula e Dilma estão na origem da radicalização dos movimentos das PMs Brasil afora. Não é uma opinião, é um fato. COM VÍDEO E TUDO:

    http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=FiY8tnBpySc

    Vocês já ouviram falar da Proposta de Emenda Constitucional nº 300, a PEC 300? Ela iguala o salário das Polícias Militares de todos os Estados ao que se paga no Distrito Federal, que tem a PM mais bem-paga do país. É uma espécie de fomentadora continuada de revoltas das polícias Brasil afora. Como isso começou? Ora, com uma formidável parceria entre Luiz Inácio Lula Apedeuta da Silva e José Roberto Arruda, então governador do Distrito Federal, que já estava nas teias do petismo, bem perto de ser destruído. Não que não merecesse, como se sabe. A população do DF é que merecia saber quem era o petista Agnelo Queiroz… Mas esse é outro assunto. Vamos lá. Ah, sim: depois Dilma deu os braços ao desastre. Vamos ao que é história.

    No dia 8 de maio de 2008, o Apedeuta assinou a Medida Provisória 426, que concedia reajuste de 14,2% aos 28 mil policiais militares e bombeiros do Distrito Federal, extensivo aos que já estavam na reserva. O aumento era retroativo a fevereiro, e o atrasado, pago numa vez só. O piso dos coronéis da PM do DF passou para R$ 15.224, e o dos soldados, R$ 4.117. Hoje, deve ser maior. Pesquisem aí. Por que por MP? Porque os gastos com segurança, saúde e educação do Distrito Federal são bancados por um Fundo Constitucional. Vale dizer: saem dos cofres da União! Fez-se uma grande festa em Brasília. Adivinhem quem foi a estrela. Então é chegada a hora de ver o filme, com Lula no melhor da sua forma.

    Na prática, como se nota, Lula é o pai da matéria. E vejam como ele gosta de fazer proselitismo em porta de quartel. Ele próprio previu, sindicalista que foi, o óbvio: a reivindicação se estenderia país afora. Tudo no maior ufanismo.

    O deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP) não teve dúvida: apresentou a PEC 300, nacionalizando, então, o piso. Voltem ali ao discurso de Lula. Em 2008, ele ainda não tinha tanta certeza de que Dilma seria eleita. Parecia ter certa desconfiança. E já se via, fora da Presidência, associado aos sindicatos, pressionando o governo federal a fazer o que ele próprio não teria conseguido. E, vocês viram, o Brasil nunca foi tão bom, tão bacana, tão justo, com tanta auto-estima…

    Era evidente que os estados quebrariam caso os salários se igualassem. Faria de Sá deu um jeitinho e pôs no texto um penduricalho interessante: ficou estabelecido que a União arcaria com aquilo que os estados não puderem pagar. Mais precisamente: seria criado um fundo de compensação, e o governo federal repassaria aos estados o que excedesse o valor atualmente gasto com salários. O governo Dilma agora enrola os policiais. Foi sempre assim? Ah, não foi, não!

    Dilma usou a PEC 300 contra Serra na campanha de 2010
    Há um deputado estadual em São Paulo chamado Major Olimpio, do PDT. Ele chegou a ser cotado para vice de Aloizio Mercadante (PT) na disputa pelo governo de São Paulo em 2010. Foi um ativo colaborador da campanha da Dilma. Policiais do Brasil inteiro receberam correspondência afirmando que o tucano José Serra era contra a PEC 300 — logo, entendia-se que Dilma era favorável! Michel Temer (PMDB), hoje vice-presidente, comprometeu-se com os policiais. Nota: Serra nem havia tocado no assunto.

    Agora o governo federal tenta se virar com o espeto. E quem arca com o custo político das mobilizações das Polícias Militares? Ora, os governos dos Estados, inclusive os da base aliada. Na prática, especialmente depois daquele discurso tão eloqüente, Lula é o pai da PEC 300, certo? Os policiais devem cobrar o apoio do companheiro, que ajudou a eleger a companheira. A proposta é pagar aos policiais do Brasil inteiro o que se paga no DF e mandar a conta para o governo federal. Lula avaliou que a 300, assim como a 51, também era uma boa idéia!

    Encerro
    Este texto, com alterações ditadas pela conjuntura, foi escrito aqui no dia 11 de novembro de 2010, como vocês poderão constatar se quiserem. Não preciso que as pessoas morram nas ruas como moscas para perceber o desenho de um desastre, meticulosamente planejado. Como o próprio Apedeuta deixa claro no vídeo, aquela solenidade poderia ter sido feita no gabinete. Mas ele preferiu as multidões, insuflando policiais do país inteiro.

    Quem pode ser contra a que policiais ganhem salários maiores? Mas é preciso ver o que cabe no Orçamento dos Estados. Como não cabia, o deputado que fez a proposta decidiu mandar a conta para a União.

    Vá lá, Dilma, pague tudo! Afinal, o governo federal nem mesmo está obrigado a cumprir o rigor de uma Lei de Responsabilidade Fiscal. É claro que as contas públicas sofrerão um rombo. Conseqüência de uma lei perversa que os petistas costumam seguir à risca: a Lei da Irresponsabilidade Eleitoral!

    Por Reinaldo Azevedo

  7. carlos Maia
    terça-feira, 7 de fevereiro de 2012 – 22:19 hs

    Desculpe-me Dna. Mirian, mas o seu partido jà há muito tempo deixou de discutir politica e construir planos. Hoje é um sigla como outra qualquer em busca do poder para garantir espaço para apaniguados. Esta é a realidade.

  8. Mirian Waleska
    terça-feira, 7 de fevereiro de 2012 – 22:45 hs

    Mírian Gonçalves,

    Não se sinta na obrigação de dar explicações com relação á sua decisão, aliás, uma decisão sábia. Percebi que a senhora ainda procura resgatar a HISTÓRIA DO PT, acredite, o PT se perdeu na história, não há como construir uma aliança com o PT baseado em princípios e clareza, basta ver o que acontece no governo federal, corrupção generalizada, hoje o povo brasileiro de norte a sul conhece as reais intenções do PT. Não se sinta na obrigação de buscar razões que justifiquem sua atitude, só pelo fato da senhora ter deixdo a direção do PT já merece todo o meu respeito e concideração, todos os dias somos escandalizados por atos de verdadeiro desrespeito para com a nação, todos provenientes da esfera do governo federal/PT
    Acredite, muitos políticos que presam a conduta e retidão de caráter já pularam fóra desse partido, a exemplo disso temos o Vice Governador Flávio Arns que hoje faz um brilhante trabalho como secretário de Educação do Estado do Paraná.
    Luis Inácio lhes apresentou um projeto e quando o poder lhe foi dado, revelou-se o maior corrupto da história desse país, suas ações refletem até os dias de hoje e lamentávelmente Dilma segue com a mesma cartilha.
    Siga seu caminho sem olhar para tras, e não procure ver brotar flores onde so existem pedras.

    Felicidades.

  9. José Diniz
    terça-feira, 7 de fevereiro de 2012 – 23:05 hs

    Miriam Gonçalves, quanta decência, inteligência, sobriedade, idealismo, entre outros atributos, que mostram um caráter digno, cuja capacidade de representar nosso povo em qualquer instância, se faz necessário, devido a escassez de gente do bem.
    Não te conheço, mas te admiro, o caminho é o contrário, junto do poder, por poder…
    Você inverte a ordem pra muitos natural, pra seguir a coerência.

  10. Miguel Orleryk
    quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012 – 1:14 hs

    Dona Mirian, o seu PT já era! Enquanto Gustavo Fruet fez parte das “oligarquias políticas”, era o demônio. Hoje, é “o cara” com princípios e parâmetros! Que princípios? Que parâmetros? Os do seu PT? Aquele da ética e da moralidade?
    Cai fora, Mírian! Vocês lambuzaram o Brasil aproveitando-se de um discurso hipócrita e mentiroso, onde quem se interpunha a vocês era “liquidado.”
    Mas tudo tem um fim e a batata do PT tá assando.

  11. Vigilante do Portão
    quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012 – 7:27 hs

    Ética e coerência,
    Algo que a Miriam tem e que os políticos não costumam cultivar.

    A coerência e a ética, determinam que o PT não admita o Gustavo Fruet – aquele que chamou os petistas de QUADRILHEIROS – seja apoiado pelo partido.

    Apenas isso.

    Também podemos chamar de “vergonha na cara”.

    Parabéns Dra. Miriam.

  12. Parreiras Rodrigues
    quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012 – 8:50 hs

    Cumprimentos para Miriam pela coerência.

    Melhor perder, às vezes.

    Em Santa Isabel do Ivai, elegeu-se um prefeito pelo PMDB que numa primeira oportunidade, abandonou o Partido.

    Eleição seguinte, reuniões para trazê-lo de volta. Diziam os dirigentes do Partido que só com ele, teríamos chances de vitórias.

    Presidente da agremiação, lembrei a trairagem anterior, mas fui vencido pela maioria.

    Resultado: Ganhamos sim, as eleições, mas numa primeira oportunidade, a história se repetiu e ainda contava bravata com o umbigo encostado no balcão dum boteco: Voltei mesmo foi prá ganhar a eleição!

    Quem nasceu lagartixa, não chega a jacaré, disse um pirangueiro.

  13. PEC 300- AOS PMS DO BRASIL
    quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012 – 9:20 hs

    Campanha de Dilma usou reajuste de PMs para fazer terrorismo

    contra Serra; agora, quer dar um beiço nos policiais

    http://www.pec300.com/2010/11/temer-ouve-de-dilma-apelo-contra-pec-do.html

  14. Suellen
    quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012 – 11:47 hs

    Isso mesmo Miriam, cale a boca do satanás

  15. quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012 – 16:53 hs

    Belo na teoria, mas na prática, tudo mudou. A dra. não sabe que o PT que não é mais o mesmo. só pensa em cargos, holofotes, mordomias e perpetuação de interesses pessoais. Ele que acorde.

  16. quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012 – 16:53 hs

    Belo na teoria, mas na prática, tudo mudou. A dra. não sabe que o PT que não é mais o mesmo. só pensa em cargos, holofotes, mordomias e perpetuação de interesses pessoais. Ela que acorde.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*