Sindicato dos Delegados vê manipulação para frustrar negociações com o governo | Fábio Campana

Sindicato dos Delegados vê manipulação para frustrar negociações com o governo

O SIDEPOL, Sindicato dos Delegados de Polícia do paraná, emitiu nota para condenar as iniciativas isoladas de policiais que estariam tentando tumultuar as negociações entre os sindicatos legítimos das categorias policiais (os que têm carta sindical) com o governo do Estado. Estes policia,s na compreensão do SIDEPOL, estariam sendo manipulados por interesses de grupos internos e de correntes políticas. O que segue é a nota do SIDEPOL que joga mais gasolina na discussão interna na Polícia.

COMUNICADO DO SIDEPOL

Em vista dos acontecimentos dos últimos dias, quando alguns policiais civis agindo de forma autônoma e ausente de representatividade sindical, realizaram ações policiais veiculadas na imprensa local como “operação padrão”, entende que é necessário um posicionamento sério e imediato das instituições democráticas que congregam os policiais civis de todas as carreiras.

Embora o policial civil possa e deva agir diante de situações que evidenciam a prática criminosa, existe uma Instituição com mais de 150 anos de existência que obedece a princípios da legalidade e hierarquia, sem os quais teríamos uma milícia armada e não uma entidade que representa a Polícia Judiciária estadual.

A alegação destes investigadores, na sua maioria recém nomeados, é que estariam representando a classe policial civil para pressionar o governo do Estado a encaminhar o projeto do Estatuto da Polícia Civil. Desde o início de janeiro, pela primeira vez na história da Polícia Civil, todas as entidades de classe ( SIDEPOL, ADEPOL, UNIÃO DA PC, SINCLAPOL E SINDIPOL- Londrina) que legitimamente representam os integrantes das carreiras estão se reunindo na mesma mesa com o Secretário de Segurança, Dr. Reinaldo e com o Delegado Geral, Dr. Michelotto, para inicialmente resolver a questão salarial e posteriormente dar o melhor encaminhamento possível ao Estatuto.Estas informações vem sendo divulgadas de forma exaustiva pelas entidades, pelo governo e pela imprensa local.

Existe uma entidade não reconhecida que congrega os policiais que estão realizando tais operações, se o objetivo é cumprir a lei e reprimir a prática criminosa, seria louvável, mas mesmo assim as operações policiais devem ser planejadas e executadas dentro de critérios técnicos e não de forma desordenada e sem comando. É preciso alertar que a intervenção policial repressiva traz consigo o risco de resultados inesperados, com grande potencial lesivo e de intervenção aguda na esfera individual do cidadão, não podendo ser realizada de forma desordenada e clandestina.

Por isso, nos parece que tais ações vêm sendo orquestradas por policiais mais antigos que manipulam os mais novos com a intenção de prejudicar as negociações com o governo do Estado e consequentemente chegar a direção do SINCLAPOL que tem suas eleições em abril próximo. Por isso entendemos que se estes policiais possuem informações sobre ilícitos que não estão sendo apurados devem se dirigir as suas respectivas chefias e somar esforços para concretizar o trabalho policial de forma responsável e segura. Caso contrário estaremos presenciando atos de desespero que podem trazer consequências funestas para a Instituição.

Finalmente comungamos plenamente com a posição do Departamento da Polícia Civil e com a posição do SINCLAPOL sobre tais episódios.

Curitiba, 28 de janeiro de 2012.

JAIRO ESTORILIO
Presidente


36 comentários

  1. Cumpra-se a lei
    sábado, 28 de janeiro de 2012 – 14:59 hs

    Com todo respeito Sr Presidente do Sidepol.

    Se o objetivo da ação em questão foi o de alertar as autoridades sobre a necessidade de melhoria da base da Policia Civil, o resultado foi atingido.

    Se o objetivo foi tão somente coibir a prática de iícito sem interesse nenhum, o resultado também foi atingido e esse “furdunço” contra a ação dos policiais têm interesses obscuros dos “poderosos” do Paraná.

  2. indignado
    sábado, 28 de janeiro de 2012 – 15:28 hs

    se baixar a policia federal pra investigar, vai faltar delegado no parana…

  3. antonio francisco da silva
    sábado, 28 de janeiro de 2012 – 15:37 hs

    Esses policiais não teem legitimidade para falar em nome da instituição.Pela primeira vez,nos ultimos 40 anos que,estou na policia civil um governador do estado cria uma comissão de alto nivel para tratar de reposição salarial da categoria.É certo que requião fez uma boa correção,entretanto,por não ouvir as liceranças setoriais terminou fazendo injustiça com a grande maioria.

  4. indignado
    sábado, 28 de janeiro de 2012 – 15:52 hs

    se fosse um governo realmente sério, secretario delegado geral ja tinham caido…como ja ta provado que nao é…ta tudo certo…

  5. VERDADE
    sábado, 28 de janeiro de 2012 – 17:04 hs

    Já que o chefe não se mexe alguém tem que fazer!!! Eles também cansaram de esperar sentados o famoso “choque de gestão”…

  6. Carlos
    sábado, 28 de janeiro de 2012 – 18:25 hs

    “Indignado”, o delegado geral tem o aval da classe. É de rua. Operacional. Confiamos nele pq sempre esteve ao lado da base. Talvez vc seja ligado a algum grupo criminoso q esteja indignado com as ações sérias dele. O delegado geral nunca teve seu nome ligado a nada diverso do que de grandes ações. Limpe a boca. E ele não reprovou a ação, mas a forma como ela foi feita. Policiais mascarados não são policiais.

  7. Leo
    sábado, 28 de janeiro de 2012 – 18:26 hs

    Que que eh isso Dr Jairo.
    Nao sou policial, mas os delegados estao dando um tiro no pe.
    Vamos reler o CPP …Qualquer do povo pode e policial DEVE prender quem estiver em flagrante delito, depois vai apresentar a Autoridade Policial.
    Onde estah a insoburdinacao, onde o Estado estah sendo atingido,
    O que o nosso governador acha disso, os policiais que combatem o crime organizado, nao interessando o motivo, sao tachados de bandidos.
    Se houver um intervencao do MP, depois nao reclamem.

    Deixem os investigadores limpar a cidade depois conversem sobre as questoes salariais.
    O momento eh muito critico., ha muitos anos nao se tinha noticia de crise semelhante.

  8. Cajucy
    sábado, 28 de janeiro de 2012 – 18:29 hs

    Ta tudo muito bom, ta tudo muito bem, mas – sempre tem um mas…

    1)- Em se tratando de um cassino clandestino, em local fixo, o tal flagrante poderia se feito em qualquer dia e qualquer horário;

    2)- A presença de um delegado é de suma importância sim; e, na falta dele, um representante do Ministério Público, ou até ambos, o que daria maior transparência à operação, cumprindo todos os dispositivos legais para não correr riscos na perda de evidências de provas, inclusive para inquérito e posterior processo judicial.

    3)- A hierarquia na instituição policial é fundamental para se evitar excessos, abusos de autoridade e desrespeito à lei;

    4)- O policial é subordinado ao seu superior e não deve fazer diligência sem o aval deste e o apoio da equipe. Se houvesse resistência na hora da invasão do local e morresse alguém a culpa de quem seria? Da instituição policial ou dos policiais que ali estavam sem comando?

    5)- O caso é diferente do flagrante comum. O policial vendo qualquer ato ilícito em vias públicas deve fazer o flagrante, cumprindo a sua missão.

    6)- O caso da mansão clandestina é questão de inteligência, de reunir equipe, dar consistência ao flagrante e prender proprietários, gerentes e freqüentadores.

    7)- Porém, uma ressalva: se tal cassino vem funcionando há mais tempo, a autoridade policial está sabendo e nada faz – ou faz vistas grossas – ou existe alguma contra-ordem para não dar andamento em diligências, CABE UMA DENÚNCIA A CORREGEDORIA DA POLÍCIA e ela passará a tomar às providências cabíveis.
    8)- É assim que a coisa funciona na DEMOCRACIA. Dentro da lei. Imagine, por exemplo, se cada policial – ou grupo deles e independente de quem, estamos no campo hipotético – RESOLVER DE LIVRE E ESPONTANEA VONTADE fazer diligência à revelia do Comando Geral – independente de nomes, estamos falando na instituição policial –, e sair por aí procurando fazer justiça apenas usando a farda, e/ou a carteira de autoridade e SEM UMA ORDEM LEGAL E ORDENADA. Vira o caos, sem dúvida.

    9)- O cidadão tem que cumprir a lei, a Constituição da República, o Estatuto ou normas de onde trabalha e assim sucessivamente. Quem não está satisfeito, se for por irregularidades, CABE DENUNCIAR AOS ÓRGÃOS SUPERIORES, se for por outras razões, negociar ou, em última instância se demitir e mudar de ramo.

    10)- FINALIZANDO. Os ilustres policiais precisam colocar os senhores deputados para trabalharem por suas causas. Os deputados são pagos para ajustar a lei. Para isso tem-se a Assembléia Legislativa e os representantes do Paraná no Congresso Nacional. A pressão tem que ser por aí.

    Esse negócio de operação padrão, em forma de pressão, é um expediente lamentável, pois parece que é uma via de mão única: só é feita quando lhes convém. E aí, nesse caso, perde o mérito.

  9. Carlos
    sábado, 28 de janeiro de 2012 – 19:00 hs

    Até certo ponto forçoso é concordar com a manifestação do senhor presidente do SIDEPOL,quando externa repúdio à maneira desastrosa como foi conduzida a ação por parte de alguns políciais.Agora,não se pode concordar,quando em sua nota atribui a ação policial conotação político partidária,como fez o senhor delegado geral em nota oficial,esquecendo que também representam,politicamente um partido,o do atual governo.Sabe se que, operações como essa,chamada de OPERAÇÃO PADRÃO,sempre foi a maneira utilizada pela polícia para pressionar o governo a atender as reinvidicações salariais.A orientação dada pela administração atual,às entidades de classe,foi no sentido de que promovessem tais ações desde que sob a supervisão de um delegado de polícia,o que não ocorreu no presente caso,daí a indignação dos dirigentes atuais.É paradoxal!

  10. sábado, 28 de janeiro de 2012 – 19:09 hs

    Muito estranho tanta indignação. Fosse contra um pobre coitado não haveria absolutamente nada.

  11. laisa lopes
    sábado, 28 de janeiro de 2012 – 19:29 hs

    Esse sindicato é presidido por capacho e não representa nada, alem dos interesses do Delegado Geral. Estão querendo tapar o sol com a peneira. ESSA PODRIDÃO TEM QUE ACABAR – isso é crime organizado o Beto Richa tem que lazer um limpa.

  12. Vigilante do Portão
    domingo, 29 de janeiro de 2012 – 6:41 hs

    Pois é Antonio,

    O Requião deu um aumento ,

    Entretanto, não contratou policiais.
    A instituição POLÍCIA CIVIL (a militar também) está MINGUANDO.

    O efetivo foi reduzido, o mobiliário sucateado e os imóveis são os mesmos da década de 1980.

    O IML e a Criminalística, estão no mesmo local e desde os anos 1980 ( o prédio, mais antigo, foi reformado nessa época).
    Os equipamentos são os mesmos, a estrutura é a mesma. Dezenas de bons profissionais se aposentaram e não foram substituídos.

    SUCATEARAM, talvez propositadamente, a Polícia.

    Veja o caso do Distrito da Santa Quitéria:

    É dos anos 1970, embora a população do bairro tenhha quintuplicado, o imóvel é do mesmno tamanho e o contingente de policiais é MENOR.

    No interior, a coisa está ainda pior. Cidades cresceram, a criminalida se multiplicou e a estrutura policial não acompanhou.

    Corrigir esse rumo, aumentar o efetivo, profissionalizar, valorizar e modernizar a Polícia, é uma tarefa hercúlea, Não se faz em um ou dois anos.

  13. Marcos
    domingo, 29 de janeiro de 2012 – 9:37 hs

    Isto é a movimentação de 10 ou 20 investigadores que estão sendo orquestrados pela oposição que querem derrubar o atual governo.
    Toda ação deve ser coordenada por alguém que se responsabilize por ela, ou viramos terra de justiceiros. Sou investigador e estou com vergonha de meus colegas pela ação.

  14. escobar
    domingo, 29 de janeiro de 2012 – 10:03 hs

    Como é que se vai coibir a criminalidade com hierarquia e disciplina se os superiores levam vantagem com o ilícito. Acorda Jairo!

  15. Alvaro Luis
    domingo, 29 de janeiro de 2012 – 10:04 hs

    Fabio Campana, o srº como um excelente jornalista poderia soliciatar ao Presidente do SIDIPOL- Pseudo Sindicato dos Delegados que apresente a Carta Sindical da entidade deles.
    De acordo com as informações esse Sindicato dos Delegados não possui a liberação do Ministério do Trabalho, portanto estar ilegal como entidade Sindical.
    Quanta ilegalidade nesses ultimos dias, né ???
    Por gentileza vamos a fundo nessa história, quem ganha é a sociedade, são momentos assim que a verdade aparece.

  16. domingo, 29 de janeiro de 2012 – 11:49 hs

    Primeiramente quero tornar público que o SIDEPOL não é um sindicato legitimizado uma vez que ele não possui Carta Sindical assinada pelo ministro do Trabalho e Emprego. O presidente do SIDEPOL também não possui legitimidade para estar a frente do pseudo sindicato uma vez que ele é Chefe da Delcon (Delegacia de Crimes Contra o Consumidor). Foi nessa degacia que começou a dita Operação Padrão onde uma ação contra pirataria acabou por remover três policiais que participaram da Operação. Como pode uma pessoa montar dois cavalos ao mesmo tempo: Ser presidente de um sindicato ao mesmo tempo ser Chefe de uma das delegacias mais cobiçadas pelos Delegados. Outra coisa é que o referido sindicato sobrevive de doações feitas pela ADEPOL (Associação dos Delegados), o que o deixa totalmente dependente das vontades dos governantes, já que o presidente da ADEPOL foi escolhido pelo Secretario da Segurança. De tudo isso podemos dizer que alguma coisa vai mal no reino da Dinamarca.

  17. luiz
    domingo, 29 de janeiro de 2012 – 12:29 hs

    “entende que é necessário um posicionamento sério e imediato das instituições democráticas que congregam os policiais civis de todas as carreiras.”
    A pergunta que os policiais devem fazer ao Sindepol, é que instituições democráticas são essas?
    Elas tem nome? Elas são públicas e defendem o interesse público? Onde elas estavam quando a situação chegou ao fundo do poço? Onde elas estão, quem são seus representantes, Diretores, Presidentes será que entendem de segurança pública?
    O Pessutti (ele tinha certeza que jamais seria eleito) assinou conscientemente, o que não poderia entregar e esse Governo empurra com a barriga. A expectativa criada imobiliza o quadro, ninguém vai ao trabalho para trabalhar, somente para esperar a solução do impasse. Hoje a Polícia não existe, e Deus nos livre de precisarmos dela….

  18. domingo, 29 de janeiro de 2012 – 14:31 hs

    POLICIA CIVIL..OU MILITAR..OU GUARDA MUNICIPAL..OU FEDERAL..TEM QUE GANHAR BEM SIM….POIS ARRISCAM SUAS VIDAS POR NÓS DIARIAMENTE..NÃO SABEM SE CHEAM EMCASA VIVOS PARA REVER SEUS FAMILIARES;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;

  19. domingo, 29 de janeiro de 2012 – 14:57 hs

    isso é uma vergonha, sindicatos q deveriam representar os interesses da classe policial como o sindipol e o sinclapos estao representando os interesses do governo e indo contra o q foi decidido por maioria em assembleia. os policiais estao certos e tem q fazer muito mais coisas q vao atingir o bolso de alguem e pelo tipo isto esta incomodando muito

  20. domingo, 29 de janeiro de 2012 – 14:58 hs

    isso é uma vergonha, sindicatos q deveriam representar os interesses da classe policial como o sindipol e o sinclapol estao representando os interesses do governo e indo contra o q foi decidido por maioria em assembleia. os policiais estao certos e tem q fazer muito mais coisas q vao atingir o bolso de alguem e pelo tipo isto esta incomodando muito

  21. domingo, 29 de janeiro de 2012 – 16:14 hs

    Afinal quem é o dono da casa

  22. Carlos
    domingo, 29 de janeiro de 2012 – 16:19 hs

    O senhor delegado geral ao chamar os policiais rebeldes de milicias,deveria antes,verificar o que anda fazendo o delegado titular da homicidios nas madrugadas em Curitiba.Criou, `a revelia de todos os ordenamentos,um grupo de celerados, de cara pintadas,boinas na cabeça e roupas negras,que mais se prestam a aterrorizar a populaçao.Isto tudo, é a mais clara demonstração de que a Polícia Civil do Estado está à deriva.A orientação para que a polícia promovesse as OPERAÇÕES-PADRÃO,para pressionar o governo,partiu sim, da própria chefia de polícia,apenas com a recomendação de que deveriam ser supervisionadas por Delegado de Polícia .

  23. Ana Maria Brandão
    domingo, 29 de janeiro de 2012 – 19:11 hs

    Se alguém tivesse morrido na tal operação , que seria responsabilizado????? será que estes senhores não pensaram nisso antes de fazer? toda grande operação gera grandes riscos para sociedade. Não é colocando a população em risco que se combate o crime.
    Se eles sabiam de ilicitos deveriam procurar suas chefias para denunciar. Não sou adepta do atual governo Beto Richa, mas condeno totalmente esta ação desastrosa, que foi feita por pessoas ingênuas, recém chegadas na polícia e que estão sendo usadas por pessoas do mal, que já estiveram no limbo da polícia. Hoje estes, com grande inveja do sucesso do Dr. Miqueloto, tentam de tudo para derruba-lo. Continuaremos unidos e fortes como policiais.
    È isto que tinha de dizer.
    Um abraço a todos e paz para todos nós.

  24. Boris
    domingo, 29 de janeiro de 2012 – 19:14 hs

    Na operação em que Policiais Civis do Grupe Tigre mataram o PM no RS não havia delegado, e nem por isso o Grupo foi perseguido e considerado uma milícia. Dois pesos duas medidas, MVC Micheloto, não tem condições de continuar sendo Delegado Geral. Dr. Luiz Carlos de Miveira, Dr. Paulo Ernesto , cade vcs? Assumam o comando.

  25. Furdunço
    domingo, 29 de janeiro de 2012 – 20:29 hs

    Digam o que disserem, berrem até estourar as cordas vocais, mas NÃO HÁ LEI QUE IMPEÇA A POLÍCIA DE AGIR EM SITUAÇÕES DE FLAGRANTE SEM A PRESENÇA DE UM DELEGADO!!

    E se houver, estou aguardando que postem…

    Será o benedito que a polícia tem que ignorar o artigo 301 do CPP por causa da IMENSA VAIDADE E MEGALOMANIA de alguns delegados de polícia?

    E por falar nisso… já que eles agora se revelam tão indignados por não terem presenciado nem comandado a ação, DESAFIO qualquer cidadão paranaense a percorrer as delegacias de polícia na madrugada e encontrar lá um delegado de plantão, presidindo os flagrantes, acompanhando diligências e locais de crime, assinando boletins de ocorrência…

    Tenha dó!!! Hipocrisia tem limite!

  26. Joao Marcos
    domingo, 29 de janeiro de 2012 – 20:32 hs

    Sou investigador e garanto que essa operacao foi feita por investigadores que querem derrubar o presidente do sindicato Sinclapol, Andre Gutierrez. Orquestrada peloinvestpol Gilson dos Santos e outros radicais…tenho vergonha dos meus pares….

  27. Pepe
    domingo, 29 de janeiro de 2012 – 20:49 hs

    Parabens aos policiais civis e vaias ao DG

  28. Tambor
    domingo, 29 de janeiro de 2012 – 20:52 hs

    O sipol desmente ter engendrado a ação em e-mail que faz circular entre os policiais civis:

    “Esclarecemos que a brilhante operação desencadeada por policiais civis que resultou na apreensão de cerca de 40 máquinas caça-níqueis em uma mansão onde funcionava um cassino clandestino no bairro Parolin em Curitiba, não foi idealizada pelo sipol. Esta iniciativa partiu de uma manifestação espontânea de bravos policiais e a única bandeira que eles ostentam é o brasão da Polícia Civil do Paraná.

    Há muita gente interessada em desarticular este movimento, daí a enxurrada de teorias da conspiração. O sipol, contudo, manifesta seu apoio aos que encampam esta iniciativa eivada de honradez. Mais que isso, sua diretoria manifesta o mais profundo orgulho de ter entre seus colegas homens e mulheres tão corajosos.

    As insígnias das categorias de base da Polícia Civil do Paraná foram honradas, estão reluzentes!!!”

  29. Bruno Cesar Kuososki
    domingo, 29 de janeiro de 2012 – 20:53 hs

    Vou ajudar o Leo.
    Art. 6 DO CPP diz que ” Logo que tiver conhecimento da prática da infração penal, a autoridade policial deverá:
    I – dirigir-se ao local, ….. ora eles ficaram lá por mais de 9 horas e ligaram para uns delegados e ?????? NADA.

    Art. 301. Qualquer do povo poderá e as autoridades policiais e seus agentes deverão prender quem quer que seja encontrado em flagrante delito. Será q esse art. mudou e eu não sei, mas eu acabei de copiar do site do planalto.gov.br.
    Lamentável.

  30. Bruno Cesar Kuososki
    domingo, 29 de janeiro de 2012 – 20:54 hs

    Esqueci ….mas será que veremos essas tais fotos ? Quero saber quem são.

  31. Adilson Ribeiro
    domingo, 29 de janeiro de 2012 – 21:10 hs

    Na operação em que Policiais Civis do Grupe Tigre mataram o PM no RS não havia delegado, e nem por isso o Grupo foi perseguido e considerado uma milícia. Dois pesos duas medidas, MVC Micheloto, não tem condições de continuar sendo Delegado Geral. Dr. Luiz Carlos de Miveira, Dr. Paulo Ernesto , cade vcs? Assumam o comando.

  32. indignado
    domingo, 29 de janeiro de 2012 – 21:36 hs

    meu caro carlos….sou do interior e vejo que a pc NAO TEM COMANDO. un delegado geral que diz que trocou delegados por nao apoiarem o candidato do governo nao pode ser sério. se a pc tivesse ralmente comando, isso nao aconteceria. ele é fraco…

  33. joca coruja
    domingo, 29 de janeiro de 2012 – 21:54 hs

    Escutei na radio banda B, o Luiz Carlos Martins entrevistando o delegado geral.E ele disse que encontraram na tal Mansão fotoglicar de vários politicos de curitiba, não seria o caso de publicar essas fotos pARA se saber quem são os politicos que participam de bingos clandestinos, e pedir para legalizar duma vez essa polrcariA.

  34. Policial Civil
    domingo, 29 de janeiro de 2012 – 22:02 hs

    Lamentável a posição do DG, primeiro porque está punido os policiais que de forma legal derrubarm um estabelecimento fora da lei.

    Segundo porque quem conhece o CPP, inclusive os Promotores e Juizes, sabe que a principal ilegalidade está na falta do apoio quando os policiais pediram a presença de Delegados para o CIAC, Corregedoria e 197 e não foram atendidos imediatamente.

    Aliás, que tal fazer uma enquete com a população e o policiamento ostensivo para saber quando os Delegados têm feito as oitivas nas delegacias e comparecido aos locais de crime?

  35. +1papacharlie
    domingo, 29 de janeiro de 2012 – 23:45 hs

    Todo o policial que se presa principalmente os formados pela Escola Superior da Poilicia Civil, foram instruidos para cuidarem da Segurança Publica; Deles se exigiram curso superior foi lhes oferecido salario correspondente ao nivel superior, mas onde está, pior seria se eles fizem como disse um certo governador no Paraná,” apenas de a Eles uma carteira e arma e eles fazem os seus sálarios”,se quizer-mos bons representantes teremos que rever todo esse país. Só estão vendo o suposto erro dos policiais e estão esquecendo que tem parentes viciados(doentes), em jogos que estão sem se alimentar pois os valores que deveriam vir para os lares esta sendo jogado fora e nas mãos de quem manipula toda essa porcaria, vamos tratar os doentes com o tais e os marginais não importa a esfera de seus ilicitos com o devido rigor da lei. Parabéns aqueles que tiveram coragem de denunciar pois a gratidão dos denunciantes já esta se vendo nas manifestações de apoio dessas pessoas que são lezadas indiretamente porque seus parentes são dependentes dessa corsa de manipuladores. Gratidão é o sentimento que deve ser externado pela ação desses valorosos policiais.

  36. Jota Delta
    terça-feira, 31 de janeiro de 2012 – 8:10 hs

    Sou grato aos policiais que estiveram no prostíbulo, e num ato de coragem enfrentaram o poder, arriscando os seus pescoços. Terão dias negros pela frente, mas deram oportunidade aos paranaenses de perceber como é fácil fazer cair a máscara de alguns, cuja missão é exclusivamente combater e prender apenas pretos, pobres e ladrões de varal. Estou orgulhoso desses policiais. Aproveitem o momento para irem também na Sexy e outros bordéis de luxo da capital. Não desistam. Que Deus os proteja da ira do poder.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*