Governo faz proposta para pagamento da Emenda 29 aos PMs | Fábio Campana

Governo faz proposta para pagamento da Emenda 29 aos PMs

Uma proposta para pagamento do subsídio previsto na Emenda 29 foi apresentada hoje (06) às entidades de classes da Polícia Militar do Paraná, no Quartel do Comando Geral, em Curitiba, em um café da manhã. A proposta foi feita à PM pela Secretaria de Estado da Administração e Previdência do governo do estado.


26 comentários

  1. gilmar
    segunda-feira, 9 de janeiro de 2012 – 15:27 hs

    TENHO CERTEZA QUE SE O PAI (RICHA), ESTIVER VENDO O QUE O FILHO ESTÁ FAZENDO COM CERTEZA VAI SE VIRAR NO TUMULO DE VERGONHA DE O FILHO ESTAR MANCHANDO O NOME DELE COM OS POLICIAIS MILITARES.

  2. PARA O TENENTE
    segunda-feira, 9 de janeiro de 2012 – 16:08 hs

    Se eu fosse tenente tb pensaria assim, já que o meu próximo posto seria capitão e eu me daria bem… Tudo é questão de tempo!! Assim como é questão de tempo a explosão de uma GREVE a exemplo de outros estados, inclusive a PM do RIO DE JANEIRO que já está ameaçando parar no carnaval… AH, o sr deve saber quando vai abrir o concurso para CORONEL na PMPR, estou interessado. Deduzi isso pela tabela e o salário inicial é tentador. QUERO SER CORONEL RECRUTA!!!

  3. SOLICITANTE
    segunda-feira, 9 de janeiro de 2012 – 16:20 hs

    Essa tabela vai ser o estopim para a Greve das Policias no estado. Se ao menos 60 % do efetivo parar, ninguem vai ser excluido, vamos parar geral, ADM, ROTAM, RPA, SIATE…enfim 60% de adesao ja mostraria a esses incompetentes administradores do estado que a coisa noa e brincadeira…GREVE JA….GREVE JA…

  4. Schuck Norrys da PCPR
    segunda-feira, 9 de janeiro de 2012 – 16:25 hs

    Primeiramente queria parabenizar e elogiar pessoas aqui deste fórum , que movidos até por “desespero” como eu tb, muitas vezes dizem palavras duras…, mas com ctz não são mais duras e ásperas do que o tratamento que hj é dad aos policiais paranaenses!, policiais digo eu, de todas as classes.
    o governo sempre usa a tática de enganar a população,,,, acham que os policiais do paraná ganham otimamente bem!

    como o colega acima disse… ao somarmos nossos gastos, nosso MISERÀVEL salario não consegue pagar.
    colega Stalone, muito sábia sua colocação… precisamos de união neste momento. duas instituições distintas UNIDAS apertando o governo!!! dai funciona, juntamente com operações padrao em AMBOS OS LADOS![
    os PMs enchendo as DEPOL e os PCs exigindo que a lei seja cumprida, ou seja, para qq flagrante, BO, TCIP, etc… o DELEGADO TERÀ que estar presente para ouvir, caso contrário o escrivão não poderá fazer isso sozinho!!!
    CONTO COM APOIO DOS PMS, se verem o escrivão fazendo sozinho, denunciem para corregedoria da pcpr e este escrivão respondera sindicancia!!!
    será pela dor mesmo!!!
    so assim para os escrivaes da pc perderem o medo de agir dentro da lei.

    OUTRA COISA: hj muitos não estao nem aí para lutar por melhora salaria, PQ A POLÍCIA PARANAENSE ESTA CHEIA DE VÉRMES!!!, VAGABUNDOS, cheia de policiais tanto PM e Pc corruptos!!! VIVEM DE ACERTOS COM CONTRABANDISTAS E TRAFICANTES. apos ser deflagrada a ioperação que prensdeu apenas alguns, dava pra ver a cara de pavor nas delegacias dos demais VAGABUNDOS que nao foram pegos… davam aquela risada falsa, amarelada… BANDO DE VERMES VAGABUNDOS. O PARANÁ PRECISARIA SE LIVRAR DESTES VADIOS, para que nao recebessem o almento pelo qual lutamos.
    “desabafei”; mas quero dizer mais uma vez: “RAÇA DE VÉRMES, POLICIAIS QUE RECEBEM PROPINA!!!, VCS VALEM MENOS QUE UM VÉRME, POIS ESTE NÃO PRECISA PAGAR NINGUEM PARA APARECER EM UMA CARNIÇA”.

  5. PM DESAPONTADO
    segunda-feira, 9 de janeiro de 2012 – 17:09 hs

    Em reunião extraordinária, do Fórum de Entidades Representativas da Classe Policial/bombeiro Militar, realizada na sede da AMAI, dia seis de janeiro, presentes representantes das seguintes associações: ABOLON – Associação dos Bombeiros de Londrina, SBSS – Sociedade Beneficente dos Subtenentes e Sargentos, ABCS –Associação Beneficente dos Cabos e Soldados, FENIX Guarapuava, APCS – Associação dos Policiais Cabos e Soldados, ASCEPOL – Associação da Classe Policial, CREPOM UMUARAMA – Clube Recreativo e Esportivo dos Policiais de Umuarama, APRA – Associação de Praças do Estado do Paraná, AMEP – Associação dos Militares Estaduais do Paraná e AMAI – Associação de Defesa dos Direitos dos Policiais Militares Ativos Inativos e Pensionistas, onde se deu conhecimento unilateral de três assuntos da pauta do CG que mais perturbam a Corporação neste momento:

    1. Minuta e anexos (tabelas salariais) da proposta de anteprojeto de lei de implementação do subsídio determinados pela Emenda 29/2010/CE para os policiais militares;

    2. Convênio SEAP/SAS-FASPM para o atendimento dos servidores civis da Regional 31/SAS pelo FASPM/HPM;

    3. Situação dos policiais militares destacados para a Operação Verão/2011/12.

    Por consequência disso, resolve emitir o presente manifesto de REPÚDIO ao posicionamento governamental nas três situações em destaque, pelas razões que seguem:

    Quanto ao n.º 1. Inicialmente, este REPÚDIO é à Comissão governamental mista, elaboradora da minuta do anteprojeto de lei de implementação do subsídio como forma de remuneração dos policiais e bombeiros militares, instituída e coordenada pela Secretaria de Estado da Administração e Previdência, e a quem mais possa ter-lhe prestado assessoramento. Construiu um “trabalho” inteiramente ao arrepio da legislação vigente e que norteia o subsídio para os órgãos da União e que é referência para o dos Estados (Lei Federal nº 11358-19/10/2006), como o foi para a polícia federal e rodoviária federal. Sequer tentou seguir os parâmetros da legislação estadual que implementou o subsídio para os juízes e os procuradores de justiça do Estado do Paraná. Ignorou o trabalho básico realizado e aprovado por este Fórum das Entidades.

    É impossível reformar tal repositório de maldades e impropriedades, levando tal documento a uma total e única destinação: “O LIXO”. Uma vergonha! Com certeza foi esta a razão pela qual, embora “palavreada”, foi negada a participação das entidades PM na elaboração do malfadado anteprojeto. Aliás, é possível afirmar que, desse “trabalho”, não participou nenhum policial militar, integrante do segmento da sociedade ao qual é dirigido e que, até por ele, anseia e pede.

    Saibam, os cidadãos paranaenses, e que o saiba também o governo, o policial é disciplinado para cumprir a sua função, mas não é um objeto desprovido de personalidade, uma coisa! É, sim, um cidadão consciente dos seus direitos e deveres para com o Estado e para com todos os paranaenses e, neste momento, sente-se traído, como um segmento social que, de boa-fé, compareceu lealmente ao debate com o governante para dar concretude a um dos maiores anseios do povo do Paraná e da própria comunidade miliciana que é a atualização e o avanço da legislação modernizadora da Corporação Militar Estadual e se vê frente a frente com uma representação governamental que trata o assunto sem a necessária profundidade e seriedade. Isto é ofensivo não só aos milicianos, mas a todos os cidadãos de bem do Paraná, que querem a melhoria da segurança pública pela via da evolução natural dos quadros e das leis que estruturam dentre outras instituições, a PMPR. A proposta é jocosa, ofensiva, grosseira, ilegal, inconstitucional e incompatível com o nível de desenvolvimento do serviço público deste Estado.

    Só para lembrar, a Emenda 19/98 à CF incluiu o subsídio como forma de remuneração aos militares estaduais exatamente porque, com a supressão da capitalização das gratificações (especialmente os quinquênios em cascata), como se previu, teve início o efeito perverso do conserto que, no nosso caso, foi a redução da massa salarial dos policiais e bombeiros militares. Fato que persistiu integralmente até a lei do “soldão”, em 2010 – e de maneira abrandada até os dias de hoje. O dispositivo constitucional federal (EC 19/98) foi repetido como reforço legislativo na CE pela Emenda 29/2010.

    Ora, qualquer pessoa percebe que o subsídio passou a ser devido aos policiais militares – e outras categorias, desde a sua inserção na Constituição Federal e Estadual. Esta, a Constituição Estadual, acrescentou que, para ingresso na Corporação é necessário o curso superior para soldados e, direito/engenharia para oficiais combatentes PM/BM, respectivamente.
    Conseguinte, o militar estadual nada mais quer do que o cumprimento das Constituições do Brasil e do Paraná, a exemplo do que já ocorreu no plano federal e estadual para os juízes e procuradores, com os mesmos critérios – sem inventar novos. Nada de dois pesos e duas medidas. Por isto, se ninguém percebeu é bom que o faça, pois até “Jó” teve a sua paciência esgotada.

    Quanto ao assunto número 2 da pauta do Comando-Geral, saúde da família miliciana e a atitude de incorporar mais cerca de l20 mil vidas à responsabilidade do FASPM/HPM, na 31 Regional do SAS, queremos expressar nosso absoluto desagrado pela medida que julgamos infeliz e inapropriada, pois que se não atende aos 30 mil milicianos a que se obriga por razões institucionais e legais, certamente atenderá pior a estes e, também àqueles desafortunados que aqui aportarem a espera de melhores dias. A saúde na Capital é ruim e no interior o Estado é ainda pior.

    Do que sabemos, o convênio foi assinado pelo Presidente do Conselho Diretor do FASPM, após aprovado por aquele Conselho, com dois votos contrários, da representação da AMAI. Do convênio não faz parte nenhuma manifestação de consultores especializados, não existe o cálculo atuarial que venha a dar razoável certeza de que os valores a serem praticados, por vida, sejam suficientes para oferecer um razoável nível de atendimento à saúde dos servidores civis, quanto mais fazer sobrar recursos para investimentos.

    É relevante esclarecer ao povo do Paraná que o HPM – peça fundamental para funcionamento do convênio SEAP/SAS–FASPM foi construído, equipado e reformado, em grande parte, com recursos da comunidade policial militar e, até hoje não se concluíram auditorias esclarecedoras dos destinos dos recursos financeiros, equipamentos, material permanente ali instalado ou desaparecido – pois que não existe levantamento patrimonial de qualquer natureza.

    Num passado ainda recente ouvimos inúmeras promessas de melhorias, de planos de saúde, de um verdadeiro paraíso. Ao final, só dissabor, “dívidas reconhecidas” e somente à custa da supressão do atendimento aos milicianos, acabaram, recentemente, sendo pagas sem que estas contas tenham sido, ainda, aprovadas pelo renovado Conselho de Usuários do FASPM.

    A comunidade constituída pelo Fórum das Entidades manifesta o seu desagrado e temor de que, ao final dessa aventura, como já aconteceu em passado recente, o saldo seja somente as contas para serem pagas – é claro – pelos militares do Estado.

    Na verdade, entendemos que o Estado deve cumprir a sua parte para conosco (o que de regra não acontece), buscar solução mais conveniente para os respeitáveis servidores civis, pois que, nesse modelo estaremos todos desatendidos e talvez, nós, os milicianos, ainda endividados.

    O convênio não tem o endosso da comunidade representativa da família miliciana.

    Quanto ao item n.º 3, da pauta da reunião com do Comando-Geral, Entendemos que as condições de acomodação (alojamentos) são desumanas e o valor da “diária” de alimentação (R$ 36,00), imposta pelo Governo e Comando Geral é insuficiente.

    O Estado provê alojamento coletivo para os policiais e bombeiros durante a Operação Verão, sem a preocupação de qualidade e espaço, assim, os militares passam a viver como “sardinhas em lata”, sujeitos ao calor, deficientes instalações sanitárias e falta de armários.

    Uma diária completa (sem reajuste desde 2004) – alimentação e pernoite – é de R$ 120,00 (cento e vinte reais), sendo que deste, R$ 36,00 (trinta e seis) para alimentação, que é pago ao PM/BM. A conta não bate, não apenas no aspecto formal contábil, mas também moral, pois, o Estado destina R$ 84,00 (oitenta e quatro reais) para pernoite e paga as pousadas um valor de aproximadamente R$ 35,00 (trinta e cinco reais), é bom que o Tribunal de Contas, Comissão de Direitos Humanos e de Segurança, verifique para onde vai a diferença.
    A diária de alimentação não permite uma alimentação saudável, pois que deve ser suficiente para duas grandes refeições, e duas intermediárias, além da hidratação permanente e abundante, protetor solar, medicação e outras necessidades básicas das pessoas, tudo isto com a importância formidável de R$ 36,00. Ora, qualquer criança sabe que no período das férias de final e começo de ano os preços no litoral se elevam sem controle. Nós sabemos que as diárias não são revistas pelo Governo do Estado há mais de cinco anos.

    A hierarquia mantém os militares em regime ternário de trabalho 08 x 24, com noites mal dormidas e calor intenso dia e noite (os policiais civis cumprem escalas de 24 x 72 e recebem a integralidade das diárias).

    Que estranha conjuntura faz com que nossos chefes maiores aceitem para a sua tropa essas situações humilhantes? Seria para manter em estado de profundo treinamento militar que testa a qualidade e o moral da “tropa em operação?”

    É preciso lembrar que a chamada “operação verão” se iniciou com o deslocamento de policiais militares ao litoral para atender à comunidade em ações cívico-sociais (ACISO), desde o ano de 1974. Nesse período de férias de verão, em que a população flutuante cresce e com ela a necessidade de controle do trânsito, do crime, das drogas lícitas e ilícitas, roubos e violências, brigas, afogamentos, perturbação do sono, grandes eventos, e tantas outras causas de intervenção policial. Será que ainda não aprendemos? Todas as outras organizações estatais já conseguiram superar de maneira simples e eficaz as dificuldades resultantes do suprimento das necessidades da população flutuante e litorânea neste período. Nós, ainda, não? Que estranha incompetência é esta que insiste em ficar conosco e permanecer? Quando isto terá fim?

    O Fórum entende que deve formular uma denúncia pública às seguintes autoridades: Procurador Geral de Justiça, Secretário Estadual da Segurança Pública, Comando-Geral da PMPR, Presidente da Assembleia Legislativa do Paraná, Comissões de Segurança Pública e de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa do Paraná, Conselho Estadual de Direitos Humanos, Comissão de Segurança e de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil e à imprensa paranaense.

    Por fim, o Fórum resolve que deve repudiar o Governo do Estado por mais esta ofensa que pratica contra policiais militares, usando e abusando do pretenso direito que acha ter, de oprimir cidadãos brasileiros.

    Finalmente, o Fórum das Entidades PM/BM expede este MANIFESTO, para, desde logo, expressar a sua discordância para com o projeto governamental de implementação do subsídio para os policiais militares do Paraná, a cessão do HPM para os servidores civis, e inconformidade com o tratamento dispensado aos militares na Operação Verão 2012, ao mesmo tempo em que convoca uma reunião deliberativa para a próxima quarta-feira, dia 11 deste mês, às 14 horas, no auditório da AVM, na Rua Santo Antonio n.º 100, em Curitiba.

    Curitiba, 09 de janeiro de 2012.

  6. cabo oliveira
    segunda-feira, 9 de janeiro de 2012 – 17:58 hs

    greve ja .BETO nos traiu

  7. cabo oliveira
    segunda-feira, 9 de janeiro de 2012 – 17:59 hs

    greve ja beto nos traiu

  8. pm curitiba
    segunda-feira, 9 de janeiro de 2012 – 18:15 hs

    nobre jornalista FABIO CAMPANA, quero agradecer pela abertura deste espaco democratico, que colocamos nossos comentarios e angustias, coloquei tres postagens usando o codinome pm da capital, o senhor publicou todas e eu agradeco, agora peco encarecidamente que coloque dentro do possivel e claro, mais o mais urgente possivel esta minha informacao, o subcomandante geral, investido ao cargo de comandante geral, devido a licenca do nosso comandante MAIOR, recebeu a aprapr hoje 09/01/2012 , para reuniao no quartel do comando geral, e deu a feliz noticia que o projeto apresentado para a implantacao da ec 29 foi descartada, porque nao satisfaz aos anseios salariais principalmente dos pracas da pmpr, e que o comando geral em conjunto com as associacoes iram formular uma nova tabela para ser apresentada ate final de janeiro, onde tambem foi dito que o SR. GOVERNADOR BETO RICHA, garantiu que sera aprovado tudo ate 01 de abril de 2012, para que seja implantado ainda este ano, sem prejuizo por ser ano eleitoral, quero aqui deixar meus sinceros agradecimentos ao COMANDANTE GERAL EM EXERCICIO, ao ilustre GOVERNADOR BETO RICHA, que mostrou sua sensibilidade para com a classe PMPR, ao sgto. FONTANA da aprapr, a amai e todas as outras associacoes envolvidas nesta negociacao, quero deixar claro aqui que e uma honra ser comandado por pessoas como o nosso comandante em exercicio, quem quiser ler com mais propriedade o conteudo da postagem da aprapr, acessem, http://www.aprapr.org.br, abracos a todos os milicianos, a vitoria comecou, agora acalmem os animos e vamos acompanhar de perto todas as negociacoes ate a implantacao, ok. irmaos de farda.

  9. kako
    segunda-feira, 9 de janeiro de 2012 – 18:15 hs

    Se um dia o Senhor por curiosidade consultar as tabelas salariais das PM do Brasil, verá que em todos os casos, existe um escalonamento Justo do Soldado ao Coronel, eu disse em todas as tabelas, menos no Paraná, no Paraná somos considerados, “OS PRAÇAS”, inferiores, não merecemos ganhar nem próximo ao que ganha um Capitão, somos duas Polícias, a reconhecida, bem remunerada, com várias promoções e regalias, e os Praças, que não vou citar os benefícios a nós dispensados. ”Um Coronel da Bahia disse a um repórter da Bandeirantes, durante a manifestação da PM daquele Estado, que preferia comer farofa com seu comandados e ter apenas uma POLÍCIA MILITAR naquela Unidade da federação, a ter que aceitar comer filé apenas ele e seus oficiais para calar os PRAÇAS. Essa proposta foi feita ao comando daqui um tempo atrás, e nós lembramos da decisão da época. Resumindo, temos que dar voz aos nossos interesses, não deixar preso na garganta essa vontade de sermos, no minimo, tratados como iguais. Temos que ter um escalonamento salarial justo, não podemos aceitar esse escalonamento como esta hoje, e jamais essa proposta descabida e sem um pingo de vergonha, que infelizmente tem grandes chances de passar, assim como a anterior…

  10. segunda-feira, 9 de janeiro de 2012 – 18:33 hs

    essa tabela do governo e uma piada das deslavadas possivel acho que ele ta brincando com a segurança.e com os policiais militares.falta de vergonha.mandar uma proposta dessas.

  11. PM LONDRINA
    segunda-feira, 9 de janeiro de 2012 – 22:09 hs

    ABRAM O OLHO ASSOCIAÇOES REPRESENTATIVAS DOS PRAÇAS, SE VCS SE VENDEREM AO GOVERNO, JÁ SABEM, A GREVE SERA GERAL, a realidade é seria e a dignidade e valorizaçao dos praças da pmpr é um sonho antigo.
    infelismente a população paranaense sofrerá com a greve…..

  12. ROTAM - INTERIOR
    segunda-feira, 9 de janeiro de 2012 – 22:18 hs

    Se for preciso greve assim será e se alguem tentar impedir como ocorreu com nossas esposas no passado, vai levar no lombo, seja ele oficial ou nao…..

  13. Tenente
    terça-feira, 10 de janeiro de 2012 – 10:01 hs

    Agradeço pela atenção dos senhores e, especialmente, pela compreensão de alguns. Não, não saí da Academia para me enfiar atrás de uma mesa; meu estilo é um pouco diferente. Mas não é isso que está em pauta. Necessitamos, sim, de praças e oficiais administrativos, mas praças e oficiais administrativos COMPETENTES. Afinal, todo o serviço operacional depende da estrutura administrativa. Referi-me anteriormente àquelas seções inchadas, em que as pessoas (sejam quais forem as graduações) passam o dia tomando cafezinho e conversando com o colega da seção ao lado…
    Quanto ao que disseram em relação aos salários, reitero o que eu disse. É idiotice brigar por um aumento para todos; realmente o Estado não tem como pagar um aumento significativo para todos os PMs. Isso é fato.
    Algumas faixas salariais estão muito boas. Outras, nem tanto. O salário dos Oficiais atingiu um patamar interessante, muito bom. Mas isso agora. Não se esqueçam de que a carreira de Oficial da PMPR deve concorrer com outras carreiras tentadoras, como o bacharelado em Direito, administração e engenharias. E, para tanto, o salário também deve ser competitivo no mercado. Isso é o que vai renovar as cabeças do alto escalão, a longo prazo.
    Outra faixa salarial que está interessante é a dos praças modernos. Reparem que um Sd. 1ºClasse com menos de cinco anos de serviço vai ganhar 20% do salário de um Coronel Full. Não é muito, claro. Mas também não é pouco, levando-se em conta que se trata do início da carreira.
    Temos que brigar por uma forma de progressão mais rápida na carreira, isso sim. Creio que uma idéia seria um aumento mais significativo para Cabos, Terceiros e Primeiros Sargentos. O efeito disso seria que, com o advento dos Cursos Especiais de Formação, os mais antigos teriam uma condição salarial melhor, além de incentivar o estudo para concursos internos. Isso tudo além do que eu já havia citado anteriormente sobre bonificações baseadas no mérito e na produção.

    Agradeço aos que apoiaram a idéia da Op. Padrão. Pessoal, chega de murro em ponta de faca. Não adianta querer bater de frente que a coisa não funciona. A polícia já tem muito músculo, mas ainda estamos carentes de cabeça. Tem que pensar, pessoal. Greve e baderna só queimam a imagem dos policiais. Não só da Corporação, mas de cada um de nós, individualmente. Basta aplicar a Lei. Pensem na repercussão que teria uma blitz na Av. do Batel? Fechando todoas as saídas, para que se fiscalizem 100% dos veículos no trecho. Ou na Av. Manoel Ribas, em uma sexta-feira de noite. Fulano disse que vai ligar sei lá pra quem pra ser liberado? Catraca nele e manda pra DP, por Tráfico de Influência (art. 332 do CP). Se o delegado não for fazer o flagrante, foda-se; já fizemos nossa parte e o cara já se queimou indo parar numa delegacia… Porra, pessoal, é só usar a cabeça.

  14. Tenente
    terça-feira, 10 de janeiro de 2012 – 10:13 hs

    Ao SOU + EU:

    Cara, pare de generalizar as coisas. Para seu governo, não só eu faço o possível (e o impossível) para reduzir a carga horária de trabalho dos meus policiais, mas também estou direto na rua para ajudá-los. Logicamente, eu cobro a contrapartida. E o serviço funciona. Trabalho em uma companhia em que os únicos que tiram expediente adm sou eu e o digitador de B.O. (um polícia com atestado para serviço operacional). Nem sargenteante tem. Tudo para aliviar o serviço da rua. Então, velho, não generalize. A grande maioria dos oficiais está preocupada em ajudar o serviço do pessoal de ponta. Abraço.

  15. St_PM_RR
    terça-feira, 10 de janeiro de 2012 – 12:42 hs

    St_PM_RR

    Domingo, 8 de Janeiro de 2012 – 0:32 hs

    Fizemos a leitura de todos os comentários.
    Há, de fato, profunda insatisfação entre as praças da PMPR.
    A recente greve dos policiais cearenses pode ser um aviso para nossa casa.
    Este espaço pode servir de alerta ao comando da PM, à SESP e ao governo, para que evitem uma manifestação grevista em nossos quartéis.
    Estratégia é saber agir com base em informações, conhecimento técnico e respeito pela função.
    O que percebemos, quando deixamos a caserna, é que havia uma profunda insatisfação entre os colegas.
    Sinceramente esperava que os companheiros que permaneceram na ativa fossem mais bem considerados em suas expectativas, anseios e necessidades.
    Vejo, no entanto, que assim não aconteceu.
    Fala-se em greve, em execução do serviço de forma desanimada, desencorajada…
    Amigos da PMPR!
    Apesar de estar na reserva, sou solidário para com todos, eis que, como praça, senti de perto as dificuldades para levar a termo, da melhor forma, o exercício da minha missão.
    Profundo pesar sinto ao ler o desabafo de companheiros desmotivados, abandonados e desconsiderados.
    Sempre soube louvar e reconhecer o valor dos meus subordinados, quando na ativa.
    Por isso minha tristeza ao sentir que hoje, nas atividades operacionais, as praças veem-se isoladas, desamparadas, inseguras durante a execução do serviço.
    Para “ajudar” recebem as notícias acerca dos novos valores salariais…!
    Peço, contudo, que persistam, valorosas praças, executando suas missões sempre da melhor forma possível!
    O recado às autoridades já foi repassado e, creiam, penso que adotarão medidas para evitar paralisações e outras formas de manifestação.
    Quanto aos senhores oficiais, um pedido: tratem seus subordinados com bondade, respeito e consideração. Façam deles amigos em quem possam confiar. Considerem-nos homens, profissionais dignos e que merecem respeito. Mostrem-se interessados na solução dos problemas que enfrentam, durante e após o turno do serviço. Ajudem, enfim, a criar um ambiente saudável, agradável e que desperte, neles, o prazer de fazer segurança pública. Unam-se a eles, por que são parte da família miliciana que, em tese é uma só!
    Quanto à distância do governo em relação à base operacional da Polícia Militar, um conselho (sim, um conselho!): veja cada policial militar como um homem que jurou defender a sociedade, mesmo que com o sacrifício da própria vida! Mais que um salário digno, dê-lhe respeito. Veja-o como um representante do Estado, que age em seu nome e deve bem representá-lo. Dê a cada policial militar, senhor governador, o respeito e a admiração que tínhamos, em 1982, do Governador José Richa, cuja memória ainda estimamos.
    Muita paz em 2012.
    E medidas inteligentes.
    STE
    ——
    EM TEMPO:
    Fizemos a leitura do texto publicado no site da APRA.
    Não há, de fato, qualquer sinal de vitória!
    Mesmo porque independe da vontade dos coronéis a revisão da tabela dos vencimentos, causa de toda essa indignação.
    Vitória so haverá, de fato, quando outra proposta for apresentada, com valores aceitáveis, no mínimo próximos àquela divulgada ao final do manifesto da AMAI.`
    Aí, sim, poderemos dizer que houve vitória.
    Pés no chão!
    Creiam, mas em documentos e em decisões de quem tenha competência legal para publicá-los.
    Grato.
    STE

  16. antonio
    terça-feira, 10 de janeiro de 2012 – 20:43 hs

    Realmente é lastimavel a situação da PMPR, estive nas fileiras 32 anos e nesse tempo de caserna só vivemos de promessa o tempo todo, o que ocorreu no final d governo Requião, criaram vários comandos foram promovidos quase todos os oficiais os quais tiveram aumento salarial e os os praças continuam carregando o piano sem ter nem a correção monetária. mas sempre foi assim companheiros e nada mudou é uma pena e sempre será assim se não botar a boca no trombone.

  17. PMPR Interior
    quarta-feira, 11 de janeiro de 2012 – 13:49 hs

    Concordo com o colega!!! Se continuar assim, greve sera inevitavel!!

  18. PMPR Interior
    quarta-feira, 11 de janeiro de 2012 – 14:22 hs

    Concordo com o “SOU+EU” em relaçao ao comentario do Tenente la em cima!! POR FAVOR Sr Tenente!!!!!!!!! Quer dizer que os senhores (oficiais) trabalham muito!!! Ganham diaria para “visitar” cidades do interior, fazer curso fora do Estado, enquanto o pessoal desloca EM SERVIÇO para ficar mendigando 18,00 de alimentaçao!!!! Deixando BEM CLARO que ha EXCESSOES!!! E muitas… mas se tem praça moita, proporcionalmente tem muito mais OFICIAIS nessa mesma situaçao!!!!

  19. pm-interior
    quarta-feira, 11 de janeiro de 2012 – 21:18 hs

    para o TENENTE pmpr:
    De fato os senhores sao merecedores por suas conquistas dentro da corporação, porem analizem: a maioria dos senhores entram na academia sem curso superior, la ficam 03 anos e saem aspirantes a oficial e o salario e igual ao de um subtenente com 30 anos de serviço. Ficam 03 meses fazendo estagio em batalhoes, depois passam para o posto de segundo tenente e o salario melhora razoavelmente, aí é so aguardar que as promoçoes veem até o posto de coronel. Escalas de serviços os senhores tiram mesmo ate o posto de primeiro tenente e sao poucas e sempre tem um praça dirigindo para os senhores. Volto a repetir, os senhores merecem pois batalharam para isso e quem quer melhorar tem que ir a luta. mas nao esqueça disso: nós praças so queremos dignidade e valorização, pois quem carrega o piano e toca para os senhores festejarem somos nós….

  20. Tenente
    sexta-feira, 13 de janeiro de 2012 – 1:49 hs

    Concordo contigo em quase tudo. Em momento algum eu disse que a tabela para os oficiais está inadequada, ou que precisava de aumento. O que eu disse é que o salário e a carreira do oficial têm que ser competitivos no mercado de trabalho. E, em minha opinião, o patamar atual está bastante competitivo.
    Também não disse que os praças da Corporação não merecem, nem devem brigar por melhores sálarios e condições de trabalho. Disse, sim, que a forma de se brigar deve ser estudada com calma, sugerindo, inclusive, que Operações-Padrão teriam muito mais repercussão e seriam muito mais efetivas que a paralização.
    Outra coisa que eu afirmei é que não adianta brigar por um enorme aumento para todos, pois o Estado não tem verba para isso. Temos que focar em algumas camadas, preferencialmente nas praças mais antigas, e em bonificações. E mais importante que salário é um plano de carreira. É a certeza da evolução com o tempo.

  21. Pm _insatisfeito
    sexta-feira, 13 de janeiro de 2012 – 13:48 hs

    Na Policia Federal assim como na Policia Civil, a diferença entre o superintendente e o mais novo policial é de mais ou menos 40%, assim como na PRF. Não são os Oficiais que gannham bem, somo nós praças que ganhamos pouco. O que tem que acabar nesta policia é esse abismo salarial dentro da própria instituição.

  22. cristian
    sexta-feira, 13 de janeiro de 2012 – 13:51 hs

    ESTA PROPOSTA QUE O SR BETO RICHA APRESENTOU É UMA VERGONHA, QUANDO ESTE CIDADÃO SE APRESENTOU COMO CANDIDATO AO GOVERNO LOGO VI QUE IA DAR M**DA. DESDE QUE FOI PREFEITO DE CURITIBA O FUNCIONALISMO PUBLICO DESTE CIDADE SE TORNOU UM CAOS E AGORA CONOSCO EM ESPECIAL A PMPR.SOU DO INTERIOR E VCS NÃO ACREDITAM O QUE PASSAMOS AQUI. DEPENDEMOS DE FAVOR DE EMPRESARIOS PARA TROCAR OLEO DA VIATURA, PARA TROCAR UMA LAMPADA SEQUER DA REFERIDA VIATURA DEPENDEMOS DA POPULAÇÃO, A PREFEITURA QUE PAGA NOSSA CONTA DE LUZ E AGUA DOS QUARTEIS DA POLICIA E PAGA NOSSO TELEFONE PARA TERMOS CONTATO COM A POPULAÇAO. DEPENDEMOS DE COMERCIANTES PARA PODERMOS TER UMA REFEIÇÃO NO HORÁRIO DO ALMOÇO PORQUE DE NOITE TEMOS QUE SE VIRAR. MUITAS VEZES TEMOS QUE TRAZER COISAS DE CASA PQ AQUI NAO TEM OU SEJA SE NAO FOR A POPULAÇAO O POLICIAL DO INTERIOR NAO COME NAO BEBE E NAO TEM NEM CONDIÇÕES DE RODAR DE VIATURA NOS DIAS DE SERVIÇO, E SE LEVAR COMIDA DE CASA NAO TEM ONDE ESQUENTAR TAMBÉM.. E NO FINAL SABE OQUE ACONTECE? QUANDO ACONTECE ALGUMA OCORRENCIA E O POLICIAL TEM QUE LEVAR ALGUEM DETIDO OU APLICAR UMA NOTIFICAÇÃO DE TRANSITO VEM AQUELA FAMOSA FRASE: ” POLICIAL VCS ESTÃO FAZENDO ISTO MAS SOU OU E MINHA EMPRESA, FAMILIA, QUE SUSTENTA VCS AQUI E DA COMIDA DE VCS AQUI..” ISTO É REVOLTANTE POIS NEM PARA SUSTENTAR A EQUIPE POLICIAL DE SERVIÇO NAS CIDADES DO INTERIOR O GOVERNO TEM CAPACIDADE

  23. Irlei Frankowski
    domingo, 15 de janeiro de 2012 – 14:24 hs

    No governo anterior a reestruturação salarial beneficiou o alto escalão (merito deles), mas a base que realiza a atividade fim, esta qualificada e faz jus que o subsidio diminua tanta desigualdade, portanto a tabela de escalonamento de 2006 é nosso anseio de justiça.

  24. Elaine
    quinta-feira, 19 de janeiro de 2012 – 19:52 hs

    Não é só a PM e a PC que tem que parar, o povo todo o Paraná tem que fazer greve! Já! Cruzar os braços junto com os policiais, ao mesmo tempo, por um dia que seja!!!
    E pra pedir melhor salário e mais policiais!
    Sem policiais não tem como fazer segurança pública, Sr. Governador!

  25. limeira capital
    terça-feira, 24 de janeiro de 2012 – 21:15 hs

    POLICIA MILITAR DO PARANÁ…CHEGOU A NOSSA VEZ SÓ OS COVARDES FICARAM QUIETOS…SÃO ELES OS CORONÉIS COVARDES QUE TEM MEDO E APOIAM O GOVERNADOR NESTA PALHAÇADA QUE VIROU A EMENDA 29..ELES TIVERAM UM BOM AUMENTO E ESTÁ ÓTIMO PELO QUE FAZEM PELA POLÍCIA…VAMOS PARAR!!! CHEGA DE PALHAÇADA!!! DE ACORDOS DIRECIONADOS POR OFICIAIS CAPACHOS DO GOVERNO!!!VAMOS MOSTRAR A NOSSA FORÇA!!! CHEGOU A HORA!!!

  26. anonimo
    quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012 – 11:11 hs

    Pois é governador, aumento de 17% por cento?!!!! Que legal aumentar e tirar todas nossas conquistas, ou seja acabou com nosso quinquenio, gratificação técnica que recebemos por nível superiror, damos a vida pelo bem maior e o que você fez, quer acabar com nosso plano de carreira, depois de tantas lutas e sacrificio. Acha que somos “ignorantes” em não saber o que está acontecendo?!!! Essa sua proposta simplismente faz com que a classe perca tudo e tbm quem tem mais de 20 anos ou esta na reserva simplismente vc congelou o valor salarial e dpois nunca mais. Vamos lutar contra isso já.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*