Desde 1961 não há oposição efetiva na Assembleia Legislativa | Fábio Campana

Desde 1961 não há oposição efetiva na Assembleia Legislativa

O último governador do Paraná a ter oposição efetiva na Assembleia Legislativa foi Ney Braga em seu primeiro governo, em 1961. O único deputado que o apoiava era o padre Aneico. Desde então, todos os governadores fizeram imediata maioria absoluta na Assembleia Legislativa, pois a absoluta maioria dos deputados não consegue viver senão à sombra do pendão do governador. São facilmente cooptáveis, como mostra a história.

Repete-se aqui na província o fenômeno da República. Não há presidente que não consiga compor maioria a seu favor. Quem resiste, por incompetência ou desvario, vai pro brejo, caso de Collor de Mello.

Este sistema de cooptação e acertos se repete porque o sistema eleitoral vigente reproduz a composição dos Legislativos e favorece os mesmos grupos que logo se encontram na esquina para negociar o entendimento com o governo. O que lhes interessa é a máquina, as benesses, os favorecimentos. Tudo o mais é secundário. E as reeleições são viabilizadas pelo mesmo sistema.


17 comentários

  1. Zangado
    domingo, 8 de janeiro de 2012 – 19:40 hs

    Povo do Paraná e do brasil – enquanto tivermos eleições A CADA DOIS ANOS esqueçam governãnça pública.

    O que vale é corrida das seguidas eleições e para alcançarem os resultados – isto é, continuarem se elejando e reelegendo – a corrida precisa ser sem obstáculos.

    Daí, esse sistema de cooptação para que a maioria se beneficie, e não é por outro motivo que a renovação dos quadros é parca e o domínio de umas poucas oligarquias políticas se alterna.

    O subproduto desse “esquema” são as benesses, os toma-lá-dácá, a liberação de verbas, e a corrupção.

    Mas o principal dano é ao princípio republicano em que a harmonia e independência dos poderes – em especial, legislativo e executivo – são transformados em mero compadrio eficaz à politicagem e extremamente detrimentoso ao interesse público. Sejam exemplos disso os descalabros postos a público na Assembleia Legislativa e na Câmara Municipal de Curitiba.

    Até quando a sociedade vai tolerar ser enganada dessa forma em que os poderes não servema ela mas às vontades personalíssimas de seus detentores ?

  2. Borduna
    domingo, 8 de janeiro de 2012 – 20:34 hs

    Como se chama isso? Democracia. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  3. tony
    domingo, 8 de janeiro de 2012 – 21:06 hs

    E como poderia ser diferente? O modelo republicano nos obriga a isto, O caso do caçador de marajás é emblemático, ele tentou romper com o sistema e se ferrou. Mas o cara era gato, aí o mérito foi para o buraco. ACarlos

  4. OLHAR CLINICO
    domingo, 8 de janeiro de 2012 – 21:12 hs

    Com a devida venia, discordo dos comentários. Os nobres colegas esquecem que o povo vive feliz, tem toda a assistência saúde, salário justo, segurança de primeira, dinheiro para investir nos filhos, voz ativa, educação que dá o livre arbitro de entender e escolher o melhor, enfim, aqui chegamos ao cume da civilização, em que pese a herança da nossa colonização, desmandos do passado longínquo. Brasileiros e brasileiras podem lamber os dedos, estufar o peito o vibrar: SALVE, SLAVE, PÁTRIA AMADA BRASIL !!!!

  5. Adriano Ribeiro
    domingo, 8 de janeiro de 2012 – 23:00 hs

    Oposição na assembleia existe, mas infelizmente você não vê. Acho que você não vê porque você é betinho.

  6. Pé Vermelho
    segunda-feira, 9 de janeiro de 2012 – 9:26 hs

    Quando é que uma entidade séria … encabeçará uma reforma politica neste Pais. Tai uma oportunidade …OAB, CNBB, AJB (Associação dos Jogadores de Bocha) etc.

  7. segunda-feira, 9 de janeiro de 2012 – 10:56 hs

    Um exemplo clássico é esse Romanelli; baba ovos do Requião, furador de pedágio, e hoje dança sob a batuta do Richa, e por ele jura fidelidade atgé a morte; ou até o próximo governador.
    Essa politicalha dá nojo!

  8. Jota Toledo
    segunda-feira, 9 de janeiro de 2012 – 11:01 hs

    A culpa maior é do povo e apenas para simplificar, qual o Deputado quer ficar fora da base se o que mais os eleitores cobram é a obtenção de recursos e obras em suas regiões, o deputado é medido pela quantidade de recursos que consegue e não pela sua atuação e cobrando transparência do governo, na visão do eleitor o deputado que atua na oposição não “trouxe nada para a cidade”

  9. segunda-feira, 9 de janeiro de 2012 – 11:24 hs

    Não reeleja ninguém , em todos os níveis, nem síndico.
    Primavera Democrática Já.

  10. salete cesconeto de arruda
    segunda-feira, 9 de janeiro de 2012 – 14:34 hs

    O que Rubenzinho acha disso?
    Falando no Rubens: ele roubou o papel de porta voz do Álvaro na globo? O Álvaro anda tão sumido…

  11. segunda-feira, 9 de janeiro de 2012 – 15:59 hs

    hoje a oposição é posição comprada.

  12. ira
    segunda-feira, 9 de janeiro de 2012 – 16:06 hs

    Capitanias hereditárias! Vamos voltar a história brasileira e entender um pouco o processo político brasileiro e paranaense. Tribunal de Contas hereditário! Financiamento de Campanha, as vezes o mesmo financiador do governo também financiou a oposição. E as reformas politica, tributária etc….E o Judiciário, HEREDITÁRIO?????? Que saudades da redenção do fogaça e do falcão!?!?!?!?!?!?

  13. Lucas
    segunda-feira, 9 de janeiro de 2012 – 16:15 hs

    Naquela época política era coisa séria, deputados não tinham preço…E tinham “vergonha na cara!”

  14. Pitongo
    segunda-feira, 9 de janeiro de 2012 – 16:58 hs

    Como diz o Paulo Silvino: O negócio é mamá vazinildo!!!!

  15. valéria prochmann
    segunda-feira, 9 de janeiro de 2012 – 18:05 hs

    As piores e mais desprezíveis figuras da política são os adesistas. Eles traem os votos recebidos para fazerem oposição e logo dão um jeito de se oferecer e se alojar junto ao governo, seja este qual for. É lamentável para a democracia, que precisa de oposição tanto quanto de situação. O peleguismo dos movimentos estudantil, sindical, sociais, assim como das Universidades, de parte da intelectualidade e da imprensa miúda (que vende opinião em troca das verbas publicitárias oficiais) também é lamentável. O pensamento único é totalitário e tolhe a vitalidade democrática.

  16. Insatisfeito
    segunda-feira, 9 de janeiro de 2012 – 19:26 hs

    Aquilo não é uma Assembleia, é uma corja!!! (e faz tempo).

  17. salete cesconeto de arruda
    terça-feira, 10 de janeiro de 2012 – 8:21 hs

    Fabio
    Não tem nada mais triste para um estado – além dos sangue dos jovens mortos em ‘confronto’ onde chefes sempre escapam do que ver a fila de deputados e vereadores – babando enquanto segue até os palácios para pedir uma graninha…
    Trocam a DIGNIDADE E O BOM TRABALHO por vil metal que lhes garanta permanecer no mandato ganhando talvez 20 vezes mais do que um policial, um bombeiro, enfermeiro, professor… QUE SALVAM VIDAS!
    Que dó!
    Que dó!
    O Paraná não merece isso.
    Deus nos salve da UPP pensada pelo Beto e seu grupo de inteligência que já visitou – ou não – até o prefeito de nova York.
    E que vivam os MACACOS que ganharam a area verde da comunidade do Batel e Bigorrilho.
    Viu o que sobrou do belíssimo terreno VENDIDO A PREÇO DE BANANA?
    Nem uma pracinha para os velhinhos das tantas clínicas que se espalham pelo Batel.
    Tadinhos!
    Podem passear olhando para a cortina verde RASGADA cercada de grades – com as docas a céu aberto e sem tratamento acústico. Os caminhões em fileiras gigantes, com motores e frigo ligado deve ser o espetáculo da cidade maravilhosa oferecida ao povo pelos nossos políticos. Enquanto isso os carrões estão protegidos no sub solo dos mercados…
    Que VIVAM OS MACACOS!
    Só eles estão sorrindo!
    Mas se um dia a PATRIA AMADA PRECISAR DA MACACADA…. essa todo mundo sabe. Ou será que o Paraná continuará sendo o estado onde o povo ainda se liga na globo que engana bobo? Sei não. Até o Álvaro sumiu do pedaço. Agora o Rubinho é o porta voz oficial? Pois é.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*