Volkmann se afasta da Câmara de Curitiba por 30 dias | Fábio Campana

Volkmann se afasta da Câmara de Curitiba por 30 dias


Foto: Divulgação

De Fernando Castro do G1 PR

O vereador Odilon Volkmann (PSDB) pediu afastamento da Câmara de Curitiba na manhã desta quinta-feira (1º). A informação foi confirmada pela Casa, e veio após denúncias de que o mercado de propriedade do vereador fraudava o sistema do Cartão Qualidade da prefeitura, entregando dinheiro aos servidores em troca de comissão.

Em nota oficial, Volkmann justifica o pedido de 30 dias fora da Câmara por assuntos particulares. Ele faz menção às reportagens exibidas pela RPC TV e afirma “boa-fé” diante do pedido. O parlamentar diz também que espera que o Ministério Público e a Polícia Civil esclareçam os fatos, e que assumirá o comando de suas atividades empresariais para tomar conhecimento das irregularidades cometidas no local.

O caso

Na terça-feira (29), uma reportagem mostrou que funcionários da prefeitura de Curitiba utilizavam os Cartões Qualidade para sacar dinheiro no estabelecimento de propriedade de Volkmann. O mercado cobrava 10% de comissão pelo serviço ilegal prestado aos servidores. De imediato, o vereador negou a prática, mas ao ser informado de que o crime havia sido registrado por câmeras, ele afirmou que não tinha conhecimento.

Essa informação foi desmentida pela imagem que mostrou Volkmann no estabelecimento, dando informações ao repórter da RPC TV sobre o procedimento ilegal. Novamente questionado diante do fato, o vereador mudou o discurso. “Se existia uma gravação tudo bem, mas eu realmente não percebi que houve um ato ilícito nesse sentido”, disse.

As imagens também mostram que o vereador tinha a preocupação de que a Receita Federal descobrisse o esquema. “Se eu descarregar tudo num dia o Leão me pega”, afirmou, sem saber que era filmado.

A situação está sendo investigada pelo Ministério Público desde quarta-feira (30). O Conselho de Ética da Câmara, do qual Volkmann é suplente, afirmou que aguarda um posicionamento da Corregedoria da Casa para tomar providências.

Crime
De acordo com o delegado Jairo Estorilo, a situação pode ser enquadrada em vários tipos de crime. “A princípio ele cometeu crime contar relação de consumo (…), também a questão da sonegação fiscal, sem dúvida, e provável que também tenha incidido em algum tipo de lei contra crime popular”.

A prefeitura suspendeu as operações no estabelecimento de Volkmann. “Estamos tomando todas as providências cabíveis para que esse estabelecimento seja descredenciado”, afirmou o Diretor de Administração Pessoal, Danilo Bazello. Ele ainda informou que uma sindicância deve ser aberta para avaliar a situação, e punir os responsáveis.


11 comentários

  1. Vigilante do Portão
    quinta-feira, 1 de dezembro de 2011 – 12:08 hs

    Com salário integral?

    E a turma de aspones?

  2. Eduardo
    quinta-feira, 1 de dezembro de 2011 – 12:21 hs

    Esse ai é só mais um naquele caldeirão do diabo que é a Câmara de Vereadores de Curitiba. E pior, é capaz de se reeleger com os votos do funcionários que sacavam dinheiro no mercado! E é de que partido PT? PV? PSOL? Não, ele é do PSDB!!!!!!

  3. fiscal de realeza
    quinta-feira, 1 de dezembro de 2011 – 13:02 hs

    ESSE PSDB ROUBA MAIS DOQUE O FERNANDINHO BEIRA MAR
    CADA DIA MAIS PECULATO LADRONAGEM NESSE PARTIDO

  4. Tic Tac
    quinta-feira, 1 de dezembro de 2011 – 13:04 hs

    Se Volkmann fosse do PT , nada disso estaria acontecendo, zar o dele

  5. Borduna
    quinta-feira, 1 de dezembro de 2011 – 13:37 hs

    Ora essa… Por que a Prefeitura não cassa o alvará do supermercado? Mais um do PSDB fazendo fundos de campanha para 21012, pra ele e os comparsas de partido? Mais um que tal qual Derosso é inatingível. Por que? O que se esconde por detrás disso?

  6. Ivo
    quinta-feira, 1 de dezembro de 2011 – 13:41 hs

    Que pena. Agora vai ter que trabalhar para ganhar seus dinheirinho

  7. Eleição 2012
    quinta-feira, 1 de dezembro de 2011 – 13:53 hs

    Hoje na RPC apareceu ele também fazendo negociatas.
    Vamos la´Ministério Público, vamos lá Comissão de Ética da Câmara de Vereadores.

  8. Gean
    quinta-feira, 1 de dezembro de 2011 – 14:44 hs

    Será que ninguém vai investigar quem entrou no lugar da mulher dele na camara? Será que quem entrou não está devolvendo a bolada que a mulher do vereador estava recebendo? E os outros funcionários, será que devolvem parte do salário? É de se investigar.

  9. fiscal de realeza
    quinta-feira, 1 de dezembro de 2011 – 16:57 hs

    EDUARDO

    ESSE PARTIDO DELE É O QUE MAIS SE ENVOLVE EM CURUPÇÂO NESSE PAIS
    AQUI EM CURITIBA TEM O DERROSSO O ROSSONI
    E AGORA O WOLKMAM

    PSDB EDUARDO AI MEXEM COM CURUPÇÂO DIA MES E ANO
    ESTAMOS PERDIDOS COM ESSES FARABUTOS

  10. xereta
    quinta-feira, 1 de dezembro de 2011 – 17:31 hs

    Agora, devem punir também quem realizava os saques, pois todos devem ter conhecimento de como usar o cartão.

  11. cleiton azeredo
    sexta-feira, 2 de dezembro de 2011 – 17:36 hs

    Boa tarde, infelismente ainda tem gente que esta a favor do Vereador/Propietario Odilon Volkmann, como se ele estive ajudando as pessoas que faziam a operação de credito (agiotagem) pois muitas das pessoas faziam por precisão, par apoder sim melhorar suas finanças do mês… mas uma coisa é certa ele se aproveitava da carencia de uns para poder fortalecer sua conta bancaria, poder crescer, poder enriquecer mais e mais a cada dia… pois 10% é juro sim de agiotagem, de factori, sem contar claro a sonegação fiscal, coisa que o trabalhador não ode deixar de pagar, pois so para se ter ideia um pacote de arroz ou feijão que são os basico temos que pagar em media 7% de ICMS… ai vemos um homem publico que deveria sim brigar pelos direitos do povo faz totalmente ao contrario…. TIRA DA BOCA DA FAMILIA 10% QUE PODERIA AJUDAR E MUITO NA RENDA MENSAL…

    PENSE NISSO “POVO” ANTES DE DEFENDER OU ACHAR QUE NO VEREADOR AJUDAVA AO FAZER A OPERAÇÃO NOS CARTÕES.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*