Ferreira Gullar e Laurentino Gomes vencem o Prêmio Jabuti | Fábio Campana

Ferreira Gullar e Laurentino Gomes vencem o Prêmio Jabuti


Foto: Divulgação

De Luciane Horcel da Gazeta do Povo

O autor Ferreira Gullar, com o livro de ficção “Em Alguma Parte Alguma” e Laurentino Gomes, com o livro-reportagem “1822”, foram os grandes vencedores do 53º Prêmio Jabuti. A cerimônia de premiação aconteceu na noite desta quarta-feira (30), em São Paulo.

Quando chamado por Pedro Bial para receber o prêmio de livro do ano de ficção, o escritor Gullar, de 81 anos, foi sucinto, mas fez poesia em seu agradecimento. “Eu só vou dizer: não sei se poesia é literatura, fora isso, a gente faz poesia porque a vida não basta.”

O primeiro colocado em cada categoria recebeu um troféu e um prêmio em dinheiro no valor bruto de R$ 3 mil. Os vencedores de livro do ano levam R$ 30 mil.

Jabuti

Conferido pela Câmara Brasileira do Livro (CBL) e estimado como o mais importante prêmio literário do País, o Jabuti mudou seu regulamento, depois de uma polêmica que envolveu o escritor e compositor Chico Buarque.

O autor de “Leite Derramado” (Companhia das Letras) venceu o prêmio de livro do ano, mesmo tendo ficado em segundo lugar na categoria Romance. “Se Eu Fechar os Olhos Agora” (Record), do jornalista Edney Silvestre, obteve a primeira colocação entre os romances, mas perdeu o troféu principal, o que provocou questionamentos aos critérios do Jabuti.

Com a mudança das regras, somente os primeiros lugares concorrem aos grandes prêmios de ficção e de não-ficção. Os melhores livros do ano recebem R$ 30 mil.


Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*