Em carta, Pimentel pede cautela e critica "falsas suposições" | Fábio Campana

Em carta, Pimentel pede cautela e critica “falsas suposições”

De Reuters

O ministro do Desenvolvimento, Fernando Pimentel, divulgou carta nesta sexta-feira(09) em que pede cautela com as suspeitas levantadas sobre sua atividade de consultoria antes de assumir a pasta, as quais ele classifica de “falsas suposições”.

Desde o fim de semana, reportagens publicadas na imprensa têm tratado das atividades de consultoria exercidas pelo ministro entre 2009 e 2010 – período após sua saída do cargo de prefeito de Belo Horizonte – por meio da empresa P-21.

De acordo com as informações divulgadas pela mídia, Pimentel teria obtido 2 milhões de reais com serviços de consultoria no período e uma das empresas atendidas pela P-21 teria ganho um contrato com a prefeitura de Belo Horizonte após o ministro deixar a prefeitura.

Na carta divulgada em seu site pessoal (www.fernandopimentel.com.br) nesta sexta (09), o ministro rebate essas informações.

“A empresa não manteve, nestes dois anos, qualquer contrato com os governos municipal, estadual ou federal”, disse o ministro.

“O valor líquido dos serviços prestados, é 1,3 milhão de reais, como expliquei aos jornalistas, depois de pagos os impostos e as despesas de escritório. Feitas as contas, isso corresponde, em dois anos, uma média de 50 mil reais por mês, compatível com o que o meio empresarial paga a executivos e consultores no Brasil.”

O ministro finaliza a carta pedindo cautela para que “o jogo político” não contamine o direito de livre expressão e que esse direito “não seja usado para atingir biografias respeitáveis”.

Desde junho, sete ministros do governo da presidente Dilma Rousseff deixaram o governo, seis deles em meio a denúncias de irregularidades.

O primeiro a cair foi o então ministro-chefe da Casa Civil, Antonio Palocci, que foi um dos homens fortes da campanha de Dilma à Presidência. Palocci deixou o cargo em meio a suspeitas em torno do crescimento expressivo de seu patrimônio, obtido graças aos serviços de consultoria prestados por ele.


3 comentários

  1. Ocimar
    domingo, 11 de dezembro de 2011 – 8:27 hs

    É INOCÊNTE,IGUALZINHO AOS OUTROS SAFADOS QUE CAIRAM.

  2. Parreiras Rodrigues
    domingo, 11 de dezembro de 2011 – 10:53 hs

    Terminei de ler Macunaíma. Mário de Andrade cunhou o dístico: Falta de saúde e muita saúva, os males do Brasil são.

    As saúvas do Mário não são as formigas cortadeiras.

    São certos ongueiros, certos ministros, certos prestadores de auditoria, certos parlamentares. Serão certos?

  3. domingo, 11 de dezembro de 2011 – 14:15 hs

    Hoje 11/12/2011 ainda da tempo de cair + um.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*